Verrugose (Elsinoë mangiferae)

Verrugose

(Elsinoë mangiferae)

Culturas Afetadas: Manga

Anamorfo: Sphaceloma mangiferae

Esta doença usualmente não é de muita importância nos pomares, porém pode causar danos significativos nas árvores jovens nos viveiros. A doença foi observada pela primeira vez na Flórida e Cuba, em 1942. Além de Cuba e Estados Unidos, tendo sido relatada, também, em Barbados, México e Taiwan. No Brasil, existem registros da doença no estado de Goiás.

Elsinoë mangiferae é um patógeno de plantas da família Anacardiaceae, entre elas manga e caju.

Danos: Afeta as folhas onde causa pequenas manchas circulares, escuras, que em ataques severos causam encarquilhamento e queda das mesmas. O centro da lesão desintegra-se nas folhas velhas, formando pequenos orifícios irregulares. Nos ramos, observam-se manchas irregulares acinzentadas.

Frutos afetados mostram lesões acinzentadas ou marrons, com margens irregulares e escuras, salientes e ásperas ao tato. Com o desenvolvimento dos frutos, as áreas afetadas expandem-se, ficando com aspecto de uma camada corticosa e com a parte central fendida, expondo finas porções de tecido sadio.

Os danos geralmente limitam-se à superfície externa dos frutos, afetando seu aspecto e reduzindo seu valor comercial. Quando as lesões atingem os tecidos internos, inutilizam os frutos para o consumo.

Controle: Os produtos utilizados para o controle da antracnose também atuam sobre a verrugose. Nos viveiros, onde pode atingir certa gravidade, recomendam-se pulverizações com fungicidas cúpricos, principalmente durante os fluxos vegetativos.

Fotos

Deslize o dedo na tabela abaixo para movê-la horizontalmente