Trigo: mercado à espera das safras
CME MILHO (DEZ/20) US$ 3,650 (0,00%)
| Dólar (compra) R$ 5,55 (0,74%)

Imagem: Pixabay

COTAÇÕES

Trigo: mercado à espera das safras

Em Santa Catarina foram registrados apenas pequenos negócios
Por: -Leonardo Gottems
367 acessos

De acordo com os analistas da T&F Consultoria Agroeconômica, o mercado de trigo do Rio Grande do Sul está retraído, sentindo a passagem das safras. “No mercado de lotes, os preços do trigo disponível continuam estáveis no Rio Grande do Sul, com compradores a R$ 1.220,00 nas Missões e  vendedores  a R$1.340,00/t FOB para trigo branqueador e R$ 1.300,00/t FOB para trigo pão, mas com baixíssima disponibilidade de ofertas”, comenta. 

Em Santa Catarina foram registrados apenas pequenos negócios de sobra de sementes, novamente. “As indicações de preço para o trigo no mercado de lotes em Santa Catarina continuam entre R$ 1.250/1.300 FOB, mais frete e ICMS, para sobra de semente.  Para o produtor, no mercado de balcão recuou para R$ 57,50, contra R$ 60,00, anterior em Campos Novo; manteve R$ 50,00 em Concórdia e Joaçaba, R$ 55,00 em Pinhalzinho e Mafra e R$ 54,50 em Xanxerê”, indica. 

No Paraná, o mercado está na expectativa da colheita. “Trigo Futuro no Paraná, poucas ofertas. Houve reportes a R$ 1.050,00 FOB no Norte do estado para setembro e de R$1.050/t CIF Moinho também no Paraná.  Moinhos indicam R$ 1.000,00/t. no setembro FOB. Há demanda para agosto, ideia de moinho entre R$ 1150/1170 Cif nos Campos Gerais e R$ 1.100,00 CIF para setembro sendo uma referência geral, mas é possível que esteja rodando acima deste preço”, completa. 

“O comparativo semanal que fazemos do trigo argentino registra que os preços do trigo de safra nova subiram entre 1 e 3 dólares por tonelada na semana. Os últimos meses de safra velha e os preços a partir de abril se mantiveram inalterados. Preços do trigo paraguaio em 2019 e 2020 continuam inalterados ao redor de US$ 245 no Oeste do PR e US$ 205 no sul do Mato Grosso do Sul, enquanto a moeda brasileira fecha a sessão de hoje com desvalorização de 1,15% em R$5,22/dólar”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink