Bula Galgotrin

acessos
Cipermetrina
378907
Chemotécnica

Composição

Cipermetrina 250 g/L Piretróide sintético

Classificação

Inseticida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Contato, Ingestão
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bicudo
(Anthonomus grandis)
250 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - 24 dias. 20 dias. 5 % de botões florais perfurados e 10 % dos botões florais perfurados após a emergência das flores
Curuquerê
(Alabama argillacea)
30 a 40 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - 24 dias. 20 dias. 1 lagarta / planta até 110 dias da emergência. 2 lagartas / planta e/ou desfolha de até 10 % do terço superior das plantas após 110 dias de emergência
Lagarta da maçã
(Heliothis virescens)
160 a 200 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - 24 dias. 20 dias. quando houver 10 % de infestação
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
250 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - 24 dias. 20 dias. 70 % das plantas com pulgões
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
50 mL p.c./ha 150 L de calda/ha - Único. 30 dias. Nos primeiros sinais de ataque, com primeiras plântulas cortadas ou no início da raspagem das folhas
Lagarta rosca
(Agrotis ipsilon)
60 mL p.c./ha 150 L de calda/ha - Único. 30 dias. Início da infestação
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da soja
(Rachiplusia nu)
80 a 100 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - Único. 30 dias. Antes da floração: 30 % de desfolha ou 40 lagartas / pano de batida. Após a floração: 15 % de desfolha ou 40 lagartas / pano de batida
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
40 a 60 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - Único. 30 dias. Antes da floração: 30 % de desfolha ou 40 lagartas / pano de batida. Após a floração: 15 % de desfolha ou 40 lagartas / pano de batida
Lagarta-falsa-medideira
(Pseudoplusia includens)
60 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - Único. 30 dias. Antes da floração: 30 % de desfolha ou 40 lagartas / pano de batida. Após a floração: 15 % de desfolha ou 40 lagartas / pano de batida
Percevejo verde
(Nezara viridula)
200 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - Único. 30 dias. Produção comercial: 4 percevejos / pano de batida. Produção sementes: 2 percevejos / pano de batida
Percevejo verde pequeno da soja
(Piezodorus guildinii)
200 mL p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha - Único. 30 dias. Produção comercial: 4 percevejos / pano de batida. Produção sementes: 2 percevejos / pano de batida
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca pequena do tomateiro
(Neoleucinodes elegantalis)
40 mL p.c./100L água 400 a 1000 L de calda/ha - Único. 10 dias. 5 % das pencas com frutos com a presença de ovos da praga
Traça do tomateiro
(Tuta absoluta)
40 mL p.c./100L água 400 a 1000 L de calda/ha - Único. 10 dias. 25 % das ponteiras com ovos ou lagartas, ou 25 % de folhas com a presença de lagartas e 5 % das pencas com frutos de até 2 cm de diâmetro, com a presença de ovos

Frasco de folha de flandres revestido de resina epoxi ou Bombona plástica: 1, 5, 10, 20. Tambor de ferro revestido com resina epoxi: 50, 100 e 200 L. Tambor plástico de 50 e 200 L.

INSTRUÇÕES DE USO:

GALGOTRIN é um inseticida indicado para o controle de pragas nas culturas de algodão, milho, soja e tomate.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:
A época de aplicação é determinada através da amostragem e conhecimento do nível de controle da espécie. Estes níveis são obtidos experimentalmente e determinados por órgãos de pesquisa para cada praga e cultura e podem variar, dependendo basicamente das condições ambientais do local, comportamento e danos econômicos das pragas para cada região. Quando for atingido o nível de controle, a aplicação deverá ser feita imediatamente.
Para cultura de algodão realizar no máximo 2 aplicações com intervalo de 24 dias; para as culturas de milho, soja e tomate realizar no máximo 1 aplicação.

ALGODÃO
Praga: Curuquerê (Alabama argillacea)
Nível de controle: Quando encontrar uma lagarta (maior que 1,5 cm) por planta (para lavoura sem maçã aberta -até 110 dias da emergência da cultura). Quando encontrar duas lagartas (maiores que 1,5 cm) por planta e/ou desfolhamento de até 10% no terço superior das plantas (para lavoura em início da abertura das maçãs - após 110 dias da emergência da cultura).

Praga: Bicudo (Anthonomus grandis)
Nível de controle: Quando encontrar:
-5% de botões florais perfurados, (dos 40 dias após a emergência da cultura, até o aparecimento da primeira flor).
-10% de botões florais perfurados, após o aparecimento da primeira flor, até 110 dias após a emergência.

Praga: Pulgão-do-algodoeiro (Aphis gossypii)
Nível de controle: Quando encontrar até 70% de plantas com pulgões (mais de 20 pulgões por folha).

Praga: Lagarta-das-maçãs (Heliothis virescens)
Nível de controle: Quando houver 10% de infestação (1 lagarta pequena - menor que 10 mm) em 10 plantas examinadas.

MILHO
Praga: Lagarta-rosca (Agrotis ipsilon)
Nível de controle: Fazer a pulverização no início da infestação, devendo atingir todas as partes da planta. Aplicar com bico do tipo leque e com vazão igualou maior que 150 L de água l/ha.

Praga: Lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda )
Nível de controle: Fazer a pulverização nos primeiros sinais de ataque, já nas primeiras plântulas cortadas ou no início da raspagem das folhas. Deve-se realizar 01 aplicação durante todo o ciclo da cultura, de forma intercalada com 02 ou 03 aplicações de outros inseticidas com mecanismo e sítios de ação diferentes, evitando assim o desenvolvimento de resistência ao inseticida por parte da praga. Trabalhar com vazão mínima de 150 L de água/ha e utilizar bico cônico. Deve-se utilizar bicos que proporcionem no mínimo 40 gotas por cm². As aplicações realizadas após as 17:00 horas apresentam melhor resultado, pois é neste período do dia que a lagarta se apresenta mais ativa.

SOJA
Praga: Lagarta-da-soja (Anticarsia gemmatalis), Lagarta-falsa-medideira (Pseudoplusia includens) e Lagarta-mede-palmo (Rachiplusia nu)
Nível de controle: Antes da floração: Controlar quando encontrar 30% de desfolhamento ou 40 lagartas (maiores que 1,5 cm) por batida de pano. Depois da floração: Controlar quando encontrar 15% de desfolhamento ou 40 lagartas (maiores que 1,5 cm) por batida de pano.

Praga: Percevejo-verde (Nezara viridula) e Percevejo-verde-pequeno (Piezodorus guildinii)
Nível de controle: Lavoura de produção de grãos: controlar quando encontrar 4 percevejos (maiores que 0,5 cm) por batida de pano. Lavoura de produção de sementes: controlar quando encontrar 2 percevejos (maiores que 0,5 cm) por batida de pano.

TOMATE
Praga: Broca-pequena-do- fruto (Neoleucinodes elegantalis )
Nível de controle: Fazer a pulverização quando encontrar 5% das pencas com frutos com a presença de ovos da praga.

Praga: Traça-do-tomateiro (Tuta absoluta)
Nível de controle: Fazer a pulverização quando encontrar 25% de ponteiros com ovos ou lagartas, ou 25% de folhas com a presença de lagartas e 5% de pencas com frutos de até 2 cm de diâmetro, com a presença de ovos.

MODO DE APLICAÇÃO:
O produto deve ser aplicado em pulverização com equipamento manual ou motorizado terrestre, usando como veículo a água.
Utilizar bicos tipo cone D2-25 (na vazão em tomo de 0,8 L/min), ou bicos X2 ou X3 (na vazão em tomo de 0,3 L/min), nestes casos utilizar água limpa evitando entupimento dos bicos.
A densidade de gotas deve ser de 30-80 gotas/cm², de tamanho entre 70 a 300 micra.

Na aplicação tratorizada, a pressão de trabalho deve ser de 60 a 100 libras/pol² .Calibrar o equipamento para volume de calda entre 200-500 L/ha a uma velocidade de 3 a 5 km/hora.
Para a cultura do tomate o volume de calda poderá variar de 400 a 1.000 L de calda/ha, conforme a idade da cultura (estádios de desenvolvimento). Na cultura do milho, ao fazer a aplicação dirigir o jato para atingir o cartucho da planta, podendo ser utilizados bicos de jato plano (leque) com 110° de ângulo.

NOTA: Em caso de usar outros equipamentos providenciar uma boa cobertura de pulverização nas plantas.
Embora o produto possua excelente resistência, a lavagem por chuvas, precipitações torrenciais nas primeiras duas horas após a aplicação reduzem a eficiência do produto.
Condições climáticas:
-Evitar as aplicações nas horas mais quentes do dia;
-Umidade relativa do ar deve ser maior que 50%;
-Evitar aplicações quando da ocorrência de ventos acima de 6 km/hora.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão 20 dias; Milho 30 dias; Soja 30 dias; Tomate: 10 dias.

LIMITAÇÕES DE USO:
-No controle da lagarta-rosca na cultura do milho ou da lagarta-do-cartucho, o produto deve ser aplicado no final do dia, pois neste período há maior atividade por parte das pragas.
-Antes de utilizar o produto, observar atentamente as instruções de uso.
-Seguindo as instruções de uso, o produto não apresenta fitotoxicidade para as culturas registradas.

RECOMENDAÇÕES GERAIS: Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas, avental impermeável, chapéu impermeável de abas largas, botas, máscaras protetoras especiais, providas de filtros adequados ao produto. Leia e siga as instruções do rótulo. Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos. Evite comer, beber ou ,fumar durante o manuseio ou aplicação do produto. Mantenha o produto afastado de alimentos ou de ração animal. Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água, lavando as embalagens ou aparelhagem aplicadora, bem como lançando-lhes seus restos. Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugar seco e ventilado.

Inutilize e enterre profundamente as embalagens do produto. Mantenha afastado das áreas de aplicação crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas, por um período de 7 dias após a aplicação do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc. com a boca. Uso exclusivamente agrícola. Após utilização do produto remova as roupas protetoras e tome banho. Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente. Distribua o produto da própria embalagem, sem contato manual. Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de intoxicação. Mantenha a embalagem longe do fogo. TÓXICO PARA PEIXES E ORGANISMOS AQUÁTICOS. TÓXICO PARA ABELHAS.

PRIMEIROS SOCORROS: Em caso de ingestão acidental, não provoque vômito beba água e procure imediatamente o médico levando a embalagem ou o rótulo do produto. Evite a inalação ou aspiração do produto. Caso isso aconteça procure local arejado e se houver sinais de intoxicação chame o médico. Evite contato com a pele. Caso isso aconteça, lave imediatamente as partes atingidas com água e sabão em abundância e se houver sinais de irritação procure o médico. Evite o contato com os olhos. Caso isso aconteça, lave-os imediatamente com água corrente durante 15 minutos e se persistir a irritação procure um médico levando a embalagem ou o rótulo do produto.

SINTOMAS DE ALARME: Cefaléia, náuseas, vômitos e cólicas abdominais. No contato dérmico pode ocorrer pruridos, urticárias e irritação ocular. Pode ocorrer dificuldade respiratória e tosse improdutiva em pacientes hipersensíveis.

ANTÍDOTOS E TRATAMENTO (PARA OS CASOS DE INTOXICAÇÃO): Anti-histamínico e tratamento sintomático.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Incluir outros métodos de controle deinsetos (ex. Controle Cultural, Biólogo, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência. As seguintes estratégias podem prevenir, retardar ou reverter a evolução da resistência:
-Rotação de produtos com mecanismos de ação distintos, quando apropriado;
-Adotar outras táticas de controle, prevista no Manejo Integrado de Pragas (MIP) como rotação de culturas, controle biológico, controle por comportamento etc., sempre que disponível e apropriado;
-Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
-Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
-Informações sobre possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhados para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (www .agricultura.gov.br).