SC: exportação de maçã cresce 112% em valor
CI
Imagem: Pixabay
VENDAS

SC: exportação de maçã cresce 112% em valor

s vendas ao exterior fazem parte da estratégia do setor de diversificar a comercialização
Por: -Eliza Maliszewski

O crescimento das exportações maçã em Santa Catarina alcançou uma alta de 112% em valor. No primeiro trimestre de 2021 o valor alcançado com as vendas externas da fruta foi de US$ 23,21 milhões, com um volume de 30,20 mil toneladas da fruta, avanço de 89%. Os dados constam no Boletim Agropecuário de abril, divulgado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri).

No comparativo com os últimos cinco anos os valores e volumes exportados neste ano são de 40% a 190% maiores. Com a taxa de câmbio favorável a exportação e a demanda interna retraída, com medidas de controle da pandemia e recessão na economia, a estratégia é escoar a produção para o mercado externo. 

O Rio Grande do Sul participou com 91,3% do valor negociado e 90,8% do volume das exportações brasileiras, nos três primeiros meses de 2021. Enquanto o estado catarinense participou com 8,5% do valores das exportações e 9,2% do volume exportado de maçãs. Os principais destinos das frutas brasileiras, no trimestre, foram: Índia com 10,5 mil toneladas (73%) e US$ 8,5 milhões (75%); Bangladesh com 3,3 mil toneladas (23%) no valor de US$ 2,5 milhões; e Federação Russa com 491,2 toneladas e valor de US$ 335 mil. 

Com a colheita da maçã Fuji a estimativa da produção aumentou, houve adequação nos volumes para a safra 2020/21. Desse total estadual, estima-se que 53,1% sejam de produção de maçã Gala, 45,3% de maçã Fuji e 1,7% de maçãs precoces.

Em relação ao mercado interno na Ceasa/SC, entre fevereiro e março houve nova desvalorização nos preços da maçã categoria 1 de 24,2%, pois, já havia desvalorizado 17,5% entre janeiro e fevereiro de 2021. No mercado a oferta da fruta está elevada com pressão para desvalorização nos preços médios. No comparativo com os anos anteriores, a cotação de março está desvalorizada 35,2% para categoria1, 40,2% para categoria 2 e 41,8% para categoria 3. Na Ceagesp, entre fevereiro e março o preço da maçã catarinense foi desvalorizado em 27,1%, com a expectativa de entrada da maçã Fuji no mercado atacadista e aumento da oferta.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.