Bula Pulsor 240 SC - Iharabras

Bula Pulsor 240 SC

acessos
Thifluzamide
2301
Iharabras

Composição

Tifluzamida 240 g/L Carboxanilida

Classificação

Fungicida
II - Altamente tóxico
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada (SC)
Sistêmico

Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Damping-off
(Rhizoctonia solani)
1,6 a 3,2 L p.c./ha 400 L de calda/ha - Realizar uma aplicação. Não determiando. Na linha de plantio ou imersão dos tubérculos
Café Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ferrugem do cafeeiro
(Hemileia vastatrix)
0,8 a 1,2 L p.c./ha 500 L de calda/ha - 60 dias. 30 dias. Preventivamente através de pulverização foilar, iniciando-se em dezembro

Frasco plástico de 1 L. Bombona plástica de 5, 10, 20, 50 e 100 L.

MODO DE AÇÃO: PULSOR 240 SC é um fungicida do grupo das piridinas, o qual possui forte atração eletrolítica e efeitos lipofílicos associados ao anel anilida. Estas propriedades fazem do PULSOR um potente inibidor da enzima succinata desidrogenada, paralizando o Ciclo de Krebs nas células fúngicas e prevenindo a oxidação aeróbica do piruvato pela célula do fungo. PULSOR 240 SC é um fungicida sistêmico de translocação lenta, com propriedades tanto preventiva quanto curativa.

MODO DE APLICAÇÃO: PULSOR 240 SC, deve ser aplicado em batata através da imersão dos tubérculos (Dose de aplicação: 800 a 1600 ml/ton, Volume de calda: 100 litros/tonelada) ou pulverização na linha de plantio, sobre os tubérculos, no momento do plantio. Em café a aplicação deve ser feita preventivamente, através de pulverização foliar. PULSOR 240 SC é indicado para aplicações terrestres com equipamentos costais (motorizado ou manual) ou tratorizados equipados com barras ou turbo-atomizadores. As doses mais altas devem ser usadas nas áreas ou épocas de maior pressão do patógeno. O volume de calda varia de acordo com o porte da cultura e o número de plantas por hectare.

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCAS E INTERVALOS DE APLICAÇÕES:

BATATA: PULSOR 240 SC deve ser aplicado em uma única aplicação através da imersão dos tubérculos ou pulverização na linha de plantio, sobre os tubérculos, no momento do plantio.

CAFÉ: deve ser aplicado através de pulverização foliar, preventivamente, iniciando-se em dezembro e repetindo a cada 60 dias, num total de 3 aplicações.

INTERVALO DE SEGURANÇA: Batata:Intervalo de segurança não definido por referir-se a tratamento de semente ou solo durante o plantio. Café: 30 dias.

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS: Recomenda-se não entrar na área tratada sem utilizar o EPI (equipamento de proteção individual) até o completo secamento da calda sobre a cultura. Evitar sempre que possível que pessoas alheias ao trato com a cultura e animais circulem pela área tratada.

LIMITAÇÕES DE USO:

FITOTOXICIDADE: PULSOR 240 SC não é fitotóxico às culturas indicadas quando utilizado de acordo com as instruções de uso recomendadas.

COMPATIBILIDADE: Não há evidências da existência de problemas de incompatibilidade de PULSOR 240 SC com outros pesticidas ou fertilizantes normalmente utilizados.

EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO: PULVERIZADORES DE BARRA ACOPLADOS A TRATORES:

BATATA: PULVERIZAÇÃO NO SULCO DE PLANTIO: Deve-se observar os seguintes parâmetros: Velocidade do trator: 6- 8 km/h. Pressão do manômetro: 40 - 60 lb/pol². Tipo de bico: bico leque com ângulos 80 ou 110, da série 02 ou 04. Condições climáticas: não aplicar o produto com ventos superiores a 6 km/h. Obs.: Os bicos de pulverização deverão estar sempre aproximadamente 30 a 50 cm acima dos tubérculos. Nos equipamentos com mais de uma linha de aplicação, os bicos devem ter o mesmo espaçamento das linhas de plantio.

ATOMIZADORES (TURBO ATOMIZADORES): CAFÉ: Deve-se observar os seguintes parâmetros: Velocidade do trator: 2 - 3 km/h. RPM na tomada de força: 540 rpm. Pressão: 160 - 300 lb/pol². Tipo de bico: disco ou chapinha nº 3 a 6. Considerando-se que todos estejam abertos, recomenda-se alternar bicos com difusor de 2 furos, com bicos de difusor de 3 furos. Condições climáticas: não aplicar o produto com ventos superiores a 6 km/h.

PULVERIZADORES COSTAIS: Como os pulverizadores costais manuais não possuem regulador de pressão, o volume a ser aplicado depende muito do operário que executa a operação. A calibragem deve ser feita individualmente, sendo considerada uma velocidade usual aquela ao redor de 1m/segundo. A pressão de trabalho varia conforme o ritmo de movimento que o operador imprime à alavanca de acionamento da bomba, combinado com a vazão do bico. Bicos de alta vazão geralmente são trabalhados à baixa pressão, uma vez que no ritmo normal de bombeamento não se consegue atingir altas pressões. Em oposição, bicos de baixa vazão são operados em pressões maiores, pois o operador consegue manter o circuito pressurizado acionando poucas vezes a alavanca da bomba.

TANQUE DE IMERSÃO: BATATA - IMERSÃO DE TUBÉRCULOS: Recomenda-se o uso de recipiente apropriado (tambor, barril ou tanque de amianto) para se fazer a imersão das caixas de batata semente na solução do produto. Para cada tonelada de tubérculos devem ser usados em média 100 litros de água. Os tubérculos devem permanecer imersos por 3 a 5 minutos e após serem secos em condições ambientais à sombra. Obs.: A critério do engenheiro agrônomo ou do técnico responsável, as condições de aplicação podem ser alteradas.

PRECAUÇÕES GERAIS: Uso exclusivamente agrícola. Ao abrir a embalagem, evite respingos. Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas; Não coma, não beba e não fume durante o manuseio do produto. Ao utilizar o equipamento de aplicação, verifique o seu estado de conservação - não utilize equipamentos com vazamentos ou com defeitos. Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca. Não use equipamentos de proteção individual danificados. Não distribua, não prepare a calda e não aplique o produto sem o uso de todos os equipamentos individuais de proteção que estão qualificados nesta bula.

PRECAUÇÕES NO PREPARO DA CALDA: Use protetor facial (viseira facial) de acetato de celulose ou acrílico: Se houver contato do produto com os olhos, lave-os imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS - ligue para o Centro de Informação Toxicológica. Caso o produto seja inalado ou aspirado, procure local arejado e VEJA PRIMEIROS SOCORROS - ligue para o Centro de Informação Toxicológica. Use luvas e bota de borracha nitrílica ou PVC: Produto irritante para a pele. Ao contato do produto com a pele lave-a imediatamente e VEJA PRIMEIROS SOCORROS - ligue para o Centro de Informação Toxicológica. Ao abrir a embalagem, faça de modo a evitar respingos: Use chapéu de abas largas ou boné árabe, protetor facial (viseira facial) de acetato de celulose ou acrílico, macacão com mangas compridas ou calça e jaleco com tecido tratado para ser hidro-repelente, luvas e botas de borracha nitrílica ou PVC e avental impermeável de PVC.

PRECAUÇÕES DURANTE O USO: Evite inalar ou aspirar o produto. O produto produz neblina, use protetor facial (viseira facial) de acetato de celulose ou acrílico. Não aplique o produto contra o vento ou na presença de ventos fortes. Use chapéu de abas largas ou boné árabe, macacão com mangas compridas ou calça e jaleco com tecido tratado para ser hidro-repelente, luvas e botas de borracha nitrílica ou PVC.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Evite ao máximo o contato com a área já aplicada pelo produto até o término do intervalo de reentrada na área. Obedeça ao intervalo de reentrada na área já aplicada: até o completo secamento da calda. Caso necessite entrar na área já aplicada pelo produto, use os seguintes equipamentos de proteção: chapéu de abas largas ou boné árabe, protetor facial (viseira facial) de acetato de celulose ou acrílico, macacão com mangas compridas ou calça e jaleco com tecido tratado para ser hidro-repelente, luvas e botas de borracha nitrílica ou PVC. Não reutilize a embalagem vazia para outros fins. Mantenha o restante do produto, de preferência em sua embalagem original, adequadamente fechada em local apropriado, longe do alcance das crianças e de animais. Troque as roupas protetoras e tome banho, lavando-as separadamente do restante das roupas da família.

PRIMEIROS SOCORROS: Ingestão: Beba 2 copos de água e procure o médico levando a embalagem, o rótulo, a bula ou o receituário agronômico do produto. Nunca dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente. Olhos: Lave com água em abundância por no mínimo 15 minutos e procure o médico, levando a embalagem, o rótulo, a bula ou o receituário agronômico do produto. Pele: Lave com água e sabão em abundância e se houver irritação procure o médico levando a embalagem, o rótulo, a bula ou o receituário agronômico do produto. Inalação: Procure lugar arejado.

TRATAMENTO MÉDICO DE EMERGÊNCIA E ANTÍDOTO: Não há antídoto especifico. O tratamento geral deve ser sintomático. Como não houve estudos de toxicidade conduzidos em seres humanos, toda a informação aqui contida é baseada em estudos com animais e todas as recomendações para tratamento são para alívio dos sintomas e terapia de suporte. A resposta humana para uma dose oral não-letal dos ingredientes ativos do produto não é conhecida, mas deve-se esperar que ocorra náuseas e vômitos. Se for ingerido, o produto deve ser diluído com dois copos de água e deve ser consultado um médico. É aconselhável, em caso de ingestão, proceder-se a uma cuidadosa evacuação gástrica.

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO PARA O SER HUMANO: A norma geral adotada internacionalmente não contempla a realização desses estudos no ser humano. Todavia, estudos efetuados com animais de laboratório possibilitam fornecer as seguintes informações sobre mecanismos de ação, absorção e excreção: Estudos efetuados com animais de laboratório demonstraram que THIFLUZAMIDE é rapidamente absorvido, metabolizado e eliminado após administração oral.

Seu metabolismo é extenso, não apresentando variações em função das doses. Os principais metabólitos (tiometil-fenol; catecol; m-fenol-álcool e álcool-fenol) concentraram-se na urina, fezes, gordura e músculos. Os resultados de distribuição nos tecidos indicaram que THIFLUZAMIDE foi facilmente absorvido e seus metabólitos foram preferencialmente distribuídos no fígado e gordura, sendo rapidamente removidos e mais de 90% eliminados em até 4 dias após a dosagem.

EFEITOS AGUDOS: Estudos realizados com animais de laboratório (ratos), demonstraram que PULSOR 240 SC possui uma dose letal de 50% aguda oral maior que 5000 mg/kg de peso corporal para machos e fêmeas e uma dose letal dérmica maior que 5000 mg/kg de peso corporal para machos e fêmeas, não tendo sido observados sinais de toxicidade sistêmica durante os estudos. A necrópsia dos animais não revelou mudanças macroscópicas. Estudos realizados com animais de laboratório demonstraram que PULSOR 240 SC é não irritante aos olhos e suavemente irritante à pele de coelhos. No estudo de irritação dérmica foram observados eritemas muito suaves em todos animais, os quais desapareceram em no máximo 48 horas. Durante os estudos de irritação ocular e dérmica não foram observados mortalidade ou sinais clínicos de toxicidade sistêmica.

EFEITOS CRÔNICOS: THIFLUZAMIDE, quando administrado a ratos em estudo de longo prazo, não produziu efeitos toxicologicamente significativos relacionados à mortalidade, ganho de peso, consumo alimentar, parâmetros de análise de urina e nem de achados macroscópicos; houve um aumento estatisticamente significativo nas doses mais altas, em fêmeas, na incidência da vacuolação hepatocelular centrilobular. Não foram observados efeitos oncogênicos atribuídos ao material teste. Estudo de longo prazo em camundongos produziu decréscimo do ganho de peso, não havendo efeitos oncogênicos atribuídos à administração do material teste. THIFLUZAMIDE não apresentou características mutagênicas, teratogênicas, carcinogênicas ou efeitos sobre a reprodução.

EFEITOS COLATERAIS: Por não ser o produto de finalidade terapêutica, não há como caracterizar seus efeitos colaterais.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE: Este produto é PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE III). Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente. Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza. Não utilize equipamento com vazamentos. Aplique somente as doses recomendadas. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Descarte corretamente as embalagens e restos do produto.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES: Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas ou outros materiais. A construção deve ser de alvenaria ou de material não comburente. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843. Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES: Isole e sinalize a área contaminada. Contate as autoridades locais competentes e a Empresa. Utilize o equipamento de proteção individual - EPI (macacão de PVC, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara contra eventuais vapores). Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções:

PISO PAVIMENTADO: Coloque material absorvente (p.ex.: serragem ou terra) sobre o conteúdo derramado, recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá ser mais utilizado. Neste caso, contate a empresa ou, o distribuidor ou qualquer representante da empresa na região. O produto deverá ser desativado em incinerador apropriado e aprovado pelas autoridades competentes. Lave o local com grande quantidade de água;

SOLO: Retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, e adote os mesmos procedimentos acima descritos para recolhimento e destinação adequada;

CORPOS D'ÁGUA: Interrompa imediatamente a captação para o consumo humano e animal, e contacte o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do recurso hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido. Em caso de incêndio, use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

MÉTODO DE DESATIVAÇÃO: Os resíduos devem ser incinerados por empresa certificada em Órgão Ambiental competente, em temperatura superior a 900°C. Tempo de retenção dos gases de 2 a 4 segundos. Tempo mínimo de residência dos sólidos de 30 minutos em incinerador de forno rotativo e de 60 minutos em incinerador de câmara fixa. Ajuste de fornecimento de oxigênio de modo a gerar na emissão uma quantidade inferior a 100 ppm de monóxido de carbono.



EPIs

PRECAUÇÕES NO PREPARO DA CALDA: Use protetor facial (viseira facial) de acetato de celulose ou acrílico. Use luvas e bota de borracha nitrílica ou PVC. Use chapéu de abas largas ou boné árabe, protetor facial (viseira facial) de acetato de celulose ou acrílico, macacão com mangas compridas ou calça e jaleco com tecido tratado para ser hidro-repelente, luvas e botas de borracha nitrílica ou PVC e avental impermeável de PVC.

PRECAUÇÕES DURANTE O USO: O produto produz neblina, use protetor facial (viseira facial) de acetato de celulose ou acrílico. Não aplique o produto contra o vento ou na presença de ventos fortes. Use chapéu de abas largas ou boné árabe, macacão com mangas compridas ou calça e jaleco com tecido tratado para ser hidro-repelente, luvas e botas de borracha nitrílica ou PVC.

PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO: Caso necessite entrar na área já aplicada pelo produto, use os seguintes equipamentos de proteção: chapéu de abas largas ou boné árabe, protetor facial (viseira facial) de acetato de celulose ou acrílico, macacão com mangas compridas ou calça e jaleco com tecido tratado para ser hidro-repelente, luvas e botas de borracha nitrílica ou PVC.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Compatibilidade

Não se conhecem casos de incompatibilidade.