Tarde de campo reúne agricultores de Dois Lajeados

Agricultura Familiar

Tarde de campo reúne agricultores de Dois Lajeados

Como parte das ações do PGSAF, a Emater/RS-Ascar de Dois Lajeados realizou na sexta-feira (26/10) uma tarde de campo na propriedade da família Faciochi
Por:
60 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

Como parte das ações do Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar (PGSAF), a Emater/RS-Ascar de Dois Lajeados realizou na sexta-feira (26/10) uma tarde de campo na propriedade da família Faciochi, que fica na localidade de Linha Fernando Abott. Na ocasião, em três estações de trabalho foram discutidas a sanidade animal, a produção de lácteos para autoconsumo e os resultados alcançados pelo Programa, política pública que é operacionalizada pela Emater/RS-Ascar por meio de convênio com a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR).

Na primeira estação, o assistente técnico regional em Sistema de Produção Animal da Emater/RS-Ascar, Martin Schmachtenberg, falou da importância da qualidade do leite como diferencial não apenas para a indústria, mas para o consumidor, que exige um produto cada vez melhor. ?Fora o fato de que um rebanho sadio, bem alimentado e com boa genética certamente representará renda a mais para o bovinocultor?, comentou. Em seguida a extensionista da Emater/RS-Ascar, Rossana Signor da Silva, destacou a elaboração de lácteos, como queijo, iogurte e manteiga, como uma forma de aproveitar o produto da propriedade.

Na estação sobre os resultados alcançados pelo PGSAF, na propriedade, o extensionista da Emater/RS-Ascar Fábio Balerini salientou as ações que fizeram com que o rebanho da família Faciochi saltasse de uma produtividade média anual de 55 mil litros de leite em 2014 para mais de 100 mil litros de leite em 2018. ?De lá para cá foram uma série de melhorias que envolveram desde a criação das terneiras, com acompanhamento do crescimento, passando pela adequação das instalações, com construção de uma sala de ordenha, até chegar ás mudanças na alimentação e no manejo sanitário?, enfatizou Balerini.

?O que ocorria é que não tínhamos conhecimento dos parâmetros da qualidade do leite, não fazíamos anotações de despesas e receitas ou qualquer tipo de controle?, observa o anfitrião da tarde, o agricultor Daniel Faciochi. Para o produtor, ações como o balanceamento da dieta para os animais, ou mesmo o melhoramento genético, fizeram toda a diferença. ?A gente não mudou muito o número de animais?, explica. ?O que mudou e o que fica de lição do Programa é a busca permanente por qualificação, já que muitas das ações aqui desenvolvidas também foram frutos do nosso envolvimento em palestras, reuniões e outros?, avalia.

Representando o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli, o supervisor Cezar Burille, afirmou que, no Estado, o programa atende 40 mil famílias, visando a apoiar os participantes em ações que permitam o aumento da renda, a racionalização dos custos de produção, a redução da penosidade no trabalho, o planejamento da propriedade como um todo, a sustentabilidade e o acesso a políticas públicas. Em Dois Lajeados, a política pública alcançará 50 famílias até 2019 com a intenção de coletar indicadores sobre a evolução das condições econômicas, ambientais e sociais dos beneficiários.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink