UE apoia competitividade do setor cafeeiro na Etiópia

CAFÉ

UE apoia competitividade do setor cafeeiro na Etiópia

O financiamento será usado para prevenir doenças do café
Por:
49 acessos

A União Europeia (UE) forneceu 15 milhões de euros (cerca de US$ 16,5 milhões) para apoiar a competitividade do setor cafeeiro da Etiópia. Em uma entrevista coletiva realizada no dia 5 de setembro, a Ministra da Agricultura da Etiópia, Sani Redi, disse que o financiamento contribuirá para melhorar a produtividade do café ao enfrentar os desafios que do setor.

A Agência de Notícias da Etiópia relata que o financiamento será usado para prevenir doenças do café, fornecer grãos resistentes a doenças e apoiar pesquisas. Redi disse que isso ajudará a agregar valor ao café sendo exportado de 28 locais de produção de café (distritos).

Os grãos são a exportação mais importante da Etiópia. De acordo com o adido do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em Addis Abeba, a Etiópia deverá exportar o volume recorde de 240 mil toneladas de café em 2019/20.

A produção de café deverá subir para 7,35 milhões de toneladas em 2019/20, um aumento de 1,4% em relação à temporada 2018/19. As exportações representam pouco mais da metade da produção geral e devem crescer 0,5% em 2019/20 em relação ao ano anterior, atingindo quatro milhões de sacas de 60 kg.

O USDA disse que os exportadores etíopes estão enfrentando um aumento na regulamentação, com o governo proibindo vários exportadores nos últimos meses por não cumprirem seus contratos e acumular grãos.

Embora as ofertas sejam maiores este ano, graças aos rendimentos mais altos devido às melhores chuvas e à menor prevalência de doenças, o rendimento previsto pelo USDA de 0,82 toneladas por hectare fica bem abaixo da meta do governo de 1,1 toneladas por hectare.

O departamento acrescenta que a produção continua a enfrentar a ameaça mais ampla de agricultores mudarem para outras culturas. “Um dos principais desafios que o setor cafeeiro etíope está enfrentando é que muitos produtores de café, principalmente do leste do país, estão arrancando os arbustos de café e substituindo-os pelo khat, uma planta com propriedades estimulantes”, afirma o USDA em um comunicado.

Enquanto isso, a demanda doméstica na Etiópia, principal consumidor de café da África, deverá permanecer robusta, com o USDA prevendo que o consumo etíope aumentará 2,4% em 2019/20 em comparação a 2018/19.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink