Cochonilha pérola da terra (Eurhizococcus brasiliensis)
CI

Cochonilha pérola da terra

Margarodes (Eurhizococcus brasiliensis)

Culturas Afetadas: Rosa, Urucum, Uva

Sinônimo: Margarodes brasiliensis

Trata-se de uma cochonilha subterrânea que coloca seus ovos abaixo da superfície do solo, no interior de uma cápsula protetora filamentosa. Este inseto dá uma geração por ano e a época de reprodução se estende de novembro a janeiro, enquanto a fase larval conhecida como "pérola da terra" vai de março a outubro.

Esta cochonilha ataca uma gama variada de culturas: abóbora, ameixa, amendoim, batata, batata-doce, cana-de-açúcar, cenoura, chuchu, figo, maçã, mandioca, marmelo, melancia, pepino, pêra, pêssego, quiabo, rosa e uva. É uma das mais importantes pragas de importância econômica para o cultivo da uva, podendo, em alguns casos, provocar a morte das plantas. É comum a sua ocorrência em regiões vitícolas do estado de São Paulo ao Rio Grande do Sul. Pode infestar as raízes de plantas cultivadas ou não.

Danos: As plantas atacadas normalmente apresentam murchamento progressivo das folhas, secamento e queda das mesmas, e finalmente a morte da planta. Nas raízes encontra-se normalmente uma grande quantidade de "pérolas da terra", e nestes locais notam-se lesões pretas superficiais facilmente removíveis em decorrência das exsudações da praga.

Controle: Recomendam-se algumas medidas, pois o controle dessa praga não é fácil e não existe nenhum método de controle totalmente eficiente:

a) Não plantar em regiões anteriormente infestadas;

b) Utilizar materiais propagativos sadios;

c) Revirar o solo de forma a expor as cochonilhas ao sol;

d) Fazer um bom preparo do solo e uma calagem bem profunda na época de repouso da planta;

e) Eliminar as plantas invasoras do local onde será plantada a cultura;

f) Utilizar inseticidas sistêmicos granulados no solo.

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.