Mancha de clasdoporium

(Fulvia fulva)

Culturas Afetadas: Tomate

Sinônimo: Cladosporium fulvum

Esta doença ataca a cultura do tomateiro e é extremamente dependente das condições climáticas, ocorrendo apenas em locais de alta umidade relativa, principalmente na região Norte do Brasil e em cultivos protegidos (sob plástico).

Danos: Lesões nas duas faces das folhas é o sintoma típico da doença, mas o patógeno pode afetar toda a parte aérea da planta.

Os primeiros sinais da doença ocorrem nas folhas mais velhas, onde são observadas lesões cloróticas, com margens pouco definidas. A face inferior da folha, correspondente à lesão, apresenta mancha de aspecto e tamanho irregulares. Nas manchas da face inferior ocorre formação de uma massa de cor verde-oliva, que são os esporos do fungo. Quando a doença é severa, ocorre a coalescência das manchas, as folhas então secam e caem da planta.

Lesões também são observadas nas flores e frutos quando a doença apresenta-se severa, assim como no caule e pecíolo.

Controle: Preferencialmente, deve-se plantar cultivares resistentes à doença.

Destruir os restos de cultura logo após a colheita, promover boa ventilação das estufas, não utilizar irrigação por aspersão, evitar plantios muito densos, assim como altas doses de adubação nitrogenada são práticas que devem ser adotadas no sentido de minimizar a ação do patógeno.

Aplicar fungicidas registrados para a cultura, de forma preventiva.

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente