CI

Lalstop Organic DS

Geral
Nome Técnico:
Trichoderma asperellum, isolado URM-5911
Registro MAPA:
10322
Empresa Registrante:
Lallemand
Composição
Ingrediente Ativo Concentração
Trichoderma asperellum isolado CCMB605P 130 g/kg
Classificação
Técnica de Aplicação:
Tratamento de Sementes
Classe Agronômica:
Fungicida microbiológico
Toxicológica:
Não Classificado
Ambiental:
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Inflamabilidade:
Não inflamável
Corrosividade:
Não corrosivo
Formulação:
Pó para tratamento à seco de sementes (DS)
Modo de Ação:
Fungicida microbiológico

Indicações de Uso

Tipo: Saco sanfonado
Material: Aluminizado
Capacidade: 0,250 a 5 kg.

INSTRUÇÕES DE USO

O produto é um fungicida microbiológico a base de Trichoderma asperellum, de ocorrência natural em solos, eficaz no controle de fungos fitopatogênicos, incluindo os fungos Fusarium solani f. sp. phaseoli, Rhizoctonia solani em qualquer cultura no qual ocorram.

NÚMERO DE APLICAÇÃO

Uma única aplicação no tratamento de sementes.

MODO DE APLICAÇÃO

O produto será aplicado em pó, a seco, sem o preparo de calda. Para o tratamento de sementes a preparação será realizada em equipamento específico para tratamento de sementes, ou betoneira ou direto na caixa de sementes da plantadeira. Limpeza do Equipamento Limpar muito bem os equipamentos a fim de eliminar resíduos de outros produtos e/ou moléculas químicas. Atenção: Para descontaminação dos equipamentos de aplicação recomenda-se: a. Não realizar a limpeza próximo de lagos, rios ou reservas de água. b. Realizar esta limpeza em local adequado onde os resíduos tenham o destino estabelecido em legislação.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não determinado devido ao modo de aplicação do produto.

LIMITAÇÕES DE USO

Os usos do produto estão restritos aos indicados no rótulo e bula. Quando este produto for utilizado nas doses recomendadas, não causará danos às culturas indicadas. Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente ao final da tarde ou à noite. Em dias nublados ou com garoa bem fina. Nessas condições, a exposição dos conídios (esporos) do fungo à radiação UV do sol (fator de inviabilização do fungo) é menor.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Qualquer agente de controle de pragas e doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. Para tanto, deve-se utilizar a rotação de produtos com mecanismos de ação distintos, somente na época, na dose e nos intervalos de aplicação recomendados no rótulo e bula. Informações sobre possíveis casos de resistência em fungicidas no controle de fungos patogênicos devem ser consultados e/ou informados à Sociedade Brasileira de Fitopatologia (SBF: www.sbfito.com.br), Comitê de Ação a Resistência de Fungicidas (FRAC-BR: www.frac-br.org) e ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www agricultura. gov.br).

Assine a nossa newsletter e receba nossas notícias e informações direto no seu email

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.