Ferrugem do colmo

(Puccinia graminis)

Culturas Afetadas: Centeio, Gramados, Trigo, Triticale

Sinônimo: Puccinia granimis Pers. f. sp. tritici

É considerado um fungo sem grande importância no Brasil, pois a maioria dos cultivares recomendados são resistentes a este patógeno, porém, quando ocorre em cultivares suceptíveis, em áreas que apresentam condições climáticas favoráveis, causa severas perdas por atacar todas as partes verdes da planta.

Esse fungo ocorre nas culturas do trigo, cevada, centeio, triticale e em algumas outras espécies de Poáceas (Gramíneas). A incidência da doença está vinculada a áreas onde há a ocorrência de temperaturas elevadas durante a primavera. Por esse motivo, não ocorre todos os anos em regiões de clima frio.

Danos: O fungo Puccinia graminis ocorrem em todas as partes verdes da planta. Dois a três dias após a penetração do fungo, há a formação de manchas puntiformes, de coloração levemente amarelada no tecidos foliares. Com o desenvolvimento da doença, as manchas apresentam-se salientes, aumentam de tamanho e tornam-se alongadas no sentido das nervuras, formando pústulas que rompem a epiderme, expondo os uredósporos do fungo. Os uredósporos possuem coloração amarelada, mas quando vistos no conjunto apresentam coloração pardo-ferruginosa. Quando os tecidos verdes da planta infectada começam a senescer, surge um segundo tipo de frutificação do fungo. Esta é alongada e de coloração preta, tendo a mesma disposição da anterior, terminando também por romper a epiderme. A coloração preta se dá pela presença dos esporos de resistência do fungo (teliósporos).

Controle: O uso de cultivares resistentes é a principal medida de controle recomendada. É recomendada a eliminação de plantas voluntárias.

O uso de fungicidas sistêmicos do grupo dos triazóis pode ser eficiente no controle da doença. Recomenda-se o uso de produtos registrados para as culturas.

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente
Mostrando 1 até 12 de 47