Usinas do grupo Bunge obtêm certificação Bonsucro®

Agronegócio

Usinas do grupo Bunge obtêm certificação Bonsucro®

Selo abre as portas para a exportação de açúcar e etanol certificados à UE
Por:
1602 acessos
Selo de reconhecimento mundial abre as portas para a exportação de açúcar e etanol certificados à União Européia
 
Duas usinas do Grupo Bunge acabam de ser certificadas segundo os padrões de produção Bonsucro, uma organização internacional com sede em Londres, que estabelece princípios e critérios socioambientais para aplicação nas regiões de cultivo da cana em todo o mundo. Essa conquista abre a oportunidade de exportação, a partir de 2012, principalmente para o mercado europeu, onde são aceitos apenas biocombustíveis certificados. As usinas certificadas poderão oferecer ao mercado, juntas, anualmente, mais de 200 milhões de litros de etanol e 65 mil toneladas de açúcar. A certificação é aplicável à produção obtida diretamente dos canaviais conduzidos pelas próprias usinas da Bunge, pois a produção por parte de fornecedores não foi o foco da auditoria nesse primeiro momento.
 
"Os padrões da Bonsucro envolvem a cana e todos os seus derivados. Unidos ao seleto grupo líder de usinas no mundo que estão em conformidade com as melhores práticas de sustentabilidade, de acordo com o regime de certificação, somos encorajados a continuar investindo em todas as nossas operações para entregar ao mercado global produtos com cada vez mais qualidade", afirma Ricardo Santos, vice-presidente de Açúcar e Bioenergia da Bunge Brasil.
 
Para fazer parte do ainda restrito grupo de empresas certificadas, as usinas passaram por rigorosas avaliações realizadas com o acompanhamento de 69 indicadores. Os critérios Bonsucro exigem que as empresas-membro certificadas estejam de acordo com os seguintes princípios: cumprimento da lei do local onde a empresa/usina está instalada; respeito aos direitos humanos e trabalhistas; gestão sobre insumos, produção e processamento de modo a aumentar a sustentabilidade; gestão ativa da biodiversidade e serviços do ecossistema; melhoria contínua das áreas-chave do negócio.
 
Neste contexto a Bunge, empresa controladora das usinas, foi submetida à avaliação corporativa e consulta pública para que a associação à Bonsucro fosse efetivamente aprovada. "A certificação não apenas permite acesso a mercados restritos, mas também valida a atual gestão das usinas certificadas", destaca Adalgiso Telles, diretor de Assuntos Corporativos da Bunge Brasil.
 
Adicionalmente, para a certificação, há exigência do cumprimento de requisitos técnicos e administrativos também pelos fornecedores primários das usinas. Isso garante o rastreamento de toda a cadeia relacionada à produção sustentável de cana-de-açúcar e seus derivados, incluindo o plantio da cana, seu transporte até a usina e toda a operação utilizada para o processamento da planta.
 
No Brasil, a Braskem é a principal compradora de etanol certificado, utilizado para a produção do ETBE, o aditivo aplicado à gasolina nos países da Europa e no Japão. Atualmente, cerca de 80% do ETBE produzido por eles é exportado para os países da comunidade europeia. Além da Braskem, outros clientes da Bunge, como a Coca-Cola e a Kraft Foods, também exportam seus produtos para países que já valorizam a utilização de açúcar certificado.
 
Bunge tem gestão e práticas premiadas
 
 Nos locais em que atua ou onde passa a atuar, a Bunge defende que não basta apenas adquirir e administrar um novo negócio; é vital buscar sempre as melhores práticas, implementando e disseminando métodos de gestão que conduzam ao desenvolvimento sustentável.
 
O trabalho que a Bunge vem desenvolvendo no setor de Açúcar e Bioenergia é um exemplo da gestão alinhada à sustentabilidade, com bons resultados. Desde que começou a atuar nesse segmento, a companhia vem realizando um amplo e profundo processo de estudos e mudanças, adequando às práticas socioambientais e políticas de relacionamento com os públicos da usina, ao padrão global da Bunge. Isso inclui workshops com especialistas da academia, ONGs, mercado e consultores de órgãos públicos. Recentemente, esse trabalho da Bunge foi reconhecido como modelo pelo Guia Exame de Sustentabilidade, classificando a empresa como uma das 20 companhias mais alinhadas à sustentabilidade no Brasil.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink