R$ 150 milhões para pagamento de sinistros da safra 19/20
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,676 (-0,11%)
| Dólar (compra) R$ 5,47 (1,26%)

Imagem: Marcel Oliveira

SOJA

R$ 150 milhões para pagamento de sinistros da safra 19/20

Lidar com falta e excesso de chuvas em um mesmo período foi outro obstáculo para as lavouras de soja
Por: -Aline Merladete
350 acessos

Os pagamentos da safra 2019/2020 beneficiaram segurados de dez estados do Brasil, em especial Paraná e Rio Grande do Sul, que receberam 88% do montante. Chuvas e déficit hídrico foram os principais eventos climáticos que causaram quebra na produção da cultura. A Sancor Seguros liquidou R$ 150 milhões para o pagamento de sinistros da safra 2019/2020 da cultura de soja.

De acordo com os dados divulgados pela assessoria da Sancor, os proventos foram efetuados em março, maio, junho e início de julho. Dez estados tiveram indenizações: Tocantins, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul - estes dois últimos, juntos, receberam 88% do valor. Foram 1900 ocorrências de 1400 segurados. O montante foi destinado para, aproximadamente, 400 beneficiários, entre agricultores, revendas, cooperativas e canais financeiros.

O Rio Grande do Sul foi o que apresentou maior quebra de produtividade, entre 54% e 63%, apontam os dados do Comitê Estratégico Soja Brasil - CESB. Os agricultores rio-grandenses tiveram que lidar com sérios problemas de déficit hídrico em diferentes momentos do ciclo da soja. Segundo o diretor Financeiro da Sancor, Rafael Gozer, beneficiários de 136 cidades do Rio Grande do Sul registraram sinistros de soja na companhia, em especial, Dom Pedrito, Itacurubi, São Sepé, São Gabriel e Cachoeira do Sul - juntas elas respondem por 24% das ocorrências nesse estado. 

Lidar com falta e excesso de chuvas em um mesmo período foi outro obstáculo para as lavouras de soja. “No Paraná, segundo com maior acionamento de sinistros na Sancor,  segurados de 94 cidades estão sendo reembolsados. Só os municípios de Cafezal do Sul, Perobal, Iporã, Alto Piquiri, Lobato e Santa Inês somaram mais de 40% dos pagamentos”, diz Gozer.  


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink