Universidade Federal de Lavras (MG) debate rotatividade com milho


Agronegócio

Universidade Federal de Lavras (MG) debate rotatividade com milho

Por: -Admin
1 acessos

O aproveitamento de áreas rurais utilizadas no cultivo de milho, para a realização de um plano de rotatividade visando o aumento no plantio e na produção de soja. Com este objetivo, além da divulgação das diversas tecnologias envolvidas na manutenção da cultura do grão em Minas Gerais (principalmente no sul), a Universidade Federal de Lavras (Ufla) estará realizando em seu campus, nos dias 10 e 11 deste mês, o VI Encontro Técnico da Cultura do Milho. O amplo crescimento previsto para as safras deste ano, bem como a demanda crescente registrada no sul do Estado, levam especialistas a mudarem a prática de monocultura na região e consequentemente tentarem uma expansão da economia agropecuária mineira. "O que pretendemos é conscientizar o agricultor que planta o milho e realiza a colheita, nos meses de outubro e novembro, deixando sua terras inativas após isso, a utilizá-las no plantio de soja", explica o professor do Departamento de Agricultura da Ufla, Renzo Von Pinho.

O processo é relativamente simples. Segundo Pinho, basta aos produtores e empresários mineiros acreditarem na iniciativa para que as safras subsequentes à nova interação de culturas rendam cada vez maiores índices de faturamento para as regiões. "O custo não é alto. Só aqui no sul do Estado produzimos 11 mil kilos de soja por hectare plantado, superando inclusive o que é colhido pelos Estados Unidos (7mil/hec). Além disso, se analisarmos a qualidade de nutrição dos pés plantados, veremos que a soja, após ser plantada e colhida pode deixar nitrogênio no solo para pés de milho que virão, enquanto estes, disponibilizam potássio para o grão sucessor. É um ciclo, ou seja, uma rotação de culturas", esclarece o professor.

Além de tentar implantar a nova tendência agrícola, o Encontro contará com palestras e painéis sobre tecnologias de ponta e demonstrações de campo - estas relativas exclusivamente ao milho. Renomados técnicos irão abordar tópicos tais quais: "Perspectivas de produção e mecanismos de comercialização de milho"; "Como se desenvolve a planta de milho"; "Apresentação dos resultados do campo de demonstração de cultivares de milho"; "Antecipação da adubação nitrogenada no milho", dentre outros.

Segundo o professor, a soja e o milho são, atualmente, os investimentos de melhor perspectiva, já que a decadência na produção do café no sul do Estado e o aumento da demanda por estes grãos estimula uma mudança de objetivos. "O milho, além da soja, é uma cultura de grande retorno, pois é de fácil comercialização, tem seu cultivo e manutenção amplamente maquinizado, baixo custo de produção e ainda pode ser utilizado na subsistência", afirma Pinho.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink