Bula Baytan FS

acessos
Triadimenol
888798
Bayer

Composição

Triadimenol 150 g/L Triazol

Classificação

Fungicida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada para Tratamento de Sementes (FS)
Sistêmico
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Damping-off
(Rhizoctonia solani)
200 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Aveia Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem da folha
(Puccinia coronata var. avenae)
250 a 270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Helmintosporiose
(Drechslera avenae)
250 a 270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Cevada Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha angular
(Drechslera teres)
200 a 270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Oídio
(Blumeria graminis f.sp. hordei)
200 a 270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Carvão
(Ustilago tritici)
270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Ferrugem da folha
(Puccinia triticina)
270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Mancha das glumas
(Stagonospora nodorum)
235 a 270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Mancha marrom
(Bipolaris sorokiniana)
235 a 270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio
Oídio
(Blumeria graminis f.sp. tritici)
235 a 270 mL p.c./100 kg de sementes - - - - Trat. de semente, única aplicação antes do plantio

Bombona plástica: 5; 10; 20; 25 e 50 L
Frasco plástico: 0,1; 0,2; 0,25; 0,3; 0,5; 1; 2; 2,5 e 5 L
Tambor plástico: 100; 200; 250; 500; 1000; 2000; 2500 e 5000 L
Tanque aço inox: 10.000; 15.000; 20.000; 23.000 e 25.000 L

INSTRUÇÕES DE USO: O Baytan SC é um fungicida sistêmico do grupo dos triazóis com amplo espectro de ação, sendo exclusivamente indicado para o tratamento de sementes de algodão, aveia, cevada e trigo.

MODO/EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO: Diluir a dose indicada para 100 kg de sementes em água até atingir o volume de 500 ml de calda. Este volume é suficiente para dar uma boa cobertura às sementes nos tratamentos em máquinas com homogeneizador automático, modelo Niklas, Mecmaq e Petkuswutha. Quando se emprega o tambor rotativo motorizado ou manual, pode-se usar 1000 ml de calda para 100 kg de sementes, dependendo do tamanho e pureza das sementes. Neste caso, recomenda-se que o plantio seja feito logo após o tratamento. Nos cereais de inverno os resultados experimentais demonstram que o TRIADIMENOL inibe a formação do mesocótilo, um dos principais órgãos usados por Helminthosporium sativum presente no solo, para atingir a parte aérea da planta. Devido à ausência deste órgão, torna-se muito importante obedecer rigorosamente a recomendação oficial da pesquisa quanto a profundidade da semeadura (2 a 5 cm). O tratamento da semente aumenta o atrito entre os grãos, o que provoca uma diminuição da fluidez da mesma durante a semeadura, reduzindo a quantidade de sementes/ha. Por isso, recomenda-se fazer a regulagem da semeadeira com a semente tratada.

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO: Uso exclusivo no tratamento de sementes.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Não determinado por referir-se a tratamento de sementes.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NA CULTURA E ÁREAS TRATADAS: Como a finalidade do produto é tratamento de sementes, não há restrições quanto à reentrada de pessoas em lavouras tratadas.

LIMITAÇÕES DE USO: O tratamento de sementes deve ser efetuado em local arejado e específico para esse fim. Utilizar somente sementes limpas (livre de poeira e impurezas) e de boa qualidade (alto poder germinativo e bom vigor). As sementes tratadas não podem ser utilizadas para alimentação humana ou animal.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos. Use macacão com mangas compridas, avental impermeável, óculos ou viseira facial, máscara descartável contra vapores orgânicos cobrindo nariz e boca e luvas/botas de borracha.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Evite o máximo possível, o contato com sementes tratadas. Efetuar o tratamento das sementes em local arejado. Use macacão com mangas compridas, avental impermeável, óculos ou viseira facial, máscara descartável contra vapores orgânicos cobrindo nariz e boca e luvas/botas de borracha.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Tome banho, troque e lave as suas roupas. No descarte de embalagens use macacão de mangas compridas e luvas/botas de borracha.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Não provoque vômito. Beba 1 ou 2 copos de água com 10 g ou mais de carvão medicinal e procure logo o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. Olhos: Lave com água em abundância e procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância e procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. Inalação: Procure local arejado. Vá ao médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: Em animais, o produto em doses muito altas age sobre o sistema nervoso central manifestando-se na forma de agitação, fases alternadas de aumento e redução de motilidade e agressividade. Em administração oral a ratos, o produto é de moderado a rapidamente absorvido pelo organismo a partir do trato gastrointestinal, sendo eliminado também rapidamente dos órgãos e tecidos. Após 3 dias a eliminação foi praticamente completa, pelas vias biliar/fecal e renal. Não ocorre excreção pelo ar exalado.

