Bula Canion - Adama

Bula Canion

CI
Hexazinona
6413
Adama

Composição

Hexazinona 900 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
4 - Produto Pouco Tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Pó solúvel (SP)
Seletivo, Sistêmico

- Saco externo com ou sem saquinho hodrossolúvel -
Aluminizado: 100, 200, 250, 500, 1000, 2000, 2500 e 5000 gramas de peso líquido.

- Saco externo com ou sem saquinho hodrossolúvel -
Plásticos: 100, 200, 250, 500, 1000, 2000, 2500 e 5000 gramas de peso líquido.

- Saco externo com ou sem saquinho hodrossolúvel -
Papel com revestimento interno plastificado ou aluminizado: 100, 200, 250, 500, 1000, 2000, 2500 e 5000 gramas de peso líquido.

- Caixa secundária -
Cartão ou de plástico: 100, 200, 250, 500, 1000, 2000, 2500 e 5000 gramas de peso líquido.

- Caixa Secundária -
Papelão ou de plástico: 5, 10, 15, 20 e 25 Kg de peso líquido.

- Frasco, pote, galão, balde ou bombona -
Plástico ou Metal: 100, 200, 250, 500, 1000, 2000, 2500 e 5000 gramas de peso líquido.

- Tambor -
Metálico ou de Plástico: 50, 100, 150 e 200 Kg de peso líquido.

- Big-bag -
Plástico estruturado: 100, 200, 500 e 1000 kg de peso líquido.

- Container/Retornável -
Metálico: 500, 1000, 5000, 10000, 1700, 1800 e 20000 kg de peso líquido.

INSTRUÇÕES DE USO

CANION é um herbicida de ação sistêmica e seletivo, indicado para o controle de plantas infestantes na cultura da cana-de-açúcar.

MODO DE APLICAÇÃO

A aplicação do herbicida CANION poderá ser efetuada através de pulverização terrestre (manual ou tratorizada) e aeronaves agrícolas.

APLICAÇÃO TERRESTRE:
O herbicida pode ser aplicado via terrestre através de pulverizador tratorizado de barra, equipado com pontas do tipo leque jato plano, em volume de calda de 200L/ha, com pressão de trabalho variando conforme tipo de pulverizador e bicos utilizados. A altura da barra deve permitir boa cobertura do solo e/ou plantas infestantes. Observar que a barra em toda sua extensão esteja na mesma altura.
É necessária contínua agitação no tanque e fechamento do registro do pulverizador durante as paradas e manobras do equipamento, evitando-se desperdícios e sobreposições das faixas de aplicação que podem duplicar a dose aplicada.

APLICAÇÃO AÉREA:
CANION pode ser aplicado via aérea através de aeronaves agrícolas equipadas com barra contendo pontas do tipo cônicas D8, D10 ou D12, proporcionando um volume de 30 a 40 L/ha de calda, densidade de 40 gotas/cm² e com tamanho de gotas médias a grossas, preferencialmente. Pode também ser aplicado com atomizadores rotativos Micronair ou semelhante.
Altura de voo: 3 a 5 metros sobre o alvo.
Largura da faixa de deposição efetiva: de acordo com a aeronave, de modo a proporcionar uma cobertura uniforme.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

Devem-se observar as condições climáticas ideais para a aplicação via terrestre e aérea do produto, tais como:
- Temperatura ambiente até 30°C;
- Umidade relativa do ar no mínimo de 55%;
- Velocidade do vento entre 3 e 10 km/h;
Para outros parâmetros referentes à tecnologia de aplicação, seguir as recomendações técnicas indicadas pela pesquisa e/ou assistência técnica da região, sempre sob orientação de um Engenheiro Agrônomo.

PREPARO DA CALDA

O abastecimento do tanque do pulverizador deve ser feito enchendo o tanque até 1/3 da sua capacidade com água, mantendo o agitador ou retorno em funcionamento e então adicionar o produto, completando por fim o volume com água. Caso indicado óleo mineral, este deve ser o último produto a ser adicionado à calda. A agitação deve ser constante durante a preparação e aplicação do produto.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Cana-de-açúcar: 150 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite entrar antes desse período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPI's) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

• As aplicações em cana-soca devem ser feitas após o enleiramento da palha.
• Não aplicar em solos arenosos com menos de 2% de matéria orgânica ou em qualquer solo com menos de 1% de matéria orgânica em cana-planta.
• Para cana-planta, recomenda-se que as aplicações sejam feitas após as primeiras chuvas depois do plantio, para se evitar concentração excessiva do produto no sulco de plantio, em decorrência do assoreamento, obtendo-se assim maior seletividade à cultura e uniformidade de controle nas entrelinhas.
• Chuvas extremamente pesadas após a aplicação podem resultar em um baixo controle e/ou injúria à cultura, especialmente se a aplicação for feita em solo seco.
• Não aplicar através de sistemas de irrigação.
• A aplicação do CANION em pós-emergência inicial em plantas que estão em estresse devido à estiagem prolongada, poderá reduzir a eficiência dos resultados.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
• Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo C1 para o controle do mesmo alvo, quando apropriado.
• Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas.
• Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto.
• Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas.
Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

GRUPO C1 HERBICIDA

O produto herbicida CANION é composto por hexazinona, que apresenta mecanismo de ação de Inibição da fotossíntese no fotossistema II, pertencente ao Grupo C1, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas), respectivamente.

Corrosivo ao ferro, alumínio, cobre e latão.