Sistema operacional do Paranaguá serve de modelo para o Pecém
CI
Agronegócio

Sistema operacional do Paranaguá serve de modelo para o Pecém

O Porto do Pecém é o maior exportador de frutas do Brasil
Por:
Técnicos do porto do Pecém, no Ceará, estiveram nesta terça-feira (29) no Porto de Paranaguá. Três diretores do terminal vieram conhecer de perto o sistema de produtividade mínima adotado pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), bem como o sistema de cobranças tarifárias.

Com apenas nove anos de atividade, o Porto do Pecém possui pouca experiência no estabelecimento de normas operacionais, o que fez com que um grupo de diretores visitasse Paranaguá para conhecer melhor o sistema operacional adotado.

Eles foram recebidos pelo superintendente Airton Vidal Maron. “Consideramos sempre muito importante esta troca de experiências com outros portos. Para nós é uma honra poder dividir nossa experiência e ajudar no que pudermos. Por outro lado, sempre podemos também aprender nesta troca de informações. Eles estão instalando um sistema de monitoramento e segurança bastante semelhante ao que estamos implantando em Paranaguá. Podemos aprender também com a experiência deles”, disse Maron.

Além de informações técnicas operacionais, os diretores do porto do Pecém também vieram buscar informações sobre os sistemas de arrendamentos e contratos, nos quais Paranaguá possui mais experiência.

O Porto do Pecém é o maior exportador de frutas do Brasil. De acordo com o diretor de desenvolvimento comercial do Porto, Francisco Gomes Oliveira, 43% das frutas brasileiras são exportadas pelo terminal cearense e o principal destino é a Europa.

Considerando o total de cargas movimentadas por Pecém, os contêineres dominam a operação, com 50% do volume total. Além disso, são movimentados minérios, produtos siderúrgicos e gás natural.

Em 2011, o Porto do Pecém deve fechar o ano com a movimentação de 3,8 milhões de toneladas de mercadorias. Os portos de Paranaguá e Antonina, até hoje, já movimentaram 37 milhões de toneladas de mercadorias, devendo ultrapassar o volume registrado em 2010, que foi de 38 milhões de toneladas.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.