Safra de algodão em Minas pode dobrar em 2018

Algodão

Safra de algodão em Minas pode dobrar em 2018

Safra de algodão em pluma deve crescer acima de 48,15% em relação ao ano passado de acordo com a Amipa
Por:
506 acessos

A safra de algodão em pluma deve crescer acima de 48,15% em relação ao ano passado de acordo com a Associação Mineira dos Produtores de Algodão (Amipa), que também anunciou crescimento na área plantada em 59,49%. O cultivo do algodão é comemorado pelos produtores rurais pela estabilidade de mercado.

Em Uberlândia parte da cadeia produtiva é representada pela Central de Classificação de Fibra de Algodão e a Fábrica de Produtos Biológicos. Segundo o diretor executivo da Amipa, Lício Augusto Pena de Sairre, a safra atual cresceu cerca de 10 mil hectares. Para eles, os produtores se interessam pelo plantio devido ao preço estável. “O algodão está com um bom preço há três safras, diferente de outras culturas como soja e milho. É um investimento seguro”, contou Sairre, que recebe amanhã o embaixador de Israel, Yossi Shelley (Leia na Página A4, na coluna Radar Diário).

Luiz Eduardo Silveira é engenheiro agrônomo e no ano passado decidiu começar a trabalhar com algodão num plantio a 165 km de Uberlândia, já em terras do Coromandel. “Nosso grupo plantou uma área de 280 hectares, a lavoura teve um ótimo desenvolvimento, com chuvas abundantes. Planejamos aumentar a área cultivada para 1.000 hectares na próxima safra”.

Mesmo com um ciclo longo, o grupo de Silveira decidiu investir no novo negócio. “A cultura do algodão tem um grande valor agregado, possui um ciclo em torno de 180 dias e exige mais equipamentos e pessoas trabalhando no campo”, contou.

Já Paulo Henrique de Faria é produtor de algodão em Pirapora, que fica a 465 km de Uberlândia, e está em sua segunda safra. “Eu decidi começar a plantar algodão pela questão financeira. A lucratividade é bastante interessante e a região é promissora para a cultura”, disse.

A fazenda de Faria está localizada no norte de Minas, próxima a indústrias têxteis e isso facilita as vendas, mesmo que a safra de algodão aconteça apenas uma vez ao ano. “Notei um grande crescimento na plantação neste ano e já estou fechando vendas do algodão da próxima safra, que só acontece em 2019.”
 
A Amipa conta com cerca de 150 famílias de agricultores associadas em todo o estado. “Nós lançamos o Programa de Incentivo ao Algodão Mineiro, temos produtores de todo tamanho e muitas vantagens. Realizamos combate e monitoramento de pragas, fazemos toda a certificação da fazenda, a comunicação visual e também cuidamos da parte de vendas e comercialização da pluma do algodão”, contou Sairre.

Empregos

Sairre contou que as indústrias têxteis do estado utilizam o algodão colhido aqui em sua produção, e isso favorece todo o mercado. “Esse crescimento gerou muitos empregos em safras de algodão no interior do estado.” De acordo com dados da Amipa, cada nova usina pode gerar cerca de 50 empregos, e também promover crescimento na economia local, aumento na demanda de frete e também comércio de outros derivados do algodão, como o caroço.

A indústria têxtil mineira é a quarta maior no Brasil e se destaca na exportação de sua produção de pluma para Turquia, o Vietnã, a China, a Índia e Bangladesh.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink