Bula Able

acessos
Bacillus thuringiensis
2798
Sipcam Nichino

Composição

Bacillus thuringiensis 72 g/L Inseticida microbiológico

Classificação

Inseticida biológico
III - Medianamente tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Ingestão, Inseticida biológico
Abobrinha Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca dos frutos
(Diaphania nitidalis)
75 mL p.c./100L água 800 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. Sem restrições para todas as culturas indicadas. Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Helicoverpa sp.
(Helicoverpa sp.)
500 a 750 mL p.c./ha 100 a 120 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. Sem restrições para todas as culturas indicadas. Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
50 mL p.c./100L água 2000 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. Sem restrições para todas as culturas indicadas. Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares
Côco Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta das palmeiras
(Brassolis sophorae)
100 mL p.c./100L água 4 L de calda / planta - Reaplicar caso necessário. Sem restrições para todas as culturas indicadas. Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares
Couve Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
50 mL p.c./100L água 800 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. Sem restrições para todas as culturas indicadas. Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares
Repolho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traças das crucíferas
(Plutella xylostella)
500 mL p.c./ha 500 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. Sem restrições para todas as culturas indicadas. Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
500 mL p.c./ha 200 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. Sem restrições para todas as culturas indicadas. Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traça do tomateiro
(Tuta absoluta)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar caso necessário. Sem restrições para todas as culturas indicadas. Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares

Bombonas plásticas 0,5, 1, 2, 2,5, 5, 10, 20, 25, 50 L
Frascos plásticos 0,5, 1, 5, 20 L
Tambores plásticos 100 e 200 L

INSTRUÇÕES DE USO:
ABLE® é um inseticida biológico, contendo 72 g de endotoxina produzidas pela bactéria Bacillus thuringiensis subespécie Kurstaki, atuando diretamente no sistema digestivo das lagartas e ocasionando a morte destas por infecção generalizada em poucos dias após a ingestão.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Aplicar no início da infestação, quando as lagartas estiverem entre o 1º e 2º instares. Utilizar a maior dose em caso de alta população (superior a 10% de plantas infestadas). Reaplicar caso necessário.

MODO DE APLICAÇÃO:
Diluir a quantidade de ABLE® sob agitação constante, juntando água até completar o volume desejado. Usar equipamento costal manual ou motorizado, de tração tratorizada ou aérea. Manter agitação constante no tanque de pulverização durante a aplicação.

Aplicação Terrestre:
A calda deve ser aplicada com pulverizador terrestre, do tipo costal manual, motorizado ou tratorizado de barras equipadas com bicos de jato cônico vazio série D2 ou D3 e difusores adequados de modo a se obter uma boa cobertura das plantas na pulverização. A pressão de aplicação recomendada é de 80 a 100 lb/pol², para proporcionar gotas de tamanho entre 100 - 200 µ.

Algodão: utilizar 100 a 120 L de calda por hectare;
Soja: utilizar 200 L de calda por hectare (alto volume) ou 40 L de calda por hectare (baixo volume);
Citros: utilizar 2.000 L de calda por hectare;
Tomate: utilizar 1.000 L de calda por hectare;
Couve: utilizar 800 L de calda por hectare;
Repolho: utilizar 500 L de calda por hectare;
Abobrinha: utilizar 800 L de calda por hectare;
Coco: utilizar 4 L de calda por planta.

Aplicação aérea:
Utilizar avião agrícola equipado com barra de bicos cônicos ou micronair, altura de vôo de 2 a 4 metros, pressão de 30 a 50 lb/pol², volume de calda de 20 a 40 L/ha. Aplicar quando a velocidade do vento é menor que 8 km/h e somente com umidade relativa do ar superior a 70%, preferivelmente nas horas mais frescas do dia, visando reduzir o máximo as perdas por deriva ou evaporação.


Observações Gerais:
- Usando-se outros tipos de equipamentos, procurar obter uma cobertura uniforme da parte aérea da planta.
- Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Sem restrições para todas as culturas indicadas

LIMITAÇÕES DE USO:
- O uso do produto está restrito ao indicado no rótulo e bula;
- Não aplicar sob chuva ou prenuncio de chuva;
- Não aplicar em mistura com outros produtos;
- Evitar aplicação durante as horas mais quentes do dia;
- Respeitar um período mínimo de 24 horas para realização da irrigação.
- Fitotoxicidade: O produto não é fitotóxico para as culturas indicadas nas doses e condições recomendadas.

1-PRECAUÇÕES GERAIS:

-Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto;
-Não utilize equipamentos com vazamento;
-Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca;
-Não distribua o produto com as mãos desprotegidas;


2-MANUSEIO DO PRODUTO:

Use macacão com mangas compridas, chapéu de abas largas, óculos ou viseira facial e luvas de borracha.

3-DURANTE A APLICAÇÃO:

-O produto produz neblina, use máscara cobrindo o nariz e a boca;
-Não aplique o produto contra o vento;
-Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga e botas;


4-PRECAUÇÃO APÓS A APLICAÇÃO:

-Não reutilize a embalagem vazia;
-Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais;
-Tome banho, troque e lave as suas roupas;






PRIMEIROS SOCORROS:

INGESTÃO:
Em caso de ingestão acidental não provoque vômito e procure imediatamente o médico, levando a embalagem, ou rótulo, ou a bula do produto;

INALAÇÃO:
Evite a inalação do produto. Caso isso aconteça procure local arejado e se persistir a dificuldade de respiração chame o médico;

PELE:
Evite contato com a pele. Caso isso aconteça lave imediatamente a parte atingida com água corrente e sabão, remova as roupas contaminadas;

OLHOS:
Evite contato com os olhos. Caso isso aconteça lave-os imediatamente com solução fisiológica por 5 minutos mantendo os olhos abertos e água corrente durante 15 minutos e se persistir a irritação procure um médico levando a embalagem, ou o rótulo , ou a bula do produto;


TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA:
Sintomas de Alarme:
Em qualquer caso de suspeita de intoxicação, procure imediatamente assistência médica levando a embalagem ou o rótulo ou a bula do produto. Observar a sintomatologia do paciente.
Tratamento médico:
O tratamento deve ser sintomático

ANTÍDOTO:
Não existe antídoto específico.


TELEFONE PARA OS CASOS DE EMERGÊNCIA: 0800-193 190
PLANTÃO 24 HORAS

EMPRESA:(011) HORÁRIO COMERCIAL








5-Mecanismo de ação, absorção e excreção para o ser humano;

Bacillus thuringiensis é degradado no trato gastro intestinal e eliminado.


6-Efeitos agudos e crônicos;

DL50 oral para ratos >6.000 mg/kg
DL50 dérmica para ratos >12.000 mg/kg

Estudos foram desenvolvidos com o Bacillus thuringiensis, a fim de avaliar seu grau de periculosidade, podendo através destes dados serem extraídas as seguintes conclusões: o produto não apresenta propriedades patogênicas em testes com animais de laboratório.


7-Efeitos colaterais;
Nenhum efeito colateral foi evidenciado nos estudos realizados com animais de laboratório

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:

-Inseticida biológico de baixo risco ambiental.
-Não execute aplicação aérea do produto em áreas situadas a uma distância menor de 500(quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250 (duzentos e cinquenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos.
-Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas.
-Evite contaminação ambiental - Preserve a natureza.
-Não utilize equipamentos com vazamentos.
-Aplique somente as doses recomendadas.
-Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
-Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes rios e demais corpos d’água.
-Descarte corretamente as embalgens e restos do produto - siga as instruções constantes no item Destinação Adequada de Resíduos e Embalagens.
-Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes nesta bula.


INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO

- Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada, em local seco e fresco.
- Armazene o produto em local exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais.
- Coloque placa de advertência com os dizeres : CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
- Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
- Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843.
- Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.






INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES

- Contactar as autoridades locais competentes e a Empresa Mitsui Brasileira importação e exportação SA. - telefones de emergências: (9 011) - horário comercial ou 0800-193-190 (24 horas).
- Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara).
- Isole e sinalize a área contaminada.
- Em caso de derrame, não permita que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de águas naturais, siga as instruções abaixo:
Piso pavimentado - Coloque material absorvente ( por exemplo serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado. Recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente devidamente identificado. Lave o local do acidente com grande quantidade de água. Remova então o produto para área de descarte, que deve ser altamente exposta ao sol, distante de casas, fonte de água, fora do trânsito de pessoas e animais.
Solo - retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo seco, recolher o material e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada.
Corpos d'água - interromper imediatamente o consumo humano e animal e contate o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
Em caso de incêndio - Use máscara autônoma. Use agentes extintores à base de: pó químico, gás carbônico, espuma mecânica ou água na forma de neblina, ficando a favor do vento para evitar intoxicação. Resfriar com água em forma de neblina os recipientes aquecidos.


DESTINAÇÃO ADEQUADA DE RESÍDUOS E EMBALAGENS

- As embalagens deverão ser enxaguadas três vezes e a calda resultante acrescentada a preparação para ser pulverizda (Tríplice lavagem).
- As embalagens deverão ser furadas, de maneira a torná-las inadequadas para outros usos.
- Não reutilize embalagens vazias.
- É proibido o enterrio de embalagens em áreas inadequadas.
- Consulte o Órgão Estadual de Meio Ambiente sobre as recomendações específicas para a destinação final adequada de resíduos e embalagens.

- Incluir outros métodos de controle de insetos (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos inseticidas:

- Qualquer produto para controle de pragas da mesma classe ou de mesmo modo de ação não deve ser utilizado em aplicações consecutivas da praga, no ciclo da cultura.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.