Bula Dipel WG

acessos
Bacillus thuringiensis
4707
Sumitomo

Composição

Bacillus thuringiensis 540 g/kg Inseticida microbiológico

Classificação

Inseticida biológico
II - Altamente tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Granulado Dispersível (WG)
Não Classificado
Abacaxi Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca do fruto
(Strymon basalides)
100 a 125 g p.c./ha 800 a 1000 L de calda/ha - Pulverizar a cada 15 dias até o fechamento das últimas flores (aproximadamente 80 dias após a indução floral forçada). Não determinado. Aplicar preventivamente, iniciando-se no surgimento da inflorescência (aproximadamente 40 dias após a indução floral forçada)
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê
(Alabama argillacea)
700 g p.c./ha 100 a 150 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Fazer aplicações a intervalos regulares, de acordo com o nível de infestação. Não determinado. Realizar o controle quando se constatar duas lagartas de até 1,5 cm por planta
Helicoverpa sp.
(Helicoverpa sp.)
500 a 750 mL p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Fazer aplicações a intervalos regulares, de acordo com o nível de infestação. Não determinado. Realizar o controle quando se constatar duas lagartas de até 1,5 cm por planta
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca do colmo
(Diatraea saccharalis)
750 g p.c./ha 300 L de calda/ha - Repetir o tratamento sempre que houver infestação. Não determinado. As aplicações deverão ser efetuadas no início da infestação (máximo de 4% de ocorrência de lagartas)
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicho furão
(Ecdytolopha aurantiana)
25 a 37,5 g p.c./100 L de água 3 a 5 L calda/m de altura de planta - - Não determinado. Recomenda-se adotar o Manejo Integrado de Pragas (MIP), fazendo-se inspeção visual em 1% da população de plantas por talhão, realizando-se o controle quando detectados até 10 frutos/talhão com sintomas de ataque do Bicho-furão
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta-falsa-medideira
(Pseudoplusia includens)
300 a 400 g p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 20 a 40 L de calda/ha (aéreo) Fazer aplicações a intervalos regulares, de acordo com o nível de infestação. Não determinado. Realizar o controle quando se constatar duas lagartas de até 1,5 cm por planta
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mariposa oriental
(Grapholita molesta)
100 g p.c./100 L de água 2000 L de calda/ha - Aplicar de acordo com o monitoramento realizado. Não determinado. Aplicar de acordo com o monitoramento realizado com armadilhas de feromônio, quando a população da praga atingir o nível de controle, ou seja, 20 machos por armadilha por semana
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca dos frutos
(Diaphania nitidalis)
500 a 700 g p.c./ha 500 L de calda/ha - Aplicar em intervalos semanais durante o ciclo da cultura. Não determinado. Aplicar preventivamente, quando as plantas estiverem no início da frutificação
Repolho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traças das crucíferas
(Plutella xylostella)
100 a 125 g p.c./100 L de água 500 L de calda/ha - - Não determinado. As aplicações deverão ser efetuadas no início da infestação, com as lagartas nos estádios iniciais de desenvolvimento
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
250 a 350 g.p.c./ha 200 L de calda/ha - Fazer aplicações a intervalos regulares, de acordo com o nível de infestação. Não determinado. Recomenda-se fazer aplicação quando a praga atingir o nível de dano econômico (10 lagartas menores que 1,5 cm por batida de pano)
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traça do tomateiro
(Tuta absoluta)
750 a 1000 g p.c./ha 650 a 1000 L de calda/ha - Repetir em intervalos semanais durante o ciclo da cultura. Não determinado. Devem-se iniciar as aplicações preventivamente, durante a fase de florescimento (antes dos primeiros frutos)
Uva Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta das fruteiras
(Argyrotaenia sphaleropa)
50 a 75 g p.c./100 L de água - - Repetir as aplicações sempre que se constatar a presença da praga. Não determinado. Iniciar as aplicações quando a cultura atingir a fase de frutificação, com as bagas do tamanho de “grão de ervilha” (estágio 31), utilizando-se calda até o ponto de escorrimento, de tal forma que haja boa uniformidade na cobertura em todas as partes aéreas das plantas

0,5; 1; 5 e 10 Kg.

INSTRUÇÕES DE USO
DIPEL WG é um inseticida biológico a base de Bacillus thuringiensis (Bt), que atua como disruptor das
membranas do aparelho digestivo das lagartas de Lepidópteros.
O êxito de DIPEL WG no controle de insetos está relacionado com a cobertura das folhas durante a aplicação. A aplicação deve proporcionar uma distribuição uniforme do produto sobre todas as partes das folhas onde as lagartas irão alimentar-se.

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
Para uma maior eficiência no controle de pragas, deve-se sincronizar a aplicação de DTEL WG com o momento dos estágios larvais iniciais, o qual se determina com uma contagem ou avaliação de pragas, a fim de se detectar a tempo as primeiras infestações no cultivo.


As aplicações de DIPEL WG devem ser repetidas em intervalos que permitam um controle adequado, dependendo do crescimento do cultivo, das chuvas e postura de ovos.
• ABACAXI: Aplicar preventivamente, iniciando-se no surgimento da inflorescência (aproximadamente 40 dias após a indução floral forçada). Pulverizar a cada 15 dias até o fechamento das últimas flores (aproximadamente 80 dias após a indução floral forçada), utilizando-se de 800 a
1000 litros de calda/ha (adicionar espalhante adesivo não-iônico do grupo químico dos silicones na dose de 100 mL/100 L d'água).
ALGODÃO: Realizar o controle quando se constatar duas lagartas de até 1,5 cm por planta. Fazer aplicações a intervalos regulares, de acordo com o nível de infestação. Deve-se utilizar o volume de calda variando entre 100 a 150 litros/ha, dependendo do estádio de crescimento das plantas. CANA-DE-AÇÚCAR: as aplicações deverão ser efetuadas no início da infestação (máximo de 4% de ocorrência de lagartas); repetir o tratamento sempre que houver infestação. Utilizar 300 L de calda/ha. CITROS: Recomenda-se adotar o Manejo Integrado de Pragas (MIP), fazendo-se inspeção visual em 1% da população de plantas por talhão, realizando-se o controle quando detectados até 10
frutos/talhão com sintomas de ataque do Bicho-furão. Aplicar de 3 a 5 litros de calda para cada metro de altura da planta.
MAÇÃ: Aplicar de acordo com o monitoramento realizado com armadilhas de feromônio, quando a população da praga atingir o nível de controle, ou seja, 20 machos por armadilha por semana, conforme recomendação técnica, devendo-se utilizar em torno de 2000 litros de calda/ha, de tal forma que haja boa uniformidade na cobertura em todas as partes aéreas das plantas.
MELÃO: Aplicar preventivamente, quando as plantas estiverem no início da frutificação, em
intervalos semanais durante o ciclo da cultura em mistura com 150 ml de espalhante adesivo por ha, utilizando-se 500 litros de calda/ha.
REPOLHO: As aplicações deverão ser efetuadas no início da infestação, com as lagartas nos estádios iniciais de desenvolvimento utilizando-se 500 litros de calda/ha.
SOJA: Recomenda-se fazer aplicação quando a praga atingir o nível de dano econômico (10 lagartas
menores que 1,5 cm por batida de pano), com adição de espalhante adesivo na dose de 0,2% v/v, gastando-se em torno de 200 litros de calda/ha.
TOMATE: Devem-se iniciar as aplicações preventivamente, durante a fase de florescimento (antes dos primeiros frutos). Repetir em intervalos semanais adicionando-se espalhante adesivo na
concentração de 0,2% v/v. O volume de calda pode variar de 650 até 1.000 litros/ha, dependendo do estádio de desenvolvimento das plantas.
UVA: Iniciar as aplicações quando a cultura atingir a fase de frutificação, com as bagas do tamanho de "grão de ervilha" (estágio 31), utilizando-se calda até o ponto de escorrimento, de tal forma que haja
boa uniformidade na cobertura em todas as partes aéreas das plantas. Repetir as aplicações sempre que se constatar a presença da praga.

