Bula Goal BR - Dow AgroSciences

Bula Goal BR

acessos
Oxyfluorfen
1838604
Dow AgroSciences

Composição

Oxyfluorfem 240 g/L Éter difenílico

Classificação

Herbicida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Não Classificado
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Seletivo, Não sistêmico

Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Arroz vermelho
(Oryza sativa (Arroz vermelho))
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Junquinho
(Cyperus ferax)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Mostarda
(Brassica rapa)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Tiririca
(Cyperus difformis)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Arroz irrigado Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Arroz vermelho
(Oryza sativa (Arroz vermelho))
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Junquinho
(Cyperus ferax)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Mostarda
(Brassica rapa)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Tiririca
(Cyperus difformis)
1 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Arroz vermelho
(Oryza sativa (Arroz vermelho))
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Junquinho
(Cyperus ferax)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Mostarda
(Brassica rapa)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Tiririca
(Cyperus difformis)
2 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 5 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Cana-de-açúcar Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Arroz vermelho
(Oryza sativa (Arroz vermelho))
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Junquinho
(Cyperus ferax)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Mostarda
(Brassica rapa)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Tiririca
(Cyperus difformis)
2 a 5 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - Não determinado. Pré-emergência das plantas daninhas
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Arroz vermelho
(Oryza sativa (Arroz vermelho))
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Junquinho
(Cyperus ferax)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Mostarda
(Brassica rapa)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Tiririca
(Cyperus difformis)
3 a 6 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - 10 dias. Pré e pós emergência das plantas daninhas
Eucalipto Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Arroz vermelho
(Oryza sativa (Arroz vermelho))
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Junquinho
(Cyperus ferax)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Mostarda
(Brassica rapa)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Tiririca
(Cyperus difformis)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Pinus (Floresta implantada) Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Arroz vermelho
(Oryza sativa (Arroz vermelho))
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Beldroega
(Portulaca oleracea)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim colonião
(Panicum maximum)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Carrapicho de carneiro
(Acanthospermum hispidum)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Carrapicho rasteiro
(Acanthospermum australe)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Junquinho
(Cyperus ferax)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Mostarda
(Brassica rapa)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Nabiça
(Raphanus raphanistrum)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Picão preto
(Bidens pilosa)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas
Tiririca
(Cyperus difformis)
3 a 4 L p.c./ha 200 a 500 L de calda/ha 20 a 60 L de calda/ha (aéreo) - UNA. Pré-emergência das plantas daninhas

Frascos plásticos ou metálicos de 0,5;1; 3,8;4 e 5 L.
Lata metálica: 1 L.
Balde metálico ou plástico:1; 4;10;15;20;25;30;35 e 50 L.
Tambor plástico ou metálico: 50, 100, 200; 205 e 205 L.
Bombona de plástico: 4;5;10;20;25;30;35 e 50 L
Mini Bulks de plástico ou metálico: 420;1.000 L
Isocontainer plástico ou metálico: 10.000;15.000;16.000;17.000;18.000;19.000;20.000;21.000;22.000;23.000;24.000;25.000;26.000;30.000;32.000;35.000;36.000;40.000;50.000;60.000;70.000;80.000;90.000 e 100.000 L
Isotanque plástico ou metálico: 18.000;20.000;23.000;24.000;25.000;26.000;30.000;32.000;35.000;36.000 L
Bag in box plástico: 1;4;5;10;15;20;25;30;35 e 50 L
Intermediate Bulk Container-IBC de Plástico com revestimento metálico:1.000 L

INSTRUÇÕES DE USO:
GOAL BR é um herbicida de contato indicado para o controle de plantas daninhas gramíneas e de folhas largas, em aplicações de pré-emergência ou pós-emergência inicial, nas culturas de algodão, arroz irrigado, café, cana-de-açúcar, citros, pinus e eucalipto.

(*) As maiores doses são recomendadas para aplicações em pós-emergência das plantas
daninhas e/ou em pós ou pré-emergência das plantas daninhas mais tolerantes: carrapicho-
de-carneiro, carrapicho-rasteiro, corda-de-viola, picão-preto, capim-carrapicho, capim-
marmelada. Na cultura do arroz para aplicação em benzedura, utilizar a dose de 1,0 litro de
produto comercial/ha.
(**) 3 Litros/hectare é recomendada para áreas com baixa infestação de plantas daninhas e
efetividade de ação ao redor de 90 dias. 4 Litros/hectare é recomendada para áreas com
alta infestação de plantas daninhas e efetividade de ação por aproximadamente 120 dias.

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

ALGODÃO:
Recomenda-se a aplicação de GOAL BR na forma de jato dirigido, em pré-emergência às
plantas daninhas, ou quando estas tenham no máximo 3-4 cm de altura. Caso estejam mais
desenvolvidas, efetuar uma capina mecânica antes da pulverização. Aplicar quando o
algodoeiro tiver pelo menos 50 cm de altura, evitando que o produto atinja as folhas. Se o
algodoeiro estiver menor, usar capas protetoras.

ARROZ IRRIGADO:
-Pré-emergência:
Recomenda-se aplicar GOAL BR após o plantio até o início da germinação do arroz (estágio
agulha) e em pré-emergência das plantas daninhas.
-Benzedura:
Recomenda-se aplicar GOAL BR sobre a lâmina de água na dose de 1 litro por hectare em
pós-emergência das plantas daninhas e em pré-plantio da cultura.
-Pré-plantio:
Para o controle de arroz-vermelho e outras plantas daninhas, recomenda-se aplicar GOAL BR na dose de 3 a 4 litros/há, 15 a 20 dias antes do plantio do arroz.

CAFÉ:
- Viveiro:
Após a semeadura direta nos canteiros, deve-se fazer irrigação e em seguida aplicar o GOAL BR antes do 5° dia. Para manter o viveiro no limpo, a aplicação deve ser feita em pré-emergência ou pós-emerg ncia inicial das plantas daninhas, em área total inclusive nos
carreadores.
-Café Novo:
Após o transplante definitivo da mudas no campo faz-se a aplicação do GOAL BR em jato
dirigido para o colo das plantas Recomenda-se fazer até 2 aplicações anuais. Para esta
aplicação o solo deve estar livre restos de culturas e plantas daninhas.
-Café Adulto:
Arruação = Logo após a arruação recomenda-se a aplicação do GOAL BR em jato dirigido
para o solo, de modo a cobrir toda a área que foi limpa.
Esparramação = Logo após a esparramação recomenda-se a aplicação do GOAL BR em
jato dirigido para o solo.

CANA-DE-ACÚCAR:
-Pré-Emergência:
Recomenda-se uma aplicação de GOAL BR após o plantio e antes da emergência das
plantas daninhas.
-Cana-Soca:
Efetuar uma aplicação em pré-emergência às plantas daninhas e até o estágio de 2-3 folhas
da cana.

CITROS:
-Viveiro:
Recomenda-se aplicar GOAL BR em jato dirigido, após o pegamento das mudas em pré-
emergência ou pós-emergência inicial das plantas daninhas.
-Campo (local definitivo):
Recomenda-se aplicar GOAL BR jato dirigido para o colo da planta. Recomenda-se fazer 2
aplicações anuais. Para esta aplicação o solo deve estar livre de restos de culturas e
plantas daninhas.

EUCALIPTO:
Recomenda-se aplicar GOAL BR logo após o plantio das mudas. No caso de eucaliptus a
aplicação pode ser feita sobre as plantas transplantadas. Em eucaliptus com folhas pilosas,
recomenda-se dirigir o jato de pulverização para o colo das plantas.
Para maior economia, recomenda-se a aplicação de GOAL BR em faixa sobre a linha de
plantio. GOAL BR deve ser aplicado em pré-emergência das plantas daninhas com o solo
úmido, isento de restos de culturas, brotações, coberturas mortas e tocos.

PINUS:
Recomenda-se aplicar GOAL BR logo após o plantio das mudas. No caso de pinus a aplicação pode ser feita sobre as plantas transplantadas.
Para maior economia, recomenda-se a aplicação de GOAL BR em faixa sobre a linha de plantio. GOAL BR deve ser aplicado em pré-emergência das plantas daninhas com o solo úmido, isento de restos de culturas, brotações, coberturas mortas e tocos.

MODO DE APLICAÇÃO:

GOAL BR é indicado para aplicações com pulverizadores aéreos e terrestres convencionais
tratorizados ou costais.
Aplicação terrestre:
Para que haja cobertura uniforme do solo ou das plantas daninhas, recomenda-s utilizar de
200 a 500 L/ha de calda e pressão de 30-40 libras/poI2, usar bicos tipo leque 8 .03, 80.04,
110.03, 110.04 ou similares, com tamanho médio das gotas entre 440 e 52 micras; a velolocidade doiratordeverá estar entre 6-8 km/hora.
Utilizar equipamentos com barras de 9,5 a 17,0 metros, colocando-se os bicos com intervalos de 25 cm (este intervalo pode ser alterado, através de recomendação técnica para 40 a 50 cm); a altura dos bicos deverá ser aquela que proporcione o trespasse dos jatos, para que a superfície tratada receba uma quantidade uniforme de produto, evitando-se falhas ou acúmulo de produto nas faixas.
Com equipamentos costais manuais, a calibração deve ser feita individualmente, sendo,
considerada uma velocidade usual aquela ao redor de 1 metro/segundo. A pressão de trabalho varia conforme o ritmo do movimento que o operador imprime á alavanca de
acionamento da bomba combinado com a vazão do bico; bicos de alta vazão geralmente
são trabalhados à baixa pressão, uma vez que, no ritmo normal de bombeamento não se
consegue atingir altas pressões. Em oposição, bicos de baixa vazão são operados em
pressões maiores, pois o operador consegue manter o circuito pressurizado com pequeno
número de "bombadas".

Aplicação aérea:
Devem ser observadas as seguintes condições:
.Velocidade da aeronave: 110 milhas/hora
Altura de vôo: 2 -3 metros
.Faixa de aplicação: 12 a 16 metros
Volume de calda: 20 -60 L/ha
Tamanho de gota: 100 a 200 micras
.Tipos de bicos: D8, D10, D12; utilizar barras contendo 46 a 56 bicos
Pressão: 30 -45 Ib/pol2
Para uma boa aplicação, não pulverizar com ventos superiores a 6-8 km/hora, sendo que o solo deve se apresentar úmido no momento da aplicação. Não é necessário agitado especial, sendo suficiente o sistema de retorno do equipamento.

INTERVALO DE SEGURANÇA:
Algodão: 135 dias
Arroz irrigado: (2)
Café: 5 dias
Cana-de-açúcar: (2)
Citros: 10 dias
Eucalipto: UNA
Pinus: UNA

(2): Intervalo de segurança não determinado devido à modalidade de emprego.
UNA: Uso Não Alimentar

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULT RAS E ÁREAS TRATADAS:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana
-ANVISA/MS)

LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade:
Ligeira fitotoxicidade pode aparecer nas primeiras folhas das plantas de arroz, algumas
variedades de cana-de-açúcar e nas mudas de eucalipto. No entanto, estes sintomas ficam
restritos às primeiras folhas e posteriormente desaparecem, não havendo efeitos negativos
sobre a produção.

Compatibilidade:
Não há evidências da existência de problemas de incompatibilidade com outros pesticidas
ou fertilizantes normalmente utilizados.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO: MEDIDAS GERAIS E PRIMEIROS SOCORROS: Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas, avental impermeável, chapéu impermeável de abas largas, botas e máscaras protetoras especiais, providas de filtros adequados ao produto. Leia e siga as instruções do rótulo. Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos. Evite comer, beber ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto. Mantenha o produto afastado de alimentos ou de ração animal.

Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água, lavando as embalagens ou aparelhagem aplicadora, bem como lançando-lhes seus restos. Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugar seco e ventilado. Inutilize e enterre profundamente as embalagens do produto. Mantenha afastado das áreas de aplicação crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas por um período de 7 dias após a aplicação do produto. Não utilize equipamentos com vazamento. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc, com a boca. Uso exclusivamente agrícola. Após a utilização do produto, remova as roupas protetoras e tome banho. Não de nada por via oral a uma pessoa inconsciente.

Distribua o produto da própria embalagem, sem contato manual. Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação. Aplique somente as doses recomendadas. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas; use luvas impermeáveis.Mantenha a embalagem longe do fogo. Não aplique o produto na presença de ventos ou nas horas mais quentes. Tóxico para peixes. Produto inflamável. Em caso de ingestão acidental não provoque vômito, beba água e procure imediatamente o médico, levando a embalagem ou rótulo do produto.

Evite a inalação ou aspiração do produto. Caso isso aconteça, procure local arejado, e se houver sinais de intoxicação, chame o médico. Evite o contato com a pele. Caso isso aconteça, lave as partes atingidas com água e sabão em abundância e se persistir a irritação procure o médico, levando a embalagem ou rótulo do produto. Evite o contato com os olhos. Caso isso aconteça, lave-os imediatamente com água corrente durante 15 minutos e se persistir a irritação procure imediatamente o médico, levando a embalagem ou o rótulo do produto.

SINTOMAS DE ALARME: mal estar, vômitos, enfraquecimento muscular, dificuldade respiratória, avermelhamento da face, tontura, depressão do sistema nervoso central.

ANTÍDOTOS E TRATAMENTO (INFORMAÇÕES PARA USO MÉDICO): Tratamento sintomático: recomenda-se cuidadosamente lavagem gástrica, se ingerido. Assistência respiratória se necessário.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIA QUANTO OS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE.

PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE
- Este produto é MUITO PERIGOSO ao meio ambiente (Classe II).
- Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
- Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos.
- Este produta e ALTAMENTE BIOCONCENTRÁVEL em peixes.
- Evite a cantaminaçãO ambiental - Preserve a Natureza.
- Não utilize equipamento com vazamentos.
- Não aplique o produto nas horas mais quentes.
- Não execute aplicação aárea de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância mínima de
500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público; e de 250 (duzentos e cinqüenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e culturas suscetíveis a danos.
- Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal concernentes as atividades aeroagrícolas.
- Aplique somente as doses recomendadas.
- Não lave embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos
d'água.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
- Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
- O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos,
bebidas ou outros materiais.
- A construção deve ser de alvenaria ou de material nao comburente.
- O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
- Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
- Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principal mente crianças.
- Deve haver sempre embalagens disponíveis adequadas, para envolver embalagens
rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
- Em caso de armazens, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843.
- Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
- Contate as autoridades locais competentes e a Empresa DOW AGROSCIENCES INDUSTRIAL LTDA.
- Telefones de emergência: (12) 3954-2100 - DOW AGROSCIENCES INDUSTRIAL LTDA. ou (11) 5012.5311 - CCI.
- Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores).
- Isole e sinalize a área contaminada.
- Em caso de derrame, estacar o escoamento, não permitindo que o produto entre em
bueiros, drenos ou cursos de águas naturais. Siga as instruções abaixo:
• Piso pavimentado: Absorva o produto derramado com terra ou serragem.
Recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não devera ser mais utilizado. Neste caso, contate o fabricante ou o distribuidor ou qualquer representante da empresa na região. O produto devera ser desativado conforme orientações de destinação de residuos e embalagens. Lave o local com grande quantidade de água;
• Solo: Retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;
• Corpos d'água: Interrompa imediatamente a captação para o consumo humane e animal, e contacte o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das caracteristicas do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
- Em caso de incendio, use extintores de água em forma de neblina, C02 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

PROCEDIMENTOS DE LAVAGEM, ARMAZENAMENTO, DEVOLUÇÃO, TRANSPORTE E DESTINAÇÃO DE EMBALAGENS VAZIAS E RESTOS DE PRODUTOS IMPROPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO:

PARA EMBALAGEM RIGIDA LAVÁVEL

LAVAGEM DA EMBALAGEM:
Durante o procedimento de lavagem o operador deverá estar utilizando os mesmos EPI's - Equipamentos de Proteção Individual - recomendados para o preparo da calda do produto.

• Tríplice Lavagem (Lavagem Manual):
Esta embalagem deverá ser submetida ao processo de Tríplice Lavagem, imediatamente após o seu esvaziamento, adotando-se os seguintes procedimentos:
- Esvazie completamente o conteudo da embalagem no tanque do pulverizador, mantendo-a na posição vertical durante 30 segundos;
- Adicione água limpa a embalagem até 1/4 do seu volume;
- Tampe bem a embalagem e agite-a por 30 segundos;
- Despeje a água da lavagem no tanque do pulverizador;
- Faça esta operação três vezes;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica perfurando o fundo.

• Lavagem sob Pressão:
Ao utilizar pulverizadores dotados de eguipamentos de lavagem sob pressão seguir os seguintes procedimentos:
- Encaixe a embalagem vazia no local apropriado do funil instalado no pulverizador;
- Acione o mecanisme para liberar o jato de água;
- Direcione o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- A água de lavagem deve ser transferida para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.
Ao utilizar eguipamento independente para lavagem sob pressão adotar os seguintes procedimentos:
- Imediatamente após o esvaziamento do conteúdo original da embalagem, mante-la invertida sobre a boca do tanque de pulverização, em posição vertical, durante 30 segundos;
- Manter a embalagem nessa posição, introduzir a ponta do equipamento de lavagem sob pressão, direcionando o jato de água para todas as paredes internas da embalagem, por 30 segundos;
- Toda a água de lavagem e dirigida diretamente para o tanque do pulverizador;
- Inutilize a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo.

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA:
Após a realização da Tríplice Lavagem ou Lavagem sob Pressão, esta embalagem deve ser armazenada com a tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens não lavadas.
O armazenamento das embalagens vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, ou no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA:
No prazo de até um ano da data da compra, e obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida no até da compra.
Caso produto não tenha side total mente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro de seu prazo de validade, sera facultada a devoluçã da embalagem em até 6 meses após o terminar do prazo de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínima de um ano após a devolução da embalagem vazia.
TRANSPORTE:
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.
DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS:
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuarios, somente poderá ser realizada pela Empresa Registrante ou por empresas legalmente autorizadas pelos órgãos competentes.

É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILlZAÇÃO E A RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU O FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM OESTE PRODUTO.

EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS:
A destinação inadequada das embalagens vazias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.

PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILlZAÇÃO OU EM DESUSO:
Caso este produto venha a se tomar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante atraves do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o aumento de população de plantas daninhas resistentes a esse mecanismo de ação.
Como prática de manejo de resistência em plantas daninhas deverão ser aplicados, alternadamente, herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Os herbicidas deverão estar registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.