Lagarta da soja ou (Anticarsia gemmatalis)

Lagarta da soja

(Anticarsia gemmatalis)

Culturas Afetadas: Alfafa, Algodão, Amendoim, Arroz, Batata, Brócolis, Cana-de-açúcar, Côco, Couve, Couve-flor, Ervilha, Feijão, Feijão vagem, Fumo, Mandioca, Maracujá, Milho, Pastagens, Repolho, Seringueira (Floresta implantada), Soja, Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico, Trigo

O adulto é uma mariposa de coloração pardo acinzentada. Durante o dia, estas mariposas podem ser encontradas em locais sombreados na base das plantas. Os ovos, de coloração branca, são colocados de forma isolada na página inferior das folhas

Danos: Em condições de altas infestações ou escassez de alimento torna-se escura. Sua ocorrência é maior entre novembro e março, e seu pico populacional dá-se em janeiro e fevereiro, conforme a região. O seu ciclo biológico total é de 33 a 34 dias e podem ocorrer quatro a seis gerações anuais. O adulto faz sua postura à tardinha e à noite na parte inferior das folhas e tem coloração verde-clara. A desfolha causada pela lagarta-da-soja pode chegar a 100% se não controlada a tempo.

Controle: Devem ser controladas quando forem encontradas, me média, 40 lagartas grandes (>1,5 cm) por pano-de-batida (duas fileiras de plantas), ou com menor número se a desfolha atingir 30%, antes da floração, e 15% tão logo apareçam as primeiras flores. Para controle com Baculovírus, considerar como limites máximos 40 lagartas pequenas (no fio) ou 30 lagartas pequenas e 10 lagartas grandes por pano-de-batida. Em condição de seca prolongada e com plantas menores de 50 cm de altura, reduzir esses níveis para a metade, para aplicação de Baculovírus anticarsia.

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente
Mostrando 1 até 12 de 221