Bula Natucontrol - Nufarm

Bula Natucontrol

Trichoderma harzianum
6619
Nufarm

Composição

Trichoderma harzianum 11,5 g/kg

Classificação

Terrestre/Aérea
Fungicida microbiológico
3 - Produto Moderadamente Tóxico
IV - Produto pouco perigoso ao meio ambiente
Não inflamável
Não corrosivo
Pó molhável (WP)
Fungicida microbiológico

Tipo: Saco.
Material: Plástico aluminizado(polipropileno).
Capacidade: 400 g - 1 kg.

MODO/EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO:

NATUCONTROL deverá ser aplicado diluído em água em pulverização via terrestre com o auxílio de pulverizadores costais manuais ou motorizados, turbo atomizadores, pulverizadores tratorizados com barra ou autopropelido, além de pulverização via aérea na modalidade de aplicação foliar.


Pulverização via terrestre: Em todas as culturas deverão ser utilizados pulverizadores costais manuais ou motorizados, turbo atomizadores, pulverizadores tratorizados ou propelidos a CO2, equipados com barra de bicos com pontas em jato cônico tipo JA-4, séries D, XR 80.015 ou equivalente, com pressão de 14,5 a 60 lb./pol² (p.s.i.), velocidade 1 m/s e volume de calda entre 80 e 500 L/ha. Recomenda-se aplicar o produto nas horas mais frescas do dia e em solos levemente úmidos.

Pulverização via aérea: Recomendada em aplicação foliar na cultura da soja ou em culturas com a ocorrência do alvo biológico Mofo-branco (Sclerotinia sclerotiorum). O avião deverá ser equipado com barra com bicos para aeronaves de asa fixa Ipanema (qualquer modelo). A largura da faixa de deposição dependerá da altura do vôo, geralmente 15 m. Altura de vôo: 4 - 5 m do topo da cultura. Volume de calda: 30 a 40 litros por hectare. Bicos de pulverização: Utilizar bicos de jato cônico vazão da série D ou similar, com difusores em cone adequado a uma cobertura uniforme sem escoamento do produto de forma a obter uma deposição mínima sobre o alvo de 20 gotas/cm² com DVM 420-450 µ à pressão de 15-30 psi. Com aviões do tipo Ipanema (qualquer modelo) poderá ser utilizada barra de pulverização, com um total de 40-42 bicos. Os bicos da extremidade da asa em número de 4-5 em cada uma delas, deverão ser fechados a fim de evitar a influência e arraste das gotas de pulverização pelos vértices da ponta da asa. Os bicos da barriga em número de 8, deverão permanecer abertos e no mesmo ângulo dos bicos utilizados nas asas. Tamanho de gotas: 110-120 µm Densidade de gotas: mínimo de 20 gotas (DMV: 420-450 µ). Calcular a quantidade do produto de forma a manter a dose indicada por hectare.

Preparo da calda: Para melhor preparação da calda, deve-se abastecer o pulverizador com água limpa em até ¾ de sua capacidade. Paralelamente dissolver o conteúdo da embalagem do produto em cerca de 20 Litros de água e agitar de forma a obter uma calda homogênea. Ligar o agitador e adicionar o produto NATUCONTROL dissolvido, de acordo com a dose recomendada. Manter o agitador ligado, completar o volume de água do pulverizador e aplicar imediatamente na cultura.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Intervalo de segurança não determinado devido a não determinação de LMR (Limite Máximo de Resíduos) para esse produto.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Aguardar pelo menos 4 horas para reentrada na lavoura ou após a secagem completa da calda. Caso necessite entrar antes desse período, utilize o equipamento de proteção individual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.


LIMITAÇÕES DE USO: • Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia, preferencialmente no final da tarde ou a noite, em dias nublados ou com garoa bem fina. Nessas condições, a exposição dos conídios (esporos) do fungo a radiação UV é menor;

• Não é recomendada a aplicação do produto em solos secos ou em plantas submetidas a estresse hídrico;
• Não aplicar sob vento forte (acima de 10 km/h), contra o vento ou período de chuvas intenso e umidade relativa do ar abaixo de 60%;
• Não deixar o produto exposto ao sol ou sob temperaturas elevadas.
• O produto não é considerado fitotóxico às culturas, desde que atendidas as recomendações de uso indicadas na bula.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Não existem informações sobre o desenvolvimento de resistência ao Trichoderma harzianum.