Agronegócio

Semente contribui em 30% na produção no Ceará

A Coordenadoria da Agricultura de Sequeiro do Estado avalia a importância da semente selecionada na produtividade agrícola
Por: -Redação
1 acessos

A Secretaria da Agricultura e Pecuária do Estado (Seagri) avalia como realista a meta ideal de produtividade para o milho e o feijão preconizada por professores da Universidade Federal do Ceará. O titular da Coordenadoria de Agricultura de Sequeiro, Itamar Lemos Marques, vai mais além. Afirma que em muitas localidades de municípios do Cariri, Crateús e Baturité, agricultores superaram a meta e chegaram a 8 mil kg/ha.

A semente, segundo explica, baseado em dados técnicos, é responsável pelo acréscimo de pelo menos 30% na produção e produtividade agrícola. Mas somente isso não basta para o sucesso na lavoura. Para ele, a mudança de comportamento do agricultor, observando um pacote de tecnologias, como o plantio direto, captação “in situ”, adubação, calagem (correção do solo), são fatores preponderantes para a produtividade.

Como causa para diminuição da produtividade Lemos aponta o plantio consorciado milho/feijão. “Lógico que isso contribui para não alcançarmos as metas excelentes, porque a produção fica pela metade para cada cultura”.

Vale ainda salientar, segundo afirma, outros dois fatores de sucesso para o Estado ter sementes cada vez melhores e adaptadas ao clima semi-árido. O primeiro, destaca, é que anualmente, por meio de convênio firmado entre Seagri e a UFC, pelo seu Centro de Ciências Agrárias, são testadas as sementes em ensaios de cultivares. A pesquisa orienta a Secretaria para a aquisição dos materiais que melhor se comportaram. O segundo é a existência, no Estado, da Associação de Produtores de Sementes e Mudas, responsável atualmente por 80% da produção dos tipos utilizados pelos agricultores cadastrados no Hora de Plantar.

Este programa governamental investiu R$ 6,5 milhões na aquisição de sementes selecionadas de milho e feijão em 2006 — foram distribuídas 2,2 milhões de sementes, sendo 1,6 milhão de milho e 603 mil de feijão.

Para a Ematerce, a redução da área plantada em 2006 em 9%, comparativamente a 2003, teve como causa principal a falta de confiança dos agricultores em um bom inverno, o que se confirmou somente a partir de março. Mesmo assim, analisa o Centro Gerencial do órgão, é possível atingir as metas ideais em pouco tempo.

A Ematerce, como órgão executor das políticas agrícolas do governo estadual, já iniciou a distribuição de sementes nos municípios dos Agropolos do Cariri, Cariri Leste e Cariri Oeste. Em seguida, receberão as sementes os Agropolos Maciço do Baturité, Ibiapaba e Centro Sul. Os demais serão atendidos conforme cronograma já estabelecido.

Para 2007, está previsto um acréscimo de 5% para as sementes de feijão, totalizando 690 mil kg a serem distribuídos, e 21% para as sementes de milho, 1,9 milhão de kg, o que possibilitará um aumento na quantidade de agricultores beneficiados.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink