Podridão vermelha da raiz (Fusarium solani)
CI

Podridão vermelha da raiz

Fusariose (Fusarium solani)

Culturas Afetadas: Batata, Soja


Sinônimo: Fusarium solani f.sp. glycines

As perdas na batata ocasionadas pela doença são principalmente a redução na produtividade, descarte de tubérculos na seleção e perda da qualidade dos tubérculos.

Na soja, os danos variam conforme a intensidade do inóculo e as condições ambientais. Ainda não existem dados de perdas, mas a diminuição de rendimento é evidente em algumas regiões produtoras de soja. O fungo é o responsável pela podridão do sistema radicular e pela formação de folhas carijó.
 

Danos: O sintoma na raiz inicia-se com mancha avermelhada, mais visível na raiz principal, geralmente localizada logo abaixo do nível do solo. A mancha expande-se, circunda a raiz, passa da coloração avermelhada para vermelho arroxeada e, finalmente, negra. Essa necrose acentuada localiza-se no tecido cortical, enquanto o lenho adquire coloração castanho clara, estendendo-se a vários centímetros acima do nível do solo. Sob condições de alta umidade, forma-se um anel vermelho na base da haste, freqüentemente com cobertura pulverulenta, de coloração bege, constituída de conídios do fungo. Nessa fase, observa-se, na parte aérea, a formação de folhas “carijó”. As raízes secundárias degradam rapidamente, ficando apenas a raiz principal. Sob condição de solo úmido, o córtex da raiz principal destaca-se com facilidade, expondo o lenho branco.

Controle: Uso de tubérculos sementes certificados e que tenham garantia de armazenamento adequado. Usar variedades resistentes e evitar a compactação do solo que predisponha as plantas ao estresse hídrico e ao encharcamento do solo.

Para a soja, além das práticas culturais, recomenda-se a utilização de variedades resistentes, como a IAC-4. A escolha de sementes sadias, a aplicação equilibrada dos nutrientes e o controle da irrigação, evitando o excesso de água, são práticas que auxiliam o agricultor no controle da doença.