OBS: Em condições de alta pressão populacional das pragas, deve-se utilizar a maior dosagem recomendada, bem como diminuir o intervalo das aplicações para obter melhor controle das pragas.
MODO E EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO: Preparo da Calda:
• Encher pela metade o tanque auxiliar;
• Fazer funcionar lentamente o agitador ou mexer manualmente, ir jogando aos poucos a quantidade desejada de DIPEL WG;
• Completar o volume do tanque, adicionando água lentamente e sempre com uma moderada agitação;
• Durante a pulverização, deve-se procurar manter uma agitação mínima.

OBS.: Agentes espalhante-adesivos poderão ser adicionados para melhorar a ação do produto. Neste caso, estes deverão ser adicionados a água somente após a adição de DIPEL WG.

DIPEL WG atua destruindo a parede estomacal das lagartas, ou seja, começa agir após a ingestão. Desta forma, deve-se observar que ocorra uma total cobertura das folhas, no tratamento.
DIPEL WG deve ser aplicado em pulverização via terrestre, utilizando-se pulverizadores costal manual, motorizados ou tratorizado, munido de bicos adequados, mantendo sempre o sistema de agitação do pulverizador em funcionamento durante a aplicação. Em caso de aplicação com pulverizadores tratorizados dotados com barra/bicos, recomenda-se o uso de bicos cônicos da serie D ou série X, e pressão de 80 a 150 lbs/pol2 dependendo o tipo do equipamento utilizado. Deve-se regular o pulverizador
de tal forma que a altura da barra fique de 30 a 50 cm acima do topo das plantas, e a distancia entre bicos de 30 a 50 em entre si.
ABACAXI: Utilizar pulverizadores costais ou tratorizados de barra equipados com bicos de jato cônico
vazio série D com difusores adequados ou bicos leque, com pressão de trabalho suficiente para
proporcionar tamanho de gotas de 200 a 250 micras e densidade de 200 gotas/cm2, de modo a se obter
uma boa cobertura das plantas na pulverização. Tamanho das gotas indicado é de 100 a 200 g. Pressão de 80 a 100 lb/pol2 e volume de calda de 800 a 1000 L/ha.
ALGODÃO E SOJA:
. Aplicação aérea: Avião agrícola, equipado com barra de bicos cônicos ou micronair, altura de vôo de 2
a 4 metros, pressão de 30 a 50 lb/pol2, volume de calda de 20 a 40 L/ha, velocidade do vento menor que 8 km/hora e UR do ar maior que 70%.
. Aplicação terrestre: Utilizar pulverizadores tratorizados de barra equipados com bicos de jato cônico vazio da série D com difusores adequados ou leque, com pressão de trabalho suficiente para proporcionar tamanho de gotas de 200 a 250 micras e densidade de 200 gotas/cm2, de modo a se obter uma boa cobertura das plantas na pulverização. Tamanho das gotas indicado é de 100 a 200 g. Pressão de 80 a 100 lb/pol2 e volume de calda de 100 a 200 L/ha. (ver tabela de Instruções de Uso)
CANA-DE-AÇÚCAR: Utilizar pulverizadores tratorizados de barra equipados com bicos de jato cônico vazio série D com difusores adequados ou bicos leque, com pressão de trabalho suficiente para proporcionar tamanho de gotas de 100 a 200 micras, de modo a se obter uma boa cobertura das plantas na pulverização. Recomenda-se utilizar 300 L/ha de volume de calda.
UVA: Recomenda-se o uso de pulverizador tipo Turbo Atomizador ou com pistola, calibrando-se o
equipamento para aplicar até o ponto de escorrimento e proporcionar uma cobertura uniforme em toda a parte aérea das plantas.
CITROS e MAÇÃ: Recomenda-se o uso de pulverizador tipo Turbo Atomizador ou com pistola,
calibrando-se o equipamento para proporcionar uma cobertura uniforme em toda a parte aérea das plantas. (ver tabela de Instruções de Uso)
. Aplicação com Turbo Atomizador: - Pressão = 300 lb/pol2
- Vazão = 2000 1 de calda/ha, ou seja, 5 a 10 litros de calda/planta, de acordo com a idade e tamanho da copa.

• Aplicação com Pistola:
- Pressão = 100 a 300 lb/pol2
- Vazão = 1500 a 2000 1 de calda/ha, ou seja, 5 a 10 litros de calda/planta, de acordo com a idade e tamanho da copa.
MELÃO, REPOLHO E TOMATE: Utilizar pulverizadores costais ou tratorizados de barra equipados com bicos de jato cônico vazio série D com difusores adequados ou leque, com pressão de trabalho suficiente para proporcionar tamanho de gotas de 200 a 250 micras e densidade de 200 gotas/cm2, de modo a se obter uma boa cobertura das plantas na pulverização. Tamanho das gotas indicado é de 100 a
200 g. Pressão de 80 a 100 lb/pol2 e volume de calda de 500 a 1000 L/ha. (ver tabela de Instruções de Uso)

Condições climáticas:
As aplicações devem ser feitas nas horas mais frescas do dia, de preferência na parte da manhã ou à tarde
em condições de temperatura inferior a 30°C, umidade relativa do ar acima de 70% e ventos abaixo de 10 km/h, para diminuir perdas por deriva e/ou evaporação

Regulagem de Equipamentos de Aplicação aérea:
Barra:
Bicos = D2, D10, Flat fan nozzles-8002 e 8006;
Pressão = 30 a 60 psi;
Volume de calda = 20 a 50 L/ha;
Altura de vôo = 1 a 3 metros;
Faixa de deposição = aproximadamente 20 metros;
Tamanho das gotas = 100 a 200 micra.

Micronair:
Ângulo da pá RPM Faixa Tamanho da gota
35º 7600 12 a 20 m 100 micras
45º 5500 12 a 20 m 125 micras
55º 3500 12 a 20 m 175 micras

Observe as condições climáticas para a aplicação aérea:
• Evitar aplicações em dias de muito calor e umidade muito baixa;
• Aplicações devem ser feitas pela manhã ou ao entardecer;
• O vento deverá ter velocidade inferior a 8 km/hora.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Não determinado

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana - ANVISA/MS).

LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade: Não há, para as culturas indicadas e nas doses recomendadas.
Outras Restrições: Não misturar DIPEL WG com produtos alcalinos tais como a Calda Bordalesa. I

NFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A SEREM UTILIZADOS:
Vide DADOS RELATIVOS À PROTEÇÃO DA SAÚDE HUMANA.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
Vide Modo de Aplicação

PRECAUÇÕES GERAIS:
- Produto para uso exclusivamente agrícola.
- Não coma. Não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
- Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
- Equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacão, botas, máscara, óculos, touca árabe e luvas.
- Não utilize Equipamentos de Proteção Individual (EPI) danificados.
- Não utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
- Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
- Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
-Caso ocorra contato acidental da pessoa com o produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência. Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar dispersão de poeira.- Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão impermeável com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro mecânico classe P2: óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila. -Manuseie o produto em local aberto e ventilado.
PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
- Evite o máximo possível o contato com a área tratada. -Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia. - Não aplique o produto contra o vento, se utilizar equipamento costal. Se utilizar trator (ou adão). aplique o produto contra o vento. -Aplique o produto somente nas doses recomendadas e observe o intervalo de segurança (intervalo de tempo entre a última aplicação e a colheita). - Utilize equipamento de proteção individual - EPI: macacão de algodão impermeável com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas, botas de borracha, máscara com filtro mecânico classe P2, óculos de segurança com proteção lateral, touca árabe e luvas de nitrila.
PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
- Sinalizar a área tratada com os dizeres: "PROIBIDA A ENTRADA. ÁREA TRATADA" e manter os avisos até o final do período de reentrada. -Caso necessite entrar na área tratada com o produto antes do término do intervalo de reentrada, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação. -Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado. longe do alcance de crianças e animais. –Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação. -Os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: touca árabe, óculos, botas, macacão, luvas e máscara. -Tome banho imediatamente após a aplicação do produto. - Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável. -Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto. -Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante. -Não reutilizar a embalagem vazia: -No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual - EPI : macacão de algodão impermeável com mangas compridas, luvas de nitrila e botas de borracha.
PRIMEIROS SOCORROS:
Procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto.
- Ingestão: Em caso de ingestão, não provoque vômito. Entretanto é possível que o mesmo ocorra espontaneamente não devendo ser evitado. Caso o vômito ocorra, deite o paciente de lado para evitar que aspire resíduo. ATENÇÃO: nunca dê algo por via oral para uma pessoa inconsciente.
- Olhos: Em caso de contato, lave com água corrente em abundância durante 15 minutos.
- Pele: Em caso de contato, lave com água corrente e sabão neutro em abundância.
- Inalação: Em caso de inalação, levar a pessoal para um local aberto e arejado. Se o acidentado parar de respirar, aplique imediatamente respiração artificial. Transporte-o imediatamente para assistência médica mais próxima.

ANTÍDOTO:
Nenhum antídoto específico é conhecido.
- Tratamento médico: O tratamento das intoxicações é basicamente sintomático e deve ser implementado paralelamente às medidas de descontaminação dos efeitos locais. O vômito é contra-indicado em razão do risco de aspiração.

- Este produto é:
POUCO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE IV).
-Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza
-Não utilize equipamentos com vazamentos.
-Aplique somente as doses recomendadas.
-Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes.
-Não lave as embalagens ou equipamentos aplicados em lagos, fontes, rios e demais corpos d’água. Evite a contaminação da água.
INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES
- Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
- O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais.
- A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível.
- O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
- Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
- Deve haver sempre recipientes disponíveis, para envolver embalagens rompidas.
- Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.
- Observe legislação estadual e municipal.
EM CASO DE ACIDENTE:
- Isole e sinalize a área contaminada.
- Utilize Equipamento de Proteção Individual.
- Contate as autoridades locais competentes e a Empresa SUMITOMO CHEMICAL DO BRASIL REPRESENTAÇÕES LTDA. - Telefone de Emergência: 0800-11 1767.
- Procure impedir que o produto atinja bueiros, drenos ou corpos d’água.
- Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2, ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.
DEVOLUÇÃO DE EMBALAGEMS VAZIAS:
-É obrigatória a devolução desta embalagem ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou, no local indicado, por escrito, na nota fiscal de compra, conforme instruções da bula. Não armazene ou transporte embalagens junto com alimentos, bebidas, rações, medicamentos, animais ou pessoas.
-A destinação inadequada de embalagens e restos de produtos no meio ambiente ocasiona contaminação do solo, da água e do ar.
- SIGA AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NA BULA REFERENTES AOS PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM E/OU DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS.
PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:
Caso este produto venha a se tomar impróprio para a utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone (0XX11) 3174-0355, para realizar a devolução e destinação final.
TRANSPORTE DE AGROTÓXICOS, COMPONENTES E AFINS:
- Está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica.

Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

INFORMAÇÕES SOBRE MANEJO DE RESISTÊNCIA A INSETICIDAS:
Qualquer agente de controle de inseto pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto desenvolver algum mecanismo de resistência.
O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência à Inseticida - IRAC-BR, recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência a acaricida, visando prolongar a vida útil dos acaricidas:
- Qualquer produto para controle de inseto, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser utilizado em gerações consecutivas da praga.
- Usar somente as doses recomendadas na bula e no rótulo.
- Consultar sempre um engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência aos Inseticidas.
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

Compatibilidade

Vide Aplicação/Uso