O conteúdo solicitado não foi encontrado

Mancha amarela

Mancha bronzeada (Drechslera tritici-repentis)

Culturas Afetadas: Aveia, Centeio, Cevada, Milheto, Sorgo, Trigo, Triticale

Sinônimos: Helminthosporium tritici-repentis, Helminthosporium tritici-vulgaris e Drechslera tritici-vulgaris
Teleomorfo: Pyrenophora tritici-repentis

A mancha amarela da folha do trigo é a mancha foliar mais importante desta cultura. Há aumento de intensidade da doença no sistema plantio direto com monocultura.

Danos: Os sintomas surgem logo após a emergência do trigo, quando da expansão da plúmula, em lavouras de plantio direto e monocultura. Surgem, inicialmente, pequenas manchas cloróticas nas folhas que, com o passar do tempo, expandem-se e apresentam a região central necrosada, de cor parda. Estas lesões são elípticas, podendo atingir 12 mm de comprimento e são circundadas por um halo amarelo. Conidióforos e conídios longos são formados no centro das manchas.

Controle: Recomendam-se:

a) Tratamento de sementes com fungicidas protetores;

b) Rotação da cultura com ervilhaca, chicharo, nabo forrageiro, colza, linho, serradela e trevos;

c) Eliminação de plantas voluntárias;

d) Pulverização com triazóis sistêmicos, aplicados quando, a partir da elongação, a incidência nas folhas atingir o valor entre 70-80%.

No Brasil, ainda não se dispõe de cultivares com resistência à mancha amarela da folha do trigo.

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente
Mostrando 1 até 12 de 80