Trabalho de recuperação de nascentes beneficia comunidade rural do Centro-Oeste de Minas
CI
Imagem: Divulgação
AGRONEGÓCIO

Trabalho de recuperação de nascentes beneficia comunidade rural do Centro-Oeste de Minas

Projeto no município de Igaratinga é desenvolvido pela Emater-MG e parceiros
Por:

Uma parceria firmada entre Emater-MG, órgão vinculado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, prefeitura, Copasa e produtores rurais permitiu a criação de um projeto para driblar a escassez de água que estava ocorrendo na comunidade de Buracão, no município de Igaratinga, região Centro-Oeste de Minas Gerais. O trabalho participativo foi iniciado em 2018 e visa à preservação ambiental, por meio da proteção de nascentes.

O técnico da Emater-MG, Virgínio Neto, conta que por meio da parceria foi possível a formação do Coletivo Local de Meio Ambiente (Colmeia), cujo objetivo é direcionar e acompanhar as atividades implantadas nas propriedades rurais. De forma bem democrática, as ações foram escolhidas pelos próprios produtores rurais que receberam as benfeitorias, fortalecendo o projeto

Entre as atividades estão o cercamento de nascentes, plantios de mudas nativas em áreas de preservação ambiental, construção de terraços e de barraginhas para captação de água da chuva.

O assistente socioambiental da Copasa, Jonathan Ribeiro, explica que a entidade apoiou o projeto por meio do Programa Socioambiental de Proteção e Recuperação Mananciais (Pró-Mananciais), que tem o objetivo de proteger e recuperar as microbacias hidrográficas e as áreas de recarga dos aquíferos.

Ribeiro relata que este projeto desenvolvido na Comunidade do Buracão tem beneficiado os produtores rurais e também melhorado a qualidade da água que abastece o município. Em meados de 2017, foi assinado um termo de Cooperação Técnica entre a Emater-MG e a Copasa com o objetivo de desenvolver ações de preservação nas sub-bacias hidrográficas do estado.

O agente fiscal da prefeitura de Igaratinga, Alexandre de Faria Silva, falou sobre o local escolhido para as ações e cita o motivo do sucesso em apenas dois anos de atividades. “Nós elencamos a microbacia do Ribeirão Mateus e o sucesso da ação se deve à parceria dos agentes transformadores locais”, afirma.

O pecuarista do sítio Canto da Seriema, Alvimar Oliveira, comemora a melhoria proporcionada pelo projeto. “Eu não tinha água, meu pasto ficava bem seco, e hoje a água mina aqui”.

Segundo o técnico Virgínio Neto, o programa teve mais de 25 propriedades atendidas, mas a meta é ampliar as ações.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.