Bula Magnate 500 EC

acessos
Imazalil
3498
Adama

Composição

Imazalil 500 g/L Imidazol

Classificação

Fungicida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Protetor, Sistêmico, Curativo
Banana Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum musae)
200 mL p.c./100L água - - Única. 3 dias. Deve ser aplicado após a colheita dos frutos através de imersão na solução em uma única aplicação
Citros Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Bolor verde
(Penicillium digitatum)
200 mL p.c./100L água - - Única. 3 dias. Deve ser aplicado após a colheita dos frutos através de imersão na solução em uma única aplicação
Maçã Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Mancha de alternaria
(Alternaria alternata)
200 mL p.c./100L água - - Única. 3 dias. Deve ser aplicado após a colheita dos frutos através de imersão na solução em uma única aplicação
Mofo azul
(Penicillium expansum)
200 mL p.c./100L água - - Única. 3 dias. Deve ser aplicado após a colheita dos frutos através de imersão na solução em uma única aplicação
Mamão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
200 mL p.c./100L água - - Única. 3 dias. Deve ser aplicado após a colheita dos frutos através de imersão na solução em uma única aplicação
Manga Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum gloeosporioides)
200 mL p.c./100L água - - Única. 3 dias. Deve ser aplicado após a colheita dos frutos através de imersão na solução em uma única aplicação
Melão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Antracnose
(Colletotrichum orbiculare)
200 mL p.c./100L água - - Única. 3 dias. Deve ser aplicado após a colheita dos frutos através de imersão na solução em uma única aplicação

Volume líquido: 250 ml, 500 ml, 1 e 5 L.

1. INSTRUÇÕES DE USO:

O MAGNATE 500 EC é um fungicida protetor, curativo e sistêmico do grupo químico imidazol inibidor da síntese de ergosterol que deve ser utilizado para o controle de doenças conforme as recomendações.

CULTURAS/DOSES/DOENÇAS CONTROLADAS: Vide seção "Indicações de Uso/Doses".

1.1 NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

O produto deve ser aplicado após a colheita dos frutos através de imersão na solução em uma única aplicação.

1.2 MODO DE APLICAÇÃO:
O produto deve ser aplicado em pós-colheita, por imersão dos frutos na calda preparada previamente, durante 2 minutos.

1.3 INTERVALO DE SEGURANÇA:
Banana ............................................... 3 dias
Citros ................................................. 3 dias
Maçã .................................................. 3 dias
Mamão Papaya .................................. 3 dias
Manga ................................................ 3 dias
Melão ................................................. 3 dias

1.4 INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS:
Não aplicável.

1.5 LIMITAÇÕES DE USO:
Fitotoxicidade: O produto nas doses e culturas recomendadas não se apresentou fitotóxico.

PRECAUÇÕES GERAIS: Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Não manipule o produto com as mãos desprotegidas, use luvas. Durante a abertura de embalagens, manipulação e descarte das embalagens, lavagem de roupas e equipamentos de proteção individual contaminados, utilize os seguintes equipamentos de proteção individual (EPI): macacão de mangas compridas ou calças compridas e camisas de mangas longas, luvas e botas impermeáveis. O produto é para uso exclusivamente agrícola. Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.

MANUSEIO DO PRODUTO (PREPARAÇÃO DA CALDA): Use Protetor Ocular - Produto irritante: Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente, VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use máscara provida de filtro de carvão ativado cobrindo o nariz e a boca: Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Use Luvas de Borracha apropriada para agrotóxicos: Ao contato do produto com a pele, lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS. Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos: Use macacão com mangas compridas, chapéu de aba larga, protetor ocular, luvas, botas, avental impermeável e máscara apropriada provida de filtro de carvão ativado.

PRECAUÇÕES DURANTE O USO (TRATAMENTO DOS FRUTOS): Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação. Use macacão de mangas compridas ou calças compridas e camisas de mangas longas, luvas, botas impermeáveis, avental impermeável, protetor ocular e máscara provida de filtro com carvão ativado.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Não reutilize a embalagem vazia. Mantenha o restante do produto adequadamente fechado, na embalagem original, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais. O usuário, aplicador, manipulador deve lavar as roupas e o equipamento de proteção individual que foram utilizadas durante o manuseio, a aplicação e após a aplicação do produto separadas das demais roupas da família. Siga as recomendações para descarte e recolhimento de embalagens conforme estabelecido na legislação.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Não provoque vômito e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, a bula ou o receituário agronômico do produto. Olhos: Lave com água em abundância e procure o médico levando a embalagem, rótulo, a bula ou o receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água em abundância e procure logo o médico, levando a embalagem, rótulo, a bula ou receituário agronômico do produto. Inalação: Procure lugar arejado e recorra a auxílio médico levando a embalagem, rótulo, a bula ou o receituário agronômico do produto.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA: Realizar tratamento sintomático e administrar terapia de suporte.

ANTÍDOTO: A critério médico, utilizar antídotos de ação ampla, que modifique a toxicocinética e toxicodinâmica do produto, como carvão ativado (adsorção digestiva) e purgativos salinos (catarse).

