Verticalização de milho marca Circuito Aprosoja na região Oeste
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)


Agronegócio

Verticalização de milho marca Circuito Aprosoja na região Oeste

MT pode vir a ter um excedente do cereal
Por:
1674 acessos
Com a possibilidade de uma produção recorde de milho na safra 2011/12, Mato Grosso pode vir a ter um excedente do cereal. A previsão é que o estado colha 11,5 milhões de toneladas, cultivadas em 2,5 milhões de hectares, segundo estimativas do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Além do consumo interno para a fabricação de ração, essa produção pode ter um novo destino dentro do estado: a produção de etanol à base de milho.

A implantação de uma usina flex em Campos de Júlio, região oeste do estado, foi destacada pelo diretor executivo da Aprosoja, Marcelo Duarte, durante o Circuito Aprosoja, realizado na noite dessa quinta (19), no município. “A potencialidade da Usimat Flex, que já produz etanol a partir de cana-de-açúcar e agora passou a produzir etanol também de milho, pode ajudar a mudar o cenário da região e do estado. É uma nova opção de comercialização para o produtor”, disse Duarte.

O presidente da Aprosoja, Carlos Fávaro, destaca ainda que, além do etanol, os subprodutos gerados a partir da utilização do milho como, por exemplo, o DDGS - siga em inglês para o grão seco por destilação - pode ser usado como ração de animais, contornando os custos da usina. “Podemos fomentar a instalação de mais indústrias e confinamentos na região, pois além da produção de energia, a ‘sobra’ do milho tem um valor proteico de cerca de 36%, sendo excelente alimento para animais de corte. É um projeto que tem tudo para dar certo, viabilizando e agregando valor à produção de milho em Mato Grosso”, ressaltou o presidente da Aprosoja.

“Nossa demanda interna é de algo em torno de 2 milhões de toneladas de milho. O restante é exportado com baixo valor agregado e não compensa os custos logísticos que temos em Mato Grosso para escoamento da safra. Com a Usimat Flex podemos diminuir o ‘passeio’ do cereal pelo país”, explicou Fávaro.

Outro tema destacado durante o Circuito, em Campos de Júlio, foi “Sucessão Familiar”. O assunto é o tema central da edição deste ano do evento e vem despertando o interesse dos produtores rurais. Carlos Fávaro está satisfeito com o resultado da primeira semana. “O público que comparece ao evento vem superando as expectativas. É sinal de que acertamos no tema”, apontou.

Em Campos de Júlio, mais de 70 pessoas compareceram ao evento, entre produtores rurais, representantes do Sindicato Rural, lideranças do município e o presidente da Aprosoja Brasil, Glauber Silveira.

Parcerias - O Circuito Aprosoja é uma realização da Aprosoja e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Tem como parceiros as empresas Intacta, Syngenta, Basf, Banco do Brasil e Sicredi.

Nesta sexta-feira (20), o Circuito Aprosoja encerra a rodada de palestras pela região oeste. O último município a ser visitado é Tangará da Serra. O evento ocorrerá as 18h, no CTG Aliança da Serra.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink