Sistema ILP alia rendimento com menor risco
CI
Agronegócio

Sistema ILP alia rendimento com menor risco

Especialista afirma que sistema que integra criação de gado com a lavoura, gera mais rentabilidade e poucas chances de prejuízo
Por:

O sistema de Integração Lavoura e Pecuária (ILP) – Plantio Direto, que vem sendo implantado como novo sistema de produção em Mato Grosso e diversas outras regiões do país, é uma garantia de maior rentabilidade com menor risco. A afirmação é do engenheiro agrônomo Mateus Arantes, pecuarista e consultor, que palestrou no Curso Integração Lavoura e Pecuária – Plantio Direto, realizado na semana passada em Sorriso.

De acordo com o consultor, o sistema de ILP viabiliza a agricultura porque gera maior rentabilidade e menor risco ao produtor com melhoria do plantio direto através do gado na lavoura. “O gado oferece uma segurança de receita e ainda resolve alguns problemas da agricultura”, ressaltou Arantes, lembrando que a introdução da pecuária melhora muito as condições de sanidade da soja e a estrutura do solo.

Entretanto, o êxito deste novo sistema de produção só pode ser alcançado a partir do que o especialista chama de pós-porteira. “Fazer a integração lavoura e pecuária na propriedade é fácil, o diferencial está em viabilizar este sistema economicamente”, ressaltou Arantes, lembrando dos aspectos fundamentais a serem seguidos pelo produtor que já aderiu ao sistema ou àquele que pretende iniciar a ILP em sua propriedade.

A profissionalização do produtor e a busca por informações e assistência especializada são alguns dos aspectos preponderantes apontados pelo especialista. “Ainda sabemos muito pouco sobre comercialização, contratos, administração de riscos e gerenciamento eficiente”, enumerou o consultor, salientando que ainda é preciso fazer um comparativo sobre a rentabilidade da terra em relação aos outros sistemas de produção.

Além disso, segundo o especialista, é preciso que o produtor saiba lidar com a política agrícola nacional para controlar a oferta de produto no mercado. “O produtor precisa ter um mecanismo eficiente para fazer este controle e, com isso, garantir bons preços”, explicou Arantes, lembrando que esta eficiência só pode ser alcançada com a constituição de fortes lideranças que possam apontar o momento certo de continuar ou parar a produção. “Temos que saber quanto de soja e de boi precisamos colocar no mercado para o preço não cair”, finalizou .

O curso Integração Lavoura e Pecuária – Plantio Direto foi promovido pelo Clube Amigos da Terra de Sorriso e Clube Amigos da Terra Parecis, de Tangará da Serra, juntamente com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Associação de Plantio Direto no Cerrado (APDC). A Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente e o Sindicato Rural de Sorriso também foram parceiros do evento.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink