CRESCIMENTO

USDA: Equador é mercado promissor de etanol

Biocombustível está em 40% dos postos do Equador
Por: -Leonardo Gottems
424 acessos

Um novo estudo do Departamento da Agricultura dos Estados Unidos (USDA) afirma que os mercados latino-americano em geral possuem um grande potencial para aumentar a demanda por etanol. O Equador, com um setor açucareiro tentando diversificar-se, não é uma exceção. Em 2017, a produção total de etanol alcançou 80 milhões de litros. O etanol está disponível para venda em 41% dos postos de gasolina do Equador.

Uma política ambiental é necessária para aumentar o uso para cumprir com o mandato voluntário E5 de mistura. O adido agrícola do USDA em Quito estima que o tamanho do mercado de etanol é de US$ 160 milhões. O interesse do Equador por produção e uso de etanol com combustível data de 2001, quando um decreto encorajou a produção de combustíveis renováveis. Em 2005, uma nova lei foi aprovada oferecendo incentivos para a produção de renováveis “aditivos” como o etanol. Em 2010, o Eco País E5 programa piloto (se chama E5 por conter 5% de etanol na gasolina de 85 octanos) começou em cidades como Guayaquil e Durán. Em 2015, o programa cobriu 85% da demanda por combustível extra na província de Guayas.

Os produtores de cana e álcool do Equador foi capazes de produzir 40 milhões de litros de etanol naquela época. Enquanto o programa Eco País é agora implementado em todo o país, o uso de etanol é mais popular em áreas baixas devido a crenças que não funciona bem na altitude.

Em 2015, o Decreto 675 estabeleceu o preço de etanol baseado no custo de produção do próprio etanol e da gasolina refinada domesticamente. As três maios usinas equatorianas produz a maior parte do etanol do país.

Em 2017, a produção total de etanol alcançou mais de 80 milhões de litros, sendo que o biocombustível está disponível em 41% dos postos do país. Em 2015, a taxa de mistura subiu de 5% para 10%.

O país precisará aumentar significativamente a produção de etanol para alcançar essa meta, segundo o USDA, e continuar desenvolvendo a infraestrutura como campos de cana, refinaras e capacidade de armazenamento.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink