Bula Spectro

acessos
Difenoconazole
3094
Syngenta

Composição

Difenoconazole 150 g/L Triazol

Classificação

Fungicida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Damping-off
(Rhizoctonia solani)
33,4 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Damping-off
(Rhizoctonia solani)
33,4 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Cevada Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha angular
(Drechslera teres)
200 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Mancha marrom
(Bipolaris sorokiniana)
200 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Oídio
(Blumeria graminis f.sp. hordei)
200 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum lindemuthianum)
33,4 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Damping-off
(Rhizoctonia solani)
33,4 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Podridão cinzenta do caule
(Macrophomina phaseolina)
33,4 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Podridão radicular seca
(Fusarium solani f. sp. phaseoli)
33,4 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Damping-off
(Rhizoctonia solani)
33,4 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Mancha olho de rã
(Cercospora sojina)
33,4 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Podridão vermelha da raiz
(Fusarium solani)
33,4 mL/100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Brusone
(Pyricularia grisea)
200 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Carvão
(Ustilago tritici)
200 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Mancha marrom
(Bipolaris sorokiniana)
200 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes
Oídio
(Blumeria graminis f.sp. tritici)
200 mL p.c./100 kg de sementes - - Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes. Não especificado devido à modalidade de emprego. Deve ser usado em uma única aplicação, na forma de tratamento de sementes

Frasco de polietileno de alta densidade de 1 L. Bombona de polietileno de alta densidade de 5, 10 e 20 L. Farm-pack de polietileno de alta densidade de 420 L. Frasco de polietileno + EVOH/Coextrusado para 250 mL. Tambor plástico de 180, 190 e 200 L.

INSTRUÇÕES DE USO: SPECTRO é um fungicida sistêmico usado em tratamento de sementes e recomendado para o controle das doenças nas culturas: Cevada, Trigo, Algodão, Amendoim, Feijão e Soja.

NÚMERO, INÍCIO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO: SPECTRO deve ser usado em uma única aplicação na forma de tratamento de sementes, antes da semeadura das culturas para as quais é recomendado.

MODO DE APLICAÇÃO: produto é aplicado através de quaisquer equipamentos tradicionais utilizados para o tratamento de sementes, tais como: tambores rotativos, máquinas Amazone trans-mix, betoneiras ou máquinas específicas.

TRIGO/CEVADA: Colocar as sementes no equipamento de tratamento e adicionar aos poucos a dose indicada de SPECTRO, agitando até se obter a perfeita cobertura das sementes. Para uma melhor distribuição, o SPECTRO pode ser diluído em água. 300-500 ml de água/ 100 kg de sementes é considerado um bom volume para proporcionar a adequada distribuição do produto, sem aumentar em demasia o teor de umidade das sementes. O tempo da mistura (agitação) é variável em função de cada equipamento e da quantidade de sementes, e deve ser suficiente para que todo o produto cubra uniformemente as sementes.

FEIJÃO, SOJA, AMENDOIM E ALGODÃO: Diluir o SPECTRO em um volume de água suficiente para proporcionar a distribuição uniforme do produto nas sementes, em seguida aplicar esta calda sobre as sementes a serem tratadas. Em geral, considera-se 300-500 ml de água/100 kg de sementes um bom volume para proporcionar a adequada distribuição do produto, sem aumentar em demasia o teor de umidade das sementes.

OBSERVAÇÕES QUANTO AOS EQUIPAMENTOS PARA TRATAMENTO DE SEMENTES: Tambores rotativos, Máquinas Amazone trans-mix e Betoneiras: Colocar uma quantidade de sementes com peso conhecido no interior do equipamento de tratamento e adicionar a dose indicada do produto agitando até se obter a perfeita cobertura das sementes. O tempo da mistura (agitação) é variável em função de cada equipamento e da quantidade de sementes, e deve ser suficiente para que todo o produto cubra uniformemente as sementes. Atentar para que no final do tratamento não haja sobra de produto no fundo do equipamento utilizado.

MÁQUINAS ESPECÍFICAS COM FLUXO CONTÍNUO DE SEMENTES: O tratamento de sementes pode ser realizado com diversos modelos de máquinas que operam desta maneira tais como Foresti, MecMac, Grasmec, Momesso, Gustafson, Mantis, Niklas entre outras. Observar cuidados especiais com a manutenção, regulagem e limpeza das unidades dosadoras de produtos, principalmente com as formulações viscosas, pois restos de produtos secos nestas unidades podem reduzir a capacidade de volume interferindo na dosagem.

RECOMENDAÇÕES QUANTO A UTILIZAÇÃO E ARMAZENAMENTO DAS SEMENTES TRATADAS: Para o armazenamento das sementes tratadas utilize somente sacos de papel. Sementes de trigo e cevada tratadas com SPECTRO podem ser armazenadas pelo prazo de um ano após o tratamento. Sementes de soja, feijão e algodão podem ser armazenadas pelo período de 6 meses após o tratamento. Sementes de amendoim podem ser armazenadas por um período de 1 mês após o tratamento. Não deixe as sementes tratadas expostas ao sol. Sempre regule e afira a semeadora com as sementes já tratadas. As semeadoras devem ser limpas periodicamente para evitar o acúmulo de resíduos nas paredes e engrenagens das mesmas. A falta desta manutenção pode alterar o fluxo das sementes na semeadura e mesmo provocar bloqueio do equipamento.

INTERVALO SE SEGURANÇA: Não especificado devido à modalidade de emprego - Tratamento de sementes.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Não especificado devido à modalidade de emprego- Tratamento de Sementes.

LIMITAÇÕES DE USO:
FITOTOXICIDADE: Nas culturas e doses recomendadas não apresenta qualquer efeito fitotóxico.

OUTRAS RESTRIÇÕES A SEREM OBSERVADAS: O fabricante não responde por danos que decorram do armazenamento inadequado, do emprego desapropriado do produto ou da inobservância das prescrições recomendadas. As semntes tratadas não podem ser usadas para alimentação humana ou animal, e nem para a extração de óleo ou de outros derivados.

PRECAUÇÕES GERAIS: Antes de utilizar o produto, leia e siga as instruções: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Use macacão com mangas compridas, óculos ou viseira facial e luvas impermeáveis. Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos. Evite o contato do produto com os olhos, caso isso ocorra VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Evite a inalação ou aspiração do produto, caso isso ocorra VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Evite o contato do produto com a pele, caso isso ocorra VEJA PRIMEIROS SOCORROS.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Use macacão com mangas compridas, óculos ou viseira facial, luvas e botas.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize as embalagens vazias. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as suas roupas.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Não provoque vômito, beba água e procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Olhos: Lave-os com água corrente em abundância e procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância, e se houver irritação procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. Inalação: Procure local arejado. Se houver sinais de intoxicação procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.

MECANISMOS DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Não se dispõe de dados referentes ao ser humano. Em estudos com ratos o produto foi praticamente eliminado em 96 horas. A principal via de excreção são as fezes.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: DADOS AGUDOS: Toxicidade aguda oral (ratos) DL 50 > 4000 mg/kg. Toxicidade aguda dérmica (ratos): DL50 > 4000 mg/kg. Irritação a olhos (coelhos): Não Irritante. Irritação a pele (coelhos): Não Irritante. DADOS CRÔNICOS: Não são esperados efeitos crônicos no ser humano com o produto como resultado de seu uso agrícola, quando observadas as recomendações aprovadas na bula.

SINTOMAS DE ALARME: Não específicos.

ANTÍDOTO E TRATAMENTO (Informações para uso médico): Nenhum antídoto específico. Tratamento sintomático.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é MUITO PERIGOSO ao meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos (microcrustáceo). Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamentos com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, seco, coberto, e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores, deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação Estadual e Municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de água naturais, siga as instruções:

Piso pavimentado: Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água;

Solo: Retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;

Corpos d'água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contatar o Centro de Emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido;

Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens deverão ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada à preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize embalagens vazias. As embalagens, após enxaguadas, devem ser destruídas e enterradas em fosso para lixo tóxico. O local para construção do fosso deve ser distante de casas, de instalações ou de qualquer fonte de água, fora do trânsito de pessoas ou animais, porém de fácil acesso e onde não se preveja o aproveitamento agrícola, mesmo em longo prazo. O local não deve ser sujeito a inundações ou acúmulos de água. O solo deve ser profundo, de permeabilidade média para permitir uma percolação lenta e degradação biológica do agrotóxico. Abrir um fosso de 1 a 2 m de profundidade, comprimento e largura não excedendo a 3 m, de acordo com as necessidades. Distribuir no fundo do fosso uma camada de pedras irregulares e uma camada de brita. Ao redor do fosso cavar uma valeta, com escoadouro, para impedir a penetração de enxurradas. Reservar uma área suficiente para instalação de mais fossos, de acordo com a necessidade. Isolar a área com cerca de tela, para impedir a entrada de animais e dificultar a entrada de pessoas. Colocar uma placa de advertência (CAVEIRA) com os dizeres: CUIDADO LIXO TÓXICO. Antes de iniciar o uso do fosso, e após cada 15 cm de material descartado, colocar camadas de cal virgem ou calcário para ajudar a neutralização. Completada a capacidade do fosso, cobrir com uma camada de 50 cm de terra e compactar bem. Uma camada adicional de 30 cm de terra deve ser colocada sobre o aterro, para que este fique acima do nível do terreno. Observar a legislação Estadual e Municipal específica. Fica proibido o enterrio de embalagens em áreas inadequadas, consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente.

Incluir outros métodos de controle de pragas dentro do Programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

Seguir as recomendações atualizadas de manejo de resistência do FRAC-BR (Comitê Brasileiro de Ação a Resistência à Fungicidas- Brasil) constantes no site: www.frac-brasil.org.br do grupo de trabalho dos Inibidores da Biossíntese do Ergostrol (que engloba os triazóis, grupo químico do Ciproconazol).

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.