Bula K-Obiol 2P

acessos
Deltamethrin
2298794
Bayer

Composição

Deltametrina 2 g/kg Piretróide

Classificação

Inseticida
IV - Pouco tóxico
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Pó seco (DP)
Contato, Ingestão

Amendoim Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traça
(Corcyra cephalonica)
500 a 1000 g p.c. / ton - - - 30 dias. Armazenamento
Arroz - Armazenado Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Traça
(Sitotroga cerealella)
250 a 1000 g p.c. / ton - - - 15 dias. Armazenamento
Feijão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Caruncho
(Acanthoscelides obtectus)
250 a 1000 g p.c. / ton - - - 30 dias. Armazenamento
Caruncho do feijão
(Zabrotes subfasciatus)
250 a 1000 g p.c. / ton - - - 30 dias. Armazenamento
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Gorgulho dos cereais
(Rhyzopertha dominica)
250 a 1000 g p.c. / ton - - - 30 dias. Armazenamento
Milho - Armazenado Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Gorgulho
(Sitophilus zeamais)
500 g p.c. / ton - - - 30 dias. Armazenamento
Traça
(Sitotroga cerealella)
500 g p.c. / ton - - - 30 dias. Armazenamento
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Gorgulho dos cereais
(Rhyzopertha dominica)
250 a 1000 g p.c. / ton - - - 30 dias. Armazenamento

Sacos de polietileno: 0,5, 1, 2 e 5kg. Sacos aluminizados: 0,5, 1, 2 e 5 kg. Embalagens: 500 g e 1 kg.

INSTRUÇÕES DE USO: CULTURA, DOSE (g/t): GRÃOS: MILHO (em espiga com ou sem palha): 500 g/t. MILHO: 250-500 g/t. ARROZ: 250-500 g/ha. TRIGO: 250-500 g/ha. FEIJÃO: 250-500 g/ha.

SEMENTES: MILHO, ARROZ, TRIGO, FEIJÃO E AMENDOIM: 500-1000 g/t.

MODO DE APLICAÇÃO: Produto Pronto-Uso. Aplicar com a embalagem perfurando-a ou com polvilhadeira manual (tipo "tabaqueira") ou motorizada.
PARA MILHO ARMAZENADO EM PAIOL: Antes do armazenamento recomenda-se limpar o paiol e polvilhar as paredes e o assoalho com o produto. Logo após a colheita do milho armazenar no paiol, polvilhando-se o produto na dosagem recomendada em camadas de 20-25 cm de altura. Em caso de infestação acima de 7% de grãos danificados recomenda-se expurgar previamente.

PARA GRÃOS E SEMENTES À GRANEL: A aplicação deverá ser feita no momento do armazenamento dos cereais misturando-se o produto diretamente com os grãos na dosagem recomendada. Pequenas quantidades podem ser misturadas com o auxílio de uma pá sobre uma superfície (terreno cimentado ou sobre uma lona) revolvendo-se bem para uma aderência uniforme do produto aos grãos. Grandes quantidades requerem um emprego de misturadores especiais. Após esta operação os cereais deverão ser ensacados e empilhados, e as partes laterais e superiores deverão ser polvilhadas com o produto.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Milho, Trigo, Feijão e Amendoim: 30 dias; Arroz: 15 dias.

LIMITAÇÕES DE USO: Não utilizar como inseticida aquático, bem como não misturar com produtos que não contemplem essa indicação autorizada nos seus respectivos registros.

ATENÇÃO: "Durante o manuseio e aplicação, use macacão com mangas compridas, capa ou avental impermeável, luvas impermeáveis, chapéu impermeável de aba larga, botas, óculos protetores e máscaras faciais protetoras com filtros - Equipamento de proteção individual (EPIs).

PRECAUÇÕES GERAIS: Durante a manipulação ou aplicação, use EPIs. Ao abrir a embalagem, faça de maneira a evitar formação de poeira. Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos. Mantenha o produto afastado de alimentos ou ração animal. Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc. com a boca. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas.

PRECAUÇÕES NO MANUSEIO E/OU PREPARAÇÃO DA CALDA: Utilizar EPIs. Manuseie o produto em lugar arejado. Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar formação de poeira. Use protetor Ocular - se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente, VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscara cobrindo o nariz e a boca - caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use Luvas de Borracha - ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO: Utilizar os EPIs. Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação. Não aplique o produto na presença de ventos fortes. Mantenha afastado das áreas de aplicação, crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas. Aplicar somente as doses recomendadas. Não utilize equipamento com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc., com a boca.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Após a utilização do produto, remova as roupas protetoras e tome banho. Mantenha o restante do produto em sua embalagem original adequadamente fechado em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. Dar manutenção necessária aos equipamentos de segurança. Atentar para o período de vida útil dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante. Troque e lave as suas roupas, separado das roupas domésticas.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Em casos de ingestão, NÃO PROVOQUE VÔMITO e procure imediatamente o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. Vômito espontâneo é comum. Olhos: Lave com água em abundância e procure o médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância e procure um médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto. Inalação: Procure lugar arejado, e procure um médico levando a embalagem, rótulo, bula e receituário agronômico do produto.

ANTÍDOTOS E TRATAMENTO (informações para médicos): Não há antídoto específico conhecido. Tratamento sintomático de acordo com o quadro clínico, manutenção das funções vitais. Nos casos de ingestão utilizar catártico salino e carvão ativado. Avaliar a necessidade de lavagem gástrica, até uma hora após a exposição, sempre protegendo as vias aéreas (este procedimento só deve ser realizado se a vítima estiver consciente). Eventuais convulsões podem ser tratadas com benzodiazepínicos IV (Diazepam ou Lorazepam). No caso de anafilaxia ou reação de hipersensibilidade utilizar um anti-histamínico. Avaliar a necessidade de instituir diurese alcalina provocada e hemodiálise. Acetato de tocoferol pode ser útil para prevenir lesões cutâneas (uso tópico).

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO: A Deltametrina é um piretróide, sua intoxicação é caracterizada por salivação, depressão, aceleração da respiração e hipersensibilidade à estímulos externos. Pode causar queda no potencial de amplitude de ação, marcada pela despolarização de membranas e eventual bloqueio da atividade neural, o mecanismo envolve receptores GABA. Reversível com Diazepam. A Deltametrina foi absorvido pelo trato gastrointestinal e pela pele, metabolizado no fígado, através da reação de clivagem do éster, sendo biotransformado em ácido crisântemo e álcool, e rapidamente oxidado e excretado pela urina. O butóxido de piperonila é um inibidor de enzimas hepáticas, as monooxigenases, responsáveis pelo metabolismo dos piretróides. Ambos são utilizados com a finalidade de promover um efeito sinérgico. O butóxido de piperonila é pouco absorvido por via oral e dérmica, metabolizado no fígado e excretado na urina e fezes. Não houve acúmulo da substância nos tecidos e órgãos.

EFEITOS AGUDOS: K-Obiol(r) 2 P não se mostrou irritante para os olhos, porém levemente irritante para a pele de coelhos. Trabalhadores expostos ocupacionalmente, sem o uso dos EPIs, apresentaram sensações na pele (entorpecimento), dores de cabeça, tonturas, fadiga, náuseas, anorexia e alterações transitórias no EEG. Em casos mais severos foram ainda observados fasciculações musculares, alterações eletromiográficas e convulsões.

SINAIS E SINTOMAS: A Deltametrina é um piretróide tipo II (com grupo CN) podendo causar síndrome CS: coreoatetose, salivação excessiva, lacrimejamento, hipersecreção nasal, hipersensibilidade, distúrbios sensoriais cutâneos (formigamento, entorpecimento e sensação de queimação), irritação cutânea (eritema papular), cefaléia intensa, perda do apetite, fadiga, tonturas, perda da consciência, cãibras musculares e convulsões. Ao aparecimento de quaisquer sinais ou sintomas suspender imediatamente o uso do produto e procurar orientação médica.

EFEITOS CRÔNICOS: A deltametrina pode causar manifestações na pele e nas mucosas em trabalhadores expostos. Alguns sintomas freqüentemente relatados são coceira, entorpecimento, prurido, eritema e queimação da pele e vertigem. A maioria dos sintomas são transitórios e desaparecem em alguns dias. Estes sinais geralmente são acompanhados por coceira na face (região peribucal), rinorréia e/ou lacrimejamento. Além dos sintomas já relatados, é comum ocorrer doenças alérgicas entre os trabalhadores expostos por longos períodos. Os casos ocupacionais de intoxicação com o produto geralmente estão associados a falta de uso apropriado dos equipamentos de proteção individual - EPIs e práticas incorretas de trabalho. Foram realizados vários estudos comparando trabalhadores expostos e não expostos à deltametrina (protegidos com os devidos equipamentos de segurança) com objetivo de analisar os possíveis efeitos adversos. Não foram observadas alterações clínicas principalmente nos exames neurológicos (força muscular, coordenação, tremores, reflexos, velocidade de condução nervosa, sensações leves ou profundas), cardiovasculares, respiratórios, sangüíneos e urinários assim como anomalias abdominais. Estes estudos reforçam a necessidade do uso correto e constante dos EPIs pelos trabalhadores.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser de finalidade terapêutica, não há como caracterizar os efeitos colaterais.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIA QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é Altamente Perigoso ao Meio Ambiente. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Este produto é altamente tóxico para organismos aquáticos. Este produto é altamente acumulativo para organismos aquáticos (peixes). É proibida a aplicação deste produto em áreas alagadas ou sujeitas à inundação. É proibida a aplicação deste produto na cultura de arroz irrigado. Não utilize equipamentos com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções constantes no item Destinação Adequada de Resíduos e Embalagens. Em caso de acidente, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou material não comburente. O local deve ser ventilado, seco, coberto e ter piso impermeável. Coloque a placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns maiores, deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes, e a Empresa: AVENTIS CROPSCIENCE BRASIL LTDA. - Telefone da de Emergência: 51 562-1250 (Plantão 24 horas). Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e sinalize a área contaminada. Em caso de derrame, estancar o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos de água naturais, siga as instruções abaixo:

Piso pavimentado - absorver o produto derramado com terra ou serragem. Recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água;

Solo - retirar as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adotar os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;

Corpos d'água - interrompa imediatamente o consumo humano e animal e contate o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido;

Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

Incluir outros métodos de controle de insetos (ex. Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado.

Qualquer agente de controle de inseto pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se o inseto alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando as seguintes estratégias de Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI) poderíamos prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga.
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo / bula.
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o MRI.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.