Soja sem evolução nos preços e indústrias abastecidas
CI
Imagem: Divulgação
COTAÇÕES

Soja sem evolução nos preços e indústrias abastecidas

Enquanto isso, o Paraná passa por um dia sem mudanças de preços ou negócio
Por: -Leonardo Gottems

O mercado da soja do estado do Rio Grande do Sul registrou dia sem evolução nos preços, com indústrias abastecidas no curto prazo, de acordo com informações que foram divulgadas pela TF Agroeconômica. “No interior os preços subiram no início da colheita, acima dos R$ 200/saca, porque a safra tinha quebrado forte e as indústrias precisavam garantir a sua disponibilidade a despeito da exportação. Passada esta fase, as ofertas escassearam, houve mais ofertas de fora do estado e as indústrias estão relativamente tranquilas, por enquanto, até uma nova rodada de compras”, comenta a consultoria.

Em Santa Catarina o preço sobe 1,63%, contrariando as tendências. “Em SC de forma os preços subiram e saíram negócios. Movimentação curiosa visto que nos demais dias em que os outros mercados respondiam SC fez silêncio. Os negócios do dia foram efetuados a R$ 187,00, valor base em São Francisco do Sul. Em Joaçaba se manteve em terreno positivo a R$ 183,50. Ademais, a colheita segue travada em 62%, mas espera-se que a partir de amanhã com melhores previsões de tempo retorno a todo vapor”, completa.

Enquanto isso, o Paraná passa por um dia sem mudanças de preços ou negócio. “O dia de hoje foi fechado com um mercado totalmente morno, isso foi visto no Brasil inteiro, se devendo em especial à quase ausência de demanda e às fraquíssimas mudanças nas cotações. No caso do PR, nenhuma região atualizou os preços, espera-se agora que situação siga sem muitas mudanças até que passe o feriado”, indica.

“Assim como o porto, o interior ficou se novos movimentos, a relação Porto e Ponta Grossa vista na tabela ao lado segue sem passar por atualizações desde segunda-feira, alcançando uma consolidação dentro dos limites citados anteriormente. O mercado segue ganhando considerável força devido ao conflito russo-ucraniano que afeta toda a disposição energética no mundo dando nova importância ao petróleo e ocasionando elevação de preços de mercadorias relacionadas, incluindo o óleo das oleaginosas”, conclui.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.