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: O Imazalil é rapidamente absorvido, distribuído, metabolizado e excretado por ratos. Em uma administraçãote também por via or mg/kg, de produto, 90% foi excretado em 96 horas (44% na urina e 46% nas fezes). Somente 3% do produto foi excretado sem metabolização nas fezes, mostrando uma completa absorção do trato gastrointestinal.

EFEITOS AGUDOS: Os estudos de toxicidade aguda realizados com animais em laboratórios demonstraram que o produto possui uma dose letal 50 oral aguda de 2000 mg/kg de peso corpóreo. Foram observados os seguintes sintomas de intoxicação: letargia, ataxia, ptose, redução da taxa respiratória, respiração dificultada, aumento de salivação e perdas de reflexo. A reversão total dos sintomas ocorreu até 4 dias após a administração do produto via oral. No estudo de exposição dermal os resultados concluem que a DL 50 dermal é maior que 2000 mg/kg de peso corpóreo e não foi observado qualquer sintomas de intoxicação nos animais. No estudo de exposição inalatória os animais demonstraram sintomas como inchaço e vemelhidão nas respiratórias. Ao término do experimento as autópsia demonstraram que em alguns casos isolados foi constatado uma descoloração pulmonar e congestão intestinal. O estudo de irritabilidade dermal apresentou apenas um leve eritema nas área aplicada. O estudo de irritabilidade ocular demonstrou os seguintes sintomas: irritação moderada da conjuntiva, opacidade, inflamação da íris e vascularização da superfície da córnea.

EFEITOS CRÔNICOS: Não há casos relatados sobre sintomas de intoxicação em seres humanos. Os estudos com ratos durante 30 meses em laboratório com doses de até 400 ppm no alimento demonstraram que o Imazalil não é carcinogênico. Não houve sintomas demonstrados pelo animais vivos ou avaliações nrealizadas na necropsia após o término do estudo. O Nível sem efeito tóxico observado é de 5 mg/kg de peso corpóreo/dia. Estudos crônicos em camundongos com doses de até 100 mk/kg de peso corpóreo e não foi constatado qualquer sintoma ou efeito que possa ser atribuído ao Imazalil. Os estudos de teratogenese realizados em ratos com doses de até 800 mg/kg de peso corpóreo não foi observado qualquer sintoma de intoxicações nas mães. Não foi constatado também nenhuma embriofetotoxicidade nos filhotes expostos ao imazalil durante o período de gestação. Os estudos de mutagênese realizados (Ames e Micronúcleo) demonstraram que o produto não é mutagênico.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é Muito Perigoso (CLASSE II) ao Meio Ambiente. Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos. Este produto é ALTAMENTE IRRITANTE aos olhos de mamíferos. Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE. Evite a contaminação ambiental. Preserve a natureza. Não utilize equipamentos com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto - siga as instruções da bula. Em caso de acidentes, siga corretamente as instruções constantes na bula.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO: Mantenha o produto em sua embalagem original. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser em alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres : CUIDADO VENENO. Trancar o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre sacos plásticos disponíveis, para envolver adequadamente, embalagens rompidas ou para o recolhimento de produto vazados. Em caso de armazéns maiores deverão ser seguidas as instruções constantes na NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Isole e análise a área contaminada. Em caso de derrame, não permitir que o produto entre em bueiros, drenos ou cursos d'água naturais, siga as instruções: Piso pavimentado: Absorver o produto derramado com terra ou serragem. Recolher o material com auxílio de uma pá e colocar em tambores ou recipientes devidamente lacrados e identificados. Remover para área de descarte de lixo químico. Lave o local com grande quantidade de água; Corpos D'água: Interromper imediatamente o consumo humano e animal e contactar o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido; Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

DESTINO FINAL DOS RESÍDUOS E EMBALAGENS: As embalagens devem ser enxaguadas três vezes, a calda resultante acrescentada à preparação para ser pulverizada (tríplice lavagem). Não reutilize as embalagens vazias. Observar legislação Estadual e Municipal específica. Fica proibido o enterrio de embalagens em áreas inadequadas, consulte o Órgão Estadual do Meio Ambiente.

MÉTODOS DE DESATIVAÇÃO: Recomenda-se a incineração, utilizando-se forno rotativo (850 a 950ºC) dotado de câmara de pós-combustão, com monitoramento de gases através de amostradores ópticos eletrônicos. Tempo de incineração 3 minutos.

Outras práticas de controle devem ser aplicadas sempre que disponíveis, visando à proteção das plantas e do meio ambiente. As táticas de controle devem incluir o monitoramento dos patógenos, o uso correto do produto quanto à época, princípio ativo, à dose, ao modo de aplicação e à tomada de decisão, visando assegurar resultados econômico, ecológico e sociologicamente favoráveis.

Qualquer produto utilizado no controle de doenças de forma inadequada pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência, visando com isso prolongar a vida útil dos fungicidas e também manter sua performance:
•Fungicidas específicos com o mesmo modo de ação, da mesma classe e com alto risco de resistência em alvos específicos, não devem ser utilizados em aplicações consecutivas no mesmo ciclo da cultura.
•Fazer a alternância e a rotação entre produtos de contato e produtos com modo de ação específico (sistêmicos).
•Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.