EFEITOS AGUDOS E CRÔNICOS: Agudos: em ratos, via oral, os sinais ocorreram 4 horas após a aplicação e foram: distúrbios respiratórios, de motilidade e de comportamento não específicos. Via dermal foi observada para os ratos fêmeas, os mesmos sinais descritos via oral e, nos machos, somente apatia e passos largos. Não foram observados sinais de intoxicação via inalatória para ratos. Em coelhos, o produto não se apresentou como irritante dermal ou ocular, embora ocasione leve avermelhamento na conjuntiva dos olhos, que desaparece dentro de 48 horas. Não é sensibilizante à pele de cobaias. Crônicos: no ensaio conduzido com ratos durante 2 anos, observou-se nas duas doses mais altas testadas (500 e 2000 ppm) aumento da atividade da transaminase e da desidrogenase glutamate, respectivamente durante todos os exames e no final do experimento e constatações gravimétricas (aumento de peso do fígado nas fêmeas na dose mais elevada indicaram influência no fígado, porém não correlacionadas com os exames de patologia macroscópica e histopatologia). Com relação ao restante dos parâmetros requeridos neste tipo de estudo, não foi constatado nenhuma anormalidade ou efeitos significativos.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.

SINTOMAS DE ALARME: Em animais, age sobre o sistema nervoso central após doses muito altas, sinais no estômago (irritação da mucosa) e fígado (aumento de peso e indução de enzimas microssomáticas) são observados.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA/ANTÍDOTO: Não específico - Tratamento sintomático conforme as ocorr��ncias clínicas surgirem e segundo sua gravidade. Não induzir ao vômito devido ao risco de pneumonite se o produto for aspirado durante o vômito.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é MUITO PERIGOSO (Classe II) ao meio ambiente. Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções da bula. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a empresa. Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos de águas, siga as instruções: Piso pavimentado: coloque material absorvente (p. ex. serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado e recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, contate a empresa ou, o distribuidor ou qualquer representante da empresa na região. O produto deverá ser desativado conforme orientação de destinação de resíduos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água; Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada; Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal e contate o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido; Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechado. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais, distantes de moradias. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES DE TRANSPORTE: O transporte é feito observando-se as normas da legislação vigente específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, alimentos, rações, medicamentos ou outros materiais.

INFORMAÇÕES SOBRE O DESTINO FINAL DE EMBALAGENS E DAS SOBRAS DE AGROTÓXICOS E AFINS: Sobras do produto deve ser armazenada na sua embalagem original, em local apropriado. As embalagens deverão ser enxaguadas três vezes (TRÍPLICE LAVAGEM) e a calda resultante acrescentada à preparação para tratamento das sementes. Não reutilize embalagens vazias. As embalagens devem ser perfuradas, de maneira a torná-las inadequadas para outros usos. Observar legislações Estadual e Municipal específicas. Fica proibido o enterrio de embalagens. Consulte o órgão estadual de meio ambiente. Para desativação de restos de produto contate a empresa BAYER S.A. e o Órgão Estadual de Meio Ambiente. A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação e aprovados pelo órgão estadual responsável, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado das doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle.
O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, fungicidas, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Para as culturas que, durante o ciclo, exigem um elevado número de aplicações, recomenda-se:
· realizar a rotação de fungicidas com mecanismos de ação distintos, visando prevenir o aparecimento de fungos resistentes e prolongar a vida útil dos fungicidas na agricultura; utilizar o fungicida somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados na bula;
· incluir outros métodos de controle de doenças (ex. resistência genética, controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados
· consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das recomendações locais para o manejo de resistência.