Mosca-do-figo

(Zaprionus indianus)

Culturas Afetadas: Figo

Figo, morango

Bioecologia

Os adultos de Zaprionus indianus medem aproximadamente 3 mm de comprimento, com a presença de duas faixas brancas com bordas pretas da cabeça até o final do tórax, com três “espinhos” compostos inseridos no fêmur das pernas anteriores, próximo à inserção da tíbia. As fêmeas apresentam uma estrutura prolongada no aparelho ovipositor denominada de “gancho de açougueiro”, a qual é ausente nos machos. Os ovos são alongados com 0,5 mm de comprimento com coloração leitosa, apresentando numa das extremidades filamentos que auxiliam na respiração.

As larvas apresentam coloração leitosa a amarelada com comprimento aproximado de 6 mm, forma cilíndrica e a presença de duas peças bucais negras. Após a eclosão, as larvas passam por três instares larvais, com uma duração total de aproximadamente 10 dias. As pupas apresentam formato oblongo, medindo aproximadamente 3 mm, coloração amarelada e, posteriormente, adquirindo tonalidade escura e endurecida próximo à emergência dos adultos e, posteriormente, adquirem tonalidades acastanhadas.

Danos

Os danos diretos são decorrentes da oviposição e, posteriormente, da alimentação das larvas após a penetração, acarretando aberturas externas na epiderme e deterioração total da polpa. Os danos indiretos são decorrentes da entrada de micro-organismos fitopatogênicos.

Controle

Pelo fato de Z. indianus apresentar preferência de oviposição e gerar descendentes em frutos maduros quando comparado com frutos verdes e semimaduros, o controle cultural é o método mais adequado para prevenir ou diminuir o nível de infestação no campo. A diminuição no intervalo entre a colheita dos frutos permite a retirada ou eliminação dos frutos maduros (mais suscetíveis ao ataque da praga) ou deteriorados da área de cultivo. Recomenda-se o uso de produtos registrados para as culturas.

Fotos

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente
Produto
Eleitto