Vem aí “armadilhas eletrônicas inteligentes”
CI
Imagem: Divulgação
ENTREVISTA

Vem aí “armadilhas eletrônicas inteligentes”

Entrevista com Felippe Antonelle Gonçalves, gerente de negócios da Jacto Next
Por: -Leonardo Gottems

A Jacto está desenvolvendo “armadilhas eletrônicas inteligentes” para o monitoramento em tempo real de pragas, utilizando algoritmos próprios para identificação e contagem. Confira entrevista com Felippe Antonelle Gonçalves, gerente de negócios da Jacto Next, publicada originalmente no portal especializado AgroPages:

Como funcionam as “armadilhas eletrônicas inteligentes” para o monitoramento em tempo real de pragas?

O Monitoramento Integrado Inteligente de Pragas (MIIP), utilizando armadilhas eletrônicas, para atração e captura das pragas, funciona de forma semelhante às armadilhas convencionais. Isto porque, temos a armadilha delta com o piso adesivo e feromônio específico para cada praga a ser monitorada, assim como nas armadilhas convencionais. 

No entanto, as armadilhas eletrônicas possuem tecnologia embarcada que possibilita tirar fotos com alta resolução em períodos programados do piso adesivo e envia essas imagens via 4G, junto com outras informações importantes (temperatura e umidade do ar, por exemplo), para a plataforma EKOS | MIIP, onde a imagem é processada realizando a identificação e quantificação das pragas capturadas, permitindo o monitoramento online, ágil, assertivo além de trazer economia e eficiência operacional na fazenda.

Que tipo de diferencial oferece o uso de algoritmos próprios para identificação e contagem de insetos?

O uso de algoritmos próprios garante maior controle, confiabilidade e robustez no resultado entregue. A identificação e contagem das pragas, a arquitetura de Inteligência Artificial foi cuidadosamente implementada otimizando os dados de treinamento para garantir a identificação das pragas em diferentes cenários. Outro diferencial dos nossos algoritmos é a utilização da metodologia Active Learning ou aprendizado ativo, que busca o aprendizado contínuo, portanto, constantemente estamos avaliando e aprimorando a acurácia na identificação das pragas.

Em que estágio se encontra o desenvolvimento da tecnologia?

A tecnologia está em fase final de desenvolvimento. Atualmente, estamos em processo de validação.

Como funciona a integração das armadilhas com a plataforma EKOS?

A armadilha eletrônica coleta e envia as informações (fotos do piso adesivo e informações de temperatura e umidade do ar) para a plataforma EKOS, onde temos uma página específica para o Monitoramento Integrado Inteligente de Pragas (MIIP). Neste módulo, é possível cadastrar os talhões que serão monitorados, selecionar as pragas que deseja monitorar e, até mesmo, criar atividades como: instalação, contagem e manutenção para armadilhas eletrônicas e convencionais. 

As atividades de contagem são para tirar fotos do piso adesivo das pragas com celular, somente para armadilhas convencionais, onde esta função não é automatizada. As atividades de contagem permitem a integração das armadilhas convencionais na plataforma online, onde é permitido a utilização do algoritmo de identificação e quantificação da mesma forma que na armadilha eletrônica, permitindo maior economia e integração dos pontos de coleta. A plataforma EKOS | MIIP permite também visualizar os resultados em formas de mapas de monitoramento e calor, onde cada armadilha instalada assume uma cor em virtude dos níveis de alerta, controle e dano econômico pré-cadastrados e mapas de atividades, com todas as atividades cadastradas no talhão.

A tecnologia possui também alguma ligação ou parceria com soluções de controle químico ou biológico?

Não, a plataforma EKOS | MIIP foi idealizada pensando no ecossistema do produtor e, dentre os desafios na agricultura, o controle de pragas é uma das atividades de maior impacto no custo de produção. A plataforma sugere o catálogo de pragas e seu controle químico e/ou biológico para cada inseto monitorado, sendo que para a aplicação de produtos macrobiológicos, a Jacto Next, área de serviços da Jacto responsável pela comercialização da armadilha eletrônica, também oferece o serviço de liberação desses produtos via drones.

Quais serão os próximos passos do desenvolvimento?

Os próximos passos incluem a validação da arquitetura da armadilha eletrônica em áreas parceiras e expansão das culturas monitoradas. Além disso, um outro passo importante seria implantar e testar outras formas de comunicação da armadilha eletrônica além do 4G (comunicação satelital, por exemplo).

Qual a previsão de chegada ao mercado?

A previsão para chegada no mercado é para o segundo semestre de 2022, especificamente para o mês de setembro (safra 22/23).

Com o crescimento populacional, a busca pela produção de alimentos está cada vez maior e a responsabilidade dos agricultores nas questões sociais e ambientais cada vez mais evidente. A agricultura vem passando pela transformação digital a fim de auxiliar a gestão e produzir mais com menos áreas, verticalizando cada vez mais a propriedade agrícola, com isso a utilização de ferramentas online para gestão se torna indispensável na busca de melhores resultados.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.