Bula Certero

acessos
Triflumuron
4899
Bayer

Composição

Triflumurom 480 g/L Benzoiluréia

Classificação

Inseticida
II - Altamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Fisiológico inibidor da síntese de quitina
Abobrinha Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca dos frutos
(Diaphania nitidalis)
75 mL p.c./ha 600 a 1000 L de calda/ha - Reaplicação a cada 7 dias. Máximo de 4 aplicações. 5 dias Preventivamente no florescimento
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê
(Alabama argillacea)
30 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Caso necessário, reaplicar de 15 a 20 dias. 28 dias Início da infestação
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
50 a 80 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Caso necessário, reaplicar de 15 a 20 dias. 28 dias. Início da infestação
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traça da batatinha
(Phthorimaea operculella)
400 mL p.c./ha 600 a 1000 L de calda/ha - Caso necessário, reaplicar após 7 dias. Máximo de 6 aplicações. 7 dias. Início do aparecimento da praga
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca do colmo
(Diatraea saccharalis)
50 a 80 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Reaplicar caso necessário. Máximo de 2 aplicações. 40 dias. Início da infestação. Com 3% de incidência de lagartas fora do colmo
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
10 mL p.c./100L água 2000 L de calda/ha - Reaplicar de 15 a 20 dias. Máximo 3 aplicações. 28 dias. Início da infestação
Fumo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traça da batatinha
(Phthorimaea operculella)
250 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - - UNA Float, ou após 7 dias do transplante
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
50 a 100 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Caso necessário, reaplicar de 15 a 20 dias. 28 dias. Início da infestação
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
30 a 50 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Caso necessário, reaplicar de 15 a 20 dias. 28 dias. Início da infestação
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca pequena do tomateiro
(Neoleucinodes elegantalis)
30 mL p.c./100L água 600 a 1000 L de calda/ha - Repetir semanalmente. Mácimo 6 aplicações. 10 dias. Aparecimento das primeiras flores
Traça do tomateiro
(Tuta absoluta)
30 mL p.c./100L água 600 a 1000 L de calda/ha - 4 reaplições semanalmente. 10 dias Presença de mariposas e ovos
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do trigo
(Pseudaletia sequax)
até 30 mL p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Caso necessário, reaplicar de 15 a 20 dias. 14 dias. Início da infestação

EMBALAGEM MATERIAL CAPACIDADE
Frasco Plástico 0,25;0,30;0,5;0,9;1;1,5;2;2,5;3 e 4 L

Bombona Plástico 5;10;20;25 e 50 L

Tambor Plástico 100;200;250;500;800;900;1.000;2.000 e 2.500 L

Tanques Metal 10.000;15.000;20.000;23.000 e 25.000 L

Containers Metal 10.000;15.000;20.000;23.000 e 25.000 L

MODO DE APLICAÇÃO:
O produto deve ser aplicado com equipamentos terrestres (pulverizador costal manual, motorizado e tratorizado) e por aeronaves. As gotas devem ter de 100 a 200 micras de diâmetro e densidade de 20 a 30 gotas / cm².
Quando se empregam pulverizadores de barra, devem-se usar bicos apropriados para a motalidade; pressão da bomba, 80 a 100 lb / pol²; 200 a 300 L de calda/ha.
Na aplicação com aeronaves, nas culturas de algodão, cana-de-açúcar, milho, soja e trigo, o avião pode ser equipado com barra (bico cônico) ou micronair; altura de vôo 2 a 4 m do alvo a ser atingido, pressão da bomba 30 a 50 lb/pol², vazão de 20 a 40 L/ha, largura da faixa de deposição 15 a 18 m; vento calmo ou menor que 8 km / h, temperatura inferior a 30ºC e umidade relativa do ar maior que 70%.
Para outros tipos de aparelhos, recomendamos observar um deslocamento e pressão constante, de forma que ocorra uma distribuição uniforme da calda aplicada. Na cultura da abobrinha, batata e tomate devem ser utilizados em torno de 600 a 1000 L de calda/ha. Na cultura de citros 2000 L de calda/ha.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Abobrinha: 5 dias
Algodão, citros, milho e soja: 28 dias
Batata: 7 dias
Cana-de-açúcar: 40 dias
Fumo: Uso Não Alimentar
Tomate: 10 dias
Trigo: 14 dias

LIMITAÇÕES DE USO:
Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula.
Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas.

ANTES DE USAR LEIA COM ATENCAO AS INSTRUÇÕES.

PRODUTO PERIGOSO.

USE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COMO INDICADO.

PRECAUÇÕES GERAIS:

Produto para uso exclusivamente agrícola.
Não coma, nao beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
Não utilize equipamentos de protecção individual (EPI) danificados.
Não utilize equipamentos corn vazamentos ou defeitos.
Não desentupa bicos, orificios e valvulas corn a boca.
Não transporte o produto juntamente corn alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.

PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:

Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos.
Utilize equipamento de proteção individual — EPI: macacão corn tratamento hidrorepelente corn mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara corn filtro combinado (filtro químico contra vapores orgânicos e filtro mecanico classe P2 ou P3 quando necessario); Óculos de segurança corn proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.
Manuseie o produto em local aberto e ventilado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO

Evite o máxima passível o contato com a área tratada.
Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
Conforme modo de aplicação, de modo a evitar que o aplicador entre na névoa de produto.
Utilize equipamento de proteção individual — EPI: macacão com tratamento hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara corn filtro combinado (filtro químico contra vapores orgânicos e filtro mecanico Classe P2 ou P3 quando necessário); Óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO

Sinalizar a área tratada com os dizeres: "PROIBIDA A ENTRADA. ÁREA TRATADA" e manter os avisos até o final do período de reentrada.
Caso necessite entrar na áre tratada com o produto antes do término do intervalo de reentrada, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPIs), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
Os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: touca árabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara.
Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
Trosque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.

INTOXICAÇÕES POR TRIFLUMUROM (Triflumurom)

INFORMAÇÕES MÉDICAS

Grupo Quimico: Benzoiluréia.
Vias de exposição: Oral, dérmica, ocular e inalatória.
Toxicocinética: É a primeira benzoiluréia a ser comercializada nos anos 70, com ação de regulação do crescimento do inseto (IGR). Em animais experimentais: Absorção: benzoiluréias podem ser absorvidas através do trato digestivo e, em um grau menor, através da pele.
Distribuição: são amplamente distribuidas nos tecidos, sem acumular.
Metabolismo: a principal rota de metabolismo em animais é pela hidroxilação e que altas doses orais nao foram completamente absorvidas, mas o que foi absorvido pareceu ser rapidamente e completamente metabolizado por hidroxilação e hidrólise.
Excreção: em ratos e camundongos, a excreção urinária diminuiu proporcionalmente ao aumento do nível da dose. Em gatos, porcos e gado, e eliminada principalmente nas fezes, proporcional a dose administrada.
Mecanismos de Toxicidade: Nos insetos atua inibindo a síntese de quitina, que o ser humano não possui. Os mecanismos de toxicidade em humanos não são completamente conhecidos. Ação oxidativa nos eritrócitos foi evidente pela presença de metahemoglobina,
sulfahemoglobina e corpos de Heinz, resultantes da oxidação da hemoglobina. A acão é reversivel.
Sintomas e sinais clínicos: Exposicäo aguda: toxicidade sistêmica e improvável a menos que grandes quantidades tenham sido ingeridas. Muitas uréias substituídas: são irritantes para os olhos, pele e membranas mucosas;podem causar tosse e dispnéia; metahemoglobinemia, sulfahemoglobinemia;náuseas, vômitos, diarréia, cefaléia, confusão e depleção de eletrólitos;
pode ocorrer sensibilização da pele e sintomas alérgicos.
Efeitos crônicos: pode causar alterações eritrocitarias, produção de metahemoglobina,
alteração do metabolismo proteico, moderado enfisema e perda de peso. Triflumurom não tem efeitos carcinogênicos, endócrinos, na reprodução ou sobre o desenvolvimento em humanos.
Diagnóstico: O diagnóstico é estabelecido pea confirmação da exposição e de quadro clínico compatível.
ATENÇÃO: Ligue para o Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 para notificar o caso e obter
informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento.
Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica
RENACIAT — ANVISA/MS
Notifique ao sistema de informação de agravos de notificação (SINAN/MS)
Telefone de Emergência da empresa: (0xx21) 2761-4023 e 0800-7010450

Mecanismo de ação, absorção e excreção para animais de laboratório:

Vide item toxicocinética nas informações acima. Não é conhecido o mecanismos de ação em mamíferos. Nos insetos atua inibindo a síntese de quitina, que o ser humano não possui.

Efeitos agudos e crônicos para animais de laboratório:

EFEITOS AGUDOS PARA ANIMAIS DE LABORATÓRIO ESTUDOS CONDUZIDOS COM CERTERO:

0 produto formulado apresenta para rato macho e fêmea, dose letal oral e dérmica aguda (DL50) maior que 5000 mg/kg. Levemente irritante a pele e aos olhos de coelhos. CL 50 >0,215 mg/L de ar em ratos. Não e sensibilizante de pele e não mostrou efeito mutagênico no teste corn microrganisnnos, bem como no de micronúcleo.
Efeitos crônicos: em estudos crônicos em animais as benzoiluréias causaram alterações entrocitarias, produção de metahemoglobina, alteração do metabolismo proteico, moderado enfisema e perda de peso. Triflumurom não tern efeitos carcinogênicos, endócrinos, na reprodução ou sobre o desenvolvimento.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:

Este produto é PERIGOSO ao meio ambiente (CLASSE III).
Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para microcrustáceos.
Evite a contaminação ambiental - Preserve a natureza.
Não utilize equipamento com vazamento.
Não aplique o produto na presença de ventos forte ou nas horas mais quentes.
Aplique somente as doses recomendadas.
Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d água.Evite a contaminação da água.
A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
Não execute aplicação aérea de agrotóxico em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinquenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e vegetação suscetível a danos.
Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes às atividades aeroagrícolas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:

Mantenha o produto em sua embalagem original sempre fechada.
O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolados de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais.
A construcao deve ser de alvenaria ou de material nao combustivel.
0 local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeavel.
Coloque placa de advertancia corn as dizeres: CUIDADO VENENO.
Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:

Isole e sinalize a area contaminada.

• Piso pavimentado: absorva o produto cam serragem au arreia, recolha o material com o auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. 0 produto derramado não devera ser mais utilizado. Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
• Solo: retire as camadas de terra contaminada ate atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.
• Corpos d'dgua: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano au animal, contate o Órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, vista que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUCAO, TRANSPORTE E DESTINACAO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPROPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

EMBALAGEM RIGIDA LAVAVEL LAVAGEM DA EMBALAGEM:

Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPI's — Equipamentos de Proteção Individual — recomendados para o preparo da, calda do produto.

Tríplice lavagem (lavagem manual):

Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos:
Esvazie completamente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posicäo vertical durante 30 segundos;
Adicione água limpa à embalagem ate 1/4 do seu volume;
Tampe bem a embalagem e agite-a por 30 segundos;
Despeje a água de lavagem no tanque do pulverizador;
Faça esta operação três vezes;
Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.

Lavagem sob Pressão:

Ao utilizar pulverizadores dotados de equipamentos de lavaqem sob pressão sequir os sequintes procedimentos:
Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador;
Acione o mecanismo para liberar o jato de água;
Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador;
Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.
Ao utilizar equipamento independente para lavaqem sob pressäo adotar as seguintes procedimentos:
Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mantê-la invertida sabre a boca do tanque de pulverização, em posição vertical, durante 30 segundos;
Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de agua para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
Toda a água de lavagem é dirigida diretamente para o tanque do pulverizador; Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA

Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem sob Pressão, essa embalagem deve ser armazenada com a tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas.
0 armazenamento das embalagens vazias, ate sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado ern local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e corn piso impermeável, ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA

No prazo de ate urn ano da data da compra, e obrigatória a devolucáo da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto no local indicado na nota fiscal, emitida no ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo de validade, será facultada a devolucäo da embalagem em ate 6 meses após o término do prazo de validade.
0 usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.

TRANSPORTE

As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS:

A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizadas pela Empresa Registrantes ou por empresas legalmente autorizadas pelo órgãos competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESSE PRODUTO

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS

A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO

Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilizacäo ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração ern fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.

TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:

0 transporte esta sujeito as regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos näo podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos e outros materiais.

RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ÓRGÃ0 COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO FEDERAL OU MUNICIPAIS:

De acordo com as recomendações aprovadas pelos órgãos responsáveis.

Incluir outros métodos de controle de insetos (Ex.: Controle Cultural, Biológico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

O inseticida Certero contém o ingrediente ativo triflumuron, peretencente ao grupo 15, das benzoiluréias, que agem como inibidores da formação de quitina tipo 0.
Para as culturas que normalmente exigem um númeo elevado de aplicações durante o ciclo vegetativo, tecnicamente é recomendada a rotação com inseticidas de grupos químicos de modo de ação diferentes, visando prolongar a vida útil dos inseticidas e retardar o aparecimento de pragas resistentes.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Podemos prolongar a vida útil dos inseticidas implementando as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI):
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas na bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.
Para informações adicionais sobre resistência de insetos, modo de ação e monitoramento de resistência, visite o site do IRAC (Insecticide Resistance Action Commitee), www.iraconline.org

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.