Bula Rancona 450 FS

acessos
Ipconazol
2415
Arysta Lifescience

Composição

Ipconazol 450 g/L Triazol

Classificação

Fungicida
III - Medianamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Suspensão Concentrada para Tratamento de Sementes (FS)
Sistêmico, Tratamento de sementes
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Fusariose
(Fusarium moniliforme)
5,6 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de calda/100 kg de sementes - Único. Não determinado. Tratamento de sementes
Podridão das sementes
(Aspergillus flavus)
5,6 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de calda/100 kg de sementes - Único. Não determinado. Tratamento de sementes
Tombamento
(Penicillium oxalicum)
5,6 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de calda/100 kg de sementes - Único. Não determinado. Tratamento de sementes
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Fusariose
(Fusarium pallidoroseum)
5,6 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de calda/100 kg de sementes - Deve ser realizada uma única aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego. Realizar a aplicação por acasião do tratamento de sementes de soja
Podridão seca
(Phomopsis sojae)
5,6 mL p.c./100 kg de sementes 500 mL de calda/100 kg de sementes - Deve ser realizada uma única aplicação. Não determinado devido à modalidade de emprego Realizar a aplicação por acasião do tratamento de sementes de soja

FRASCO PLÁSTICO OU METÁLICO - 1; 5 LITROS
BOMBONA, BALDE PLÁSTICO OU METÁLICO - 10; 20; 25; 30; 40; 50 LITROS
TAMBORES PLÁSTICOS OU METÁLICOS - 100; 200; 250; 500 E 1.000 LITROS
CONTAINER EM AÇO INOX OU METAL (PROTEÇÃO ANTI-CORROSIVA) - 1000; 2000; 5000; 10000; 15000;20000; 25000 LITROS.

MODO DE APLICAÇÃO / EQUIPAMENTOS:
A aplicação deve ser feita com equipamentos especialmente desenvolvidos para tratamento de sementes que possibilitem uma distribuição homogênea do produto.
• Sementes de soja: no tratamento destas sementes, o volume total de calda não deve ultrapassar 500 mL de solução por 100 kg de sementes.
INTERVALO DE SEGURANÇA:
Não determinado devido à modalidade de emprego.
LIMITAÇÕES DE USO:
• A semente tratada deve ser usada unicamente para o plantio. Não pode ser usada como alimento, ração ou na produção de óleo.

PRECAUÇÕES GERAIS:
- Produtