Vírus suíno pode ter impacto maior que esperado no comércio dos EUA, diz USDA
CI
Agronegócio

Vírus suíno pode ter impacto maior que esperado no comércio dos EUA, diz USDA

11 países estão limitando as importações de suínos vivos
Por:

O impacto de um vírus suíno letal no comércio internacional dos Estados Unidos está aumentando, com 11 países limitando as importações de suínos vivos e um proibindo as importações de carne de porco, disse o chefe do serviço veterinário do Departamento de Agricultura norte-americano (USDA).

El Salvador, Guatemala e África do Sul suspenderam a importação de suínos vivos dos Estados Unidos, depois da descoberta da diarreia epidêmica suína (PEDv) nos EUA no ano passado, disse John Clifford, veterinário-chefe do USDA.

China, Japão, União Europeia e Rússia restringiram as importações de suínos, enquanto outros quatro países impuseram limitações não oficiais, disse ele.

O Uzbequistão proibiu a importação de carne suína dos EUA, enquanto a Costa Rica proibiu a importação de tripas de porco.

"Isso está começando a ter um impacto muito maior do que qualquer um de nós pensou inicialmente", disse Clifford, a respeito de PEDv em um encontro da indústria em Des Moines, Iowa.

O PEDv dizimou um volume estimado de 10 por cento da população de suínos dos EUA no ano passado. O USDA vem tentando aplacar preocupações entre os parceiros comerciais sobre o vírus, que a agência diz que não é ameaça para seres humanos ou para a segurança alimentar.

Os Estados Unidos exportaram no ano passado cerca de 6 bilhões de dólares em carne de porco e 30,5 milhões de dólares em vendas de suínos vivos.             

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink