Bula Cobre Atar BR

CI
Óxido Cuproso
1788703
Albaugh

Composição

Óxido cuproso 560 g/kg
Equivalente em cobre metálico 500 g/kg

Classificação

Terrestre
Fungicida, Bactericida
4 - Produto Pouco Tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Pó molhável (WP)
Contato

Abacate

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Dothiorella gregaria (Podridão de dothiorella) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Pseudocercospora purpurea (Cercosporiose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sphaceloma perseae (Verrugose) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Amendoim

Calda Terrestre Dosagem
Cercospora arachidicola (Mancha castanha) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Pseudocercospora personata (Mancha preta) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Sphaceloma arachidis (Verrugose) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Banana

Calda Terrestre Dosagem
Mycosphaerella musicola (Mal da sigatoka) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Cacau

Calda Terrestre Dosagem
Crinipellis perniciosa (Vassoura de bruxa) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Erythricium salmonicolor (Rubelose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phytophthora palmivora (Podridão parda) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Café

Calda Terrestre Dosagem
Cercospora coffeicola (Olho pardo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Colletotrichum coffeanum (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Hemileia vastatrix (Ferrugem do cafeeiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria citri (Podridão negra) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Corticium salmonicolor (Doença rosada) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Diaporthe citri (Podridão penducular) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Elsinoë australis (Verrugose da laranja doce) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Elsinoë fawcetti (Verrugose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phytophthora citrophthora (Podridão parda) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Cravo

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria dianthi (Pinta preta) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Cladosporium echinulatum (Mancha da folha e cálice) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Uromyces dianthi (Ferrugem do craveiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Feijão

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum lindemuthianum (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phaeoisariopsis griseola (Mancha angular) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Uromyces appendiculatus (Ferrugem) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Feijão vagem

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum lindemuthianum (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phaeoisariopsis griseola (Mancha angular) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Uromyces appendiculatus (Ferrugem) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Figo

Calda Terrestre Dosagem
Cerotelium fici (Ferrugem da figueira) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phyllosticta sycophila (Mancha foliar) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phytophthora nicotianae var. nicotianae (Podridão do fruto) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Fumo

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria tenuissima (Tombamento) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Goiaba

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phyllosticta guajavae (Mancha de phyllosticta) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Puccinia psidii (Ferrugem) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Maçã

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Entomosporium mespili (Entomosporiose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Monilinia fructicola (Podridão parda) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Neonectria galligena (Cancro europeu) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Venturia inaequalis (Sarna da maçã) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Mamão

Calda Terrestre Dosagem
Asperisporium caricae (Varíola) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Manga

Calda Terrestre Dosagem
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Elsinoë mangiferae (Verrugose) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pera

Calda Terrestre Dosagem
Botryosphaeria obtusa (Podridão negra) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Entomosporium mespili (Entomosporiose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Monilinia fructicola (Podridão parda) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Venturia inaequalis (Sarna da maçã) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Pêssego

Calda Terrestre Dosagem
Cladosporium carpophilum (Sarna do pessegueiro) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Monilinia fructicola (Podridão parda) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Taphrina deformans (Crespeira) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Rosa

Calda Terrestre Dosagem
Diplocarpon rosae (Mancha negra) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phragmidium mucronatum (Ferrugem das roseiras ) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Seringueira

Calda Terrestre Dosagem
Microcyclus ulei (Mal das folhas) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Tomate

Calda Terrestre Dosagem
Alternaria solani (Pinta preta grande) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Cladosporium fulvum (Mancha de cladosporium) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Clavibacter michiganensis subsp michiganensis (Cancro bacteriano) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Erwinia carotovora ssp carotovora (Podridão mole) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Phytophthora infestans (Requeima) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Septoria lycopersici (Septoriose) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Stemphylium solani (Mancha de stemphylium) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Xanthomonas vesicatoria (Mancha-bacteriana) ( veja aqui ) ( veja aqui )

Cartucho de papelão: 1kg; 2 kg.
Saco de papel: 3 kg.
Saco Plástico: 3 kg.
Caixa de papelão com 16 sacos plásticos ou papel de 300 g cada: 4,8 kg. Saco de papel: 25 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

TARPI é um fungicida bactericida cúprico de contato, para uso preventivo, podendo ser aplicado no aparecimento dos primeiros sintomas das doenças que ocorrem nas culturas, conforme recomendadas na tabela a seguir.

MODO/EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO

TARPI deve ser utilizado preventivamente, podendo ser aplicado no aparecimento dos primeiros sintomas das doenças através de pulverização, utilizando-se equipamentos tratorizados de barra ou costais.
Utilizar bicos tipo cone ou equivalentes, compressão de 40 Ib/pol², aplicando um volume de calda conforme recomendada na tabela, observando que esteja ocorrendo uma boa cobertura de pulverização nas plantas.
Observações locais deverão ser efetuadas visando evitar a deriva e a evaporação do produto. Para preparar a calda, despejar o produto sobre a água, agitando lentamente até a formação de uma calda homogênea, mantendo-o sob constante agitação e utilizando-a no mesmo dia da preparação.

INTERVALO DE SEGURANÇA (período de tempo que deverá transcorrer entre a última aplicação e a colheita)

Fumo, Cravo e Rosa: Uso não alimentar;
Demais culturas: Os níveis máximos de cobre devem obedecer à legislação específica para contaminantes em alimentos “in natura”, quando aplicável. Intervalo de segurança: sem restrições

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

01 dia.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e na bula. Quando este produto for utilizado de acordo com as recomendações da bula, não causará danos as culturas indicadas.
Outras restrições a serem observadas: Após as aplicações, lavar interna e externamente os pulverizadores, reservatórios, etc., para evitar problemas de corrosão nos seus componentes a base de alumínio.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, inseticidas, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

O uso sucessivo de fungicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população de fungos causadores de doenças resistentes a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e consequente prejuízo.
O fungicida TARPI é composto por Óxido Cuproso, que apresenta mecanismo de ação de atividade de contato multisítio, pertencente ao Grupo M01, segundo classificação internacional do FRAC (Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas).
Como prática de manejo de resistência e para evitar os problemas com a resistência dos fungicidas, seguem algumas recomendações:
- Utilizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo M01 para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
- Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. resistência genética, controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.
- Utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo/bula.
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais sobre orientação técnica de tecnologia de aplicação e manutenção da eficácia dos fungicidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

Corrosivo ao alumínio.




Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.