Bula Rage

acessos
Carfentrazone-ethyl
7906
FMC - Campinas

Composição

Carfentrazone-ethyl 400 g/L Triazinona

Classificação

Herbicida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Não sistêmico, Pós-emergência, Seletivo condicional
Eucalipto Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Corda de viola
(Ipomoea grandifolia)
50 a 75 mL p.c./ha - - Único. UNA. Pós-emergência em jato dirigido
Corda de viola
(Ipomoea cairica)
50 a 75 mL p.c./ha - - Único. UNA. Pós-emergência e dessecação
Erva quente
(Spermacoce latifolia)
50 a 75 mL p.c./ha - - Único. UNA. Pós-emergência em jato dirigido
Trapoeraba
(Commelina benghalensis)
50 a 75 mL p.c./ha - - Único. UNA. Pós-emergência e dessecação
Trapoeraba
(Commelina diffusa)
100 a 125 mL p.c./ha - - Único. UNA. Pós-emergência em jato dirigido

Conteúdo: 0,25; 0,5; 1; 5; 10; 20; 50; 100 e 200 L.

INSTRUÇÕES DE USO:

CULTURA/MODALIDADE DE APLICAÇÃO/DOSES/PLANTAS DANINHAS CONTROLADAS: Vide seção “Indicações de Uso/Doses”.

Modalidade de aplicação: Dessecação (pré-plantio) e Pós-emergência (jato-dirigido).

NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÃO:

Uma única aplicação é suficiente para eliminar as plantas infestantes indicadas no quadro, anterior. A máxima atividade é obtida em condições climáticas que favoreçam o pleno crescimento da planta, ou seja, alta umidade relativa a alta temperatura, desde que não associadas ao stress hídrico e murchamento da planta. Luz intensa, durante e após a aplicação, geralmente aumentam a velocidade de ação e a eficiência do herbicida.

Eucalipto:
Pós-emergência e Dessecação: Aplicar o produto com a adição de 1,0 % de óleo mineral.

MODO DE APLICAÇÃO:

Colocar água limpa no tanque do pulverizador até a metade de sua capacidade, após estar regulado com a correta vazão. Adicionar RAGE na dose previamente determinada. Acionar o agitador e completar com água o tanque de pulverização. Ao aplicar o produto faz-se necessário usar o agitador continuamente durante a pulverização. O registro do pulverizador deve ser fechado durante as paradas e manobras do equipamento aplicador ou poderá haver danos à cultura.

Equipamentos de Aplicação:
RAGE pode ser aplicado por via terrestre, através de pulverizadores costais ou tratorizados, com barras providas de bicos de média/alta vazão (1,5 L/min), tais como: Teejet leque 110.04, XR Teejet 110.04, Albuz leque 100.04, Fulljet.

O espaçamento entre bicos deve ser de 50 cm e altura da barra de 30 -50 cm. Recomenda-se aplicar em dias com baixas velocidades de ventos, com pressão não maior que 40 lb/pol² e volume de água de 200 a 400 L lha.

-Densidade de gotas: 40 -80 gotas/cm²
-DMV(Diâmetro Mediano Volumétrico): 200- 300 micra

-A aplicação pode ser também via aérea nas seguintes condições:
Volume: 40 L l/ha
Pressão: 30 psi
Bicos: D8-45
Ângulo da barra: 135° (frente ou 45° atrás)
Altura do vôo: até 5m
Faixa de deposição: 15 m
Temperatura ambiente: máximo 28 °C
Umidade relativa do ar (UR): mínima 70%
Velocidade do vento: 2 a 10 km/hora.

LIMITAÇÕES DE USO:

-Evitar a sobreposição de faixas de aplicação; se isto ocorrer, poderá haver danos às culturas.
-Chuvas que ocorram até duas horas após a aplicação podem interferir na eficiência do produto.
-Recomenda-se aplicar após a secagem do orvalho.

INFORMAÇÕES SOBRE OS EQUIPAMENTOS DE APLICAÇÃO A SEREM USADOS:
Vide Modo de Aplicação.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

Como prática de manejo de resistência de plantas infestantes deverão ser aplicados herbicidas devidamente registrados para a cultura, com diferentes mecanismos de ação. Não havendo produtos alternativos recomenda-se a rotação de culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores esclarecimentos consulte um Engenheiro Agrônomo.