O conteúdo solicitado não foi encontrado

Podridão de esclerotinia

Mofo branco (Sclerotinia sclerotiorum)

Culturas Afetadas: Abóbora, Alface, Algodão, Almeirão, Amendoim, Batata, Berinjela, Canola, Chicória, Ervilha, Feijão, Flores, Fumo, Girassol, Hortaliças, Kiwi, Melancia, Melão, Pepino, Soja, Todas as culturas com ocorrência do alvo biológico, Tomate, Tomate industrial, Tomate rasteiro, Tratamento de solo

Sinônimo: Whetzelinia sclerotiorum

Esse fungo possui um grande número de hospedeiras e uma vasta distribuição geográfica. No Brasil, é relatado em vários estados, como Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Ataca diversas culturas de importância economica, como a alcachofra, a alface, o amendoim, a batata, a berinjela, a chicória, a cenoura, a ervilha e diversas espécies de flores.

Danos: O fungo causa podridão da região do caule da planta, apresentando, como sintoma reflexo, amarelecimento e seca na parte externa das folhas.

Controle: São recomendadas a eliminação dos restos de culturas anteriores e a realização de rotação de cultura com espécies não susceptíveis.

A solarização do solo, com emprego de polietileno transparente por no mínimo 60 dias, é recomendada para reduzir a população não só de Sclerotinia sclerotiorum, mas também de outros patógenos de solo.

Realizar pulverizações com fungicidas específicos, registrados para as culturas.

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente
Mostrando 1 até 12 de 58