Safra de feijão terá área e produção maiores
CI
Imagem: Marcel Oliveira
CULTIVO

Safra de feijão terá área e produção maiores

O maior produtor nacional, o Paraná, terá avanço de quase 30% em sua safra
Por: -Eliza Maliszewski

O avanço é pequeno mas representa uma safra de feijão 0,7% maior em área e 0,9% maior em produção. São esperadas 3.250 milhões de toneladas em 2.945 milhões de hectares, nas três safras, somando as variedades cores, preto e caupi. O maior produtor nacional, o Paraná, terá avanço de quase 30% em sua safra, com expectativa de 749,7 mil toneladas. Os dados são do 5ª Levantamento da Safra de Grãos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 

A cultura é considerada de ciclo curto e, por isso, apresenta uma vantagem para o produtor, que consegue adequar o seu plantio dentro de uma janela menor, sem ter que abrir mão da produção de outros grãos ainda no mesmo ano-safra. No Brasil há três épocas distintas de plantio, favorecendo assim uma oferta constante do produto ao longo do ano. A primeira safra é semeada entre agosto e dezembro, a segunda safra entre janeiro e abril e a de terceira safra, de maio a julho. 

O primeiro ciclo da temporada 20/21 está com a colheita em andamento nos quase 920 mil hectares destinados à cultura no período. A produção esperada está na ordem de 1.033,6 mil toneladas, somando os feijões do tipo comum cores, comum preto e caupi. A estimativa indica redução de 6,5% em relação à safra passada. Como motivo estão as oscilações climáticas registradas ao longo do ciclo na Região Sul e na Bahia.

No início de 2021 começou a implantação das primeiras lavouras de feijão segunda safra. É o período que direciona a maior porção de área para tal cultivo, além de apresentar os maiores índices produção em comparação a primeira e terceira safras. A estimativa atual é de 1.431 mil hectares, avanço de 0.9% com perspectiva de obtenção de 1.408 mil toneladas do grão ou 13% a mais. 

Para a terceira safra a expectativa é manter a área plantada em 588 mil hectares e uma produção de 808 mil toneladas, um recuo na casa de 7%.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink