SC: Chapecó define setores estratégicos do ecossistema de inovação
CI
Imagem: Divulgação
INOVAÇÃO

SC: Chapecó define setores estratégicos do ecossistema de inovação

O objetivo é estimular o empreendedorismo, fortalecer o ecossistema de inovação e unir diferentes atores
Por:

Tecnologia, informação e comunicação (TIC); saúde; máquinas e equipamentos e agronegócio foram os quatro setores prioritários definidos durante o Workshop I do Planejamento de Ecossistema Local de Inovação (ELI) de Chapecó. Nessa etapa os trabalhos estiveram direcionados para o mapeamento das informações, a identificação dos setores estratégicos e a verificação dos principais atores do município.

O evento foi realizado na Sala Multiuso do CIAD DOWNTOWN, no centro. Participaram aproximadamente 50 profissionais, que integram o ecossistema de inovação e empreendedorismo do município. A iniciativa é do Sebrae/SC, em parceria com o Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, entidades, empresas e Administração Municipal. O objetivo é estimular o empreendedorismo, fortalecer o ecossistema de inovação e unir diferentes atores para fomentar negócios inovadores.

“Encerramos uma fase nessa trajetória para fortalecer o ecossistema local de inovação de Chapecó. Apresentamos uma síntese dos dados coletados com o setor, as universidades, o governo, as instituições do terceiro setor que expressa a vontade dessa categoria. Com os quatro setores estratégicos definidos temos um direcionamento para conduzir as próximas etapas e para formar a governança que contribuirá nesse processo”, explicou o consultor credenciado ao Sebrae/SC, Américo do Nascimento Júnior.

Segundo ele, ainda durante este mês serão entrevistadas algumas entidades e empresas que foram indicadas no Workshop I. Os próximos passos de execução do projeto serão a definição efetiva das ações e de quem será responsável por desenvolver, posteriormente, será elaborado um plano de trabalho. “Os relatos dos envolvidos comprovam a importância dessa iniciativa, que chegou em momento oportuno no pós-pandemia e que o mercado ajudará a ajustar para criar cooperação e desenvolvimento no setor”, analisa o consultor.

Para o diretor executivo do Pollen Parque e presidente do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, Rodrigo Barichello, a definição dos setores estratégicos contribuirá para que nos próximos anos sejam alinhadas ações em conjunto e coordenadas entre os atores do ecossistema de inovação e empreendedorismo do município. “Ainda temos três workshops que acontecerão até o mês de setembro, assim teremos mapeado todos os setores para criar um plano de ação e colocar as atividades em prática”, comenta.

O gerente regional do Sebrae/SC no oeste, Udo Martin Trennepohl, reforça que pela identificação dos setores produtivos regionais prioritários e estratégicos é possível promover o desenvolvimento de um ecossistema de inovação local. “O propósito é estimular novos negócios que sejam duradouros, atendam às necessidades da região e contribuam para o desenvolvimento territorial”, enfatiza.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.