RS: retorno das chuvas favorece desenvolvimento do trigo no Estado
CI
Imagem: Pixabay
AGRICULTURA

RS: retorno das chuvas favorece desenvolvimento do trigo no Estado

Cenário favoreceu o desenvolvimento do trigo no Rio Grande do Sul
Por:

A primeira metade da semana foi caracterizada por temperaturas médias no período da tarde, altas para a época, boa incidência de radiação solar e pela permanência de tempo firme. Na maioria das regiões produtoras, o tempo ficou encoberto e as chuvas voltaram, provocando queda das temperaturas.

De acordo com o Informativo Conjuntural, produzido e publicado nesta quinta-feira (22/07) pela Gerência de Planejamento da Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), esse cenário favoreceu o desenvolvimento do trigo no Rio Grande do Sul, fazendo o plantio chegar a 97% da área prevista, sendo que 97% está fase de germinação e desenvolvimento vegetativo e 3% já se encontra em floração.

Na região de Santa Rosa, 58% dos cultivos de canola estão em desenvolvimento vegetativo, 32% em florescimento, 9% na fase de enchimento de grãos e já inicia a maturação das primeiras lavouras, implantadas em abril. Até 18/07, o tempo seco, ensolarado e frio vinha favorecendo o bom desenvolvimento das lavouras, que apresentam bom aspecto geral, com boa população e boa sanidade. Com a geada ocorrida em 19 e 20/7, aumentou a preocupação dos produtores em relação ao potencial prejuízo nas lavouras em floração e enchimento de grãos, pois as flores da canola são muito sensíveis à geada, com possível abortamento e má formação das síliquas ? fruto da canola. Produtores dão andamento à adubação nitrogenada em cobertura nas lavouras em fase de desenvolvimento vegetativo; nas demais, não há necessidade de controle fitossanitário.

Na região de Bagé, o estabelecimento das lavouras de aveia branca na Campanha ocorreu na época recomendada pelo zoneamento agrícola. As lavouras apresentam bom estande de plantas, com predomínio da fase de desenvolvimento inicial e poucas áreas em perfilhamento. As primeiras lavouras estabelecidas em maio se aproximam da fase de alongamento dos colmos, e ainda não há lavouras em fase reprodutiva. Em Hulha Negra, produtores realizam o controle de ervas daninhas de folhas largas visando principalmente a supressão de buva. Em geral, a sanidade das lavouras é satisfatória, com boa recuperação do desenvolvimento e da coloração após o período de tempo adverso ocorrido em junho.

Nas regiões da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, Soledade e Erechim, os cultivos de cevada têm se mantido com desenvolvimento adequado, bom estande de plantas e bom estado fitossanitário, devido ao tempo favorável e à disponibilidade de água nos solos proporcionada pelas últimas chuvas entre 14 e 15/07. Produtores realizam o controle de plantas invasoras e a aplicação de adubos nitrogenados em cobertura.

CULTURAS DE VERÃO

Nas regiões administrativas da Emater/RS-Ascar de Ijuí e Santa Rosa, a cultura do milho está em entressafra. Mais ao Norte, nos municípios costeiros e próximos ao rio Uruguai, produtores iniciam a dessecação e o preparo das áreas para plantio. Segue intenso o encaminhamento de projetos de custeio das lavouras da próxima safra. Na região do Planalto e Alto Jacuí, produtores iniciam o preparo das áreas que receberão a cultura no final de agosto e início de setembro manejando plantas de cobertura com predomínio de gramíneas; adiam para mais próximo à semeadura o manejo das espécies com menor relação entre carbono e nitrogênio.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Ijuí, produtores de soja buscam informações e planejam atividades visando acesso às opções de crédito rural disponibilizadas pelo atual Plano Safra. Agricultores enquadrados no Pronaf procuram informações sobre o programa piloto de Seguro Rural, visando garantir subvenção de 60% do prêmio.

OLERÍCOLAS

Na região de Pelotas, as temperaturas amenas e a neblina ao amanhecer exigiram cuidados redobrados dos produtores de hortaliças, principalmente para o manejo preventivo das doenças. Ocorreram chuvas na quarta-feira e quinta-feira, 14 e 15/07, e a partir da noite de sexta-feira (16/07), as temperaturas entraram em declínio, com ventos de rajadas mais intensas que paralisaram o desenvolvimento das olerícolas, principalmente nos sistemas de produção a campo. Ainda assim, estão normais a oferta e as atividades de comercialização nas feiras livres. Nos principais macroatacados e atacarejos da região, as olerícolas são ofertadas continuamente com preços promocionais, bastante competitivos se comparados aos preços praticados em dias sem promoção em tais estabelecimentos comerciais. A oferta de beterraba diminuiu. A colheita da batata-doce está sendo encerrada; preços estáveis. Em Rio Grande, o alho está todo plantado, já na fase de desenvolvimento vegetativo e recebendo as primeiras adubações em cobertura e os tratamentos fitossanitários para o manejo de pragas e doenças.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.