SENAR-PR prepara instrutores para otimizar a aprendizagem no campo
CI
Imagem: Eliza Maliszewski
EVENTO

SENAR-PR prepara instrutores para otimizar a aprendizagem no campo

SENAR-PR levou a campo mais de 2,5 mil cursos ao longo de 2020
Por:

Mesmo em um ano de pandemia, o SENAR-PR levou a campo mais de 2,5 mil cursos ao longo de 2020, alcançando 44 mil produtores e/ou trabalhadores rurais capacitados. Esse conhecimento só chega à ponta graças aos instrutores. Neste ano, esses agentes do saber estão passando pela segunda fase de um treinamento para otimizar a condução das turmas, facilitando a aprendizagem em todo o Paraná. Chamada “Aspectos de condução de grupo”, a capacitação já foi aplicada a 11 turmas de instrutores e outras quatro turmas vão acontecer em agosto.

O treinamento foi dividido em quatro etapas. A primeira, de oito horas-aula, ocorreu entre agosto e setembro de 2020, de forma online. Nesta segunda fase, as aulas são presenciais, com carga de 24 horas-aulas. O foco da capacitação, conduzida por Celso Garcia, consultor em desenvolvimento de competências do Sebrae-PR, é dar aos prestadores de serviço instrumentos que possam otimizar o trabalho desempenhado em sala de aula, envolvendo conceitos de dinâmica de grupo, estrutura de treinamento e o papel do facilitador.

“Os instrutores são os grandes responsáveis por fazer com que o conhecimento chegue, efetivamente, ao nosso público: produtores rurais, seus familiares e trabalhadores. Então, é fundamental que eles possam, de forma constante, passar por processos de atualização, de forma a melhorar cada vez mais a qualidade dos nossos cursos”, aponta a superintendente do SENAR-PR, Débora Grimm.

“O objetivo da capacitação voltada aos instrutores é aproximá-los dos conteúdos relacionados à condução de grupos, de forma a fornecer a eles ferramentas que os auxiliem a desempenhar o papel de facilitadores em sala de aula”, diz a técnica Tatiana de Albuquerque Montefusco, do Departamento Técnico (Detec) do Sistema FAEP/SENAR-PR.

Essa iniciativa já tem feito a diferença no desempenho de quem leva conhecimento ao campo. Instrutor do SENAR-PR desde 2002, Éder Ribeiro da Rosa ministra cursos de ferrageamento, doma racional e manejo. Ele já passou pela segunda etapa do treinamento e já está empregando em sala de aula o que aprendeu, melhorando a sua interação com os alunos.

“O treinamento foi fantástico, excelente. Estou ministrando um curso de ferrageamento e já apliquei o que aprendi. São conceitos e técnicas que estão facilitando o relacionamento com a turma e fazendo com que o conhecimento chegue de forma mais efetiva à turma”, ressalta. “Por exemplo, antes, quando eu via que o aluno estava com uma dificuldade, eu já corria para ajudar. Agora, deixo ele tentar pensar um pouco mais, buscar a solução por ele mesmo. Quando ele constrói a saída na dificuldade, o conhecimento fica mais sólido”, aponta o instrutor, que mora em Jaboti, Norte Pioneiro.

Outro instrutor do SENAR-PR, Rafael Andrzejewski também já está pondo em prática conceitos abordados no treinamento. O profissional aponta o conteúdo relacionado à condução de grupo como um dos principais pontos da capacitação. No treinamento, ele destaca que cada participante fez uma apresentação à turma, que foi gravada e analisada, como forma de melhorar a performance de cada instrutor.

“Gostei de ver a minha gravação e do feedback, de ver o que eu estava fazendo de certo e em que eu estava errando. Para mim, mudou muita coisa. A forma de interagir com os participantes, de gerar mais interesse e fazer com que eles também interajam com os colegas, em torno do conteúdo”, elenca Andrzejewski.

Segundo Tatiana, os retornos dados por Andrzejewski e Rosa não são casos isolados. A equipe tem recebido vários contatos de participantes, que relatam a importância de terem participado do treinamento. Para a técnica do Sistema FAEP/SENAR-PR, isso revela que a capacitação tem sido bem-sucedida.

“Muitos instrutores têm entrado em contato para relatar o quanto a capacitação tem os ajudado a atingir melhores resultados em sala de aula, como uma maior atenção dos participantes, níveis altos de motivação para o aprendizado, interação e o alcance dos objetivos educacionais propostos”, ressalta.

Outras etapas

Após a segunda etapa, a terceira e quarta fases estão programadas para ocorrer a partir de setembro deste ano. Ambas terão duração de oito horas- -aula e serão realizadas na modalidade presencial. Os encontros também serão conduzidos por Celso Garcia, com conteúdo teórico e prático. “Ao fim de todas as etapas, os instrutores serão capazes de compreender os princípios da andragogia, ou seja, a forma como os adultos aprendem, e poderão utilizar as técnicas de condução de grupo para promover um maior aprendizado dos participantes”, diz Tatiana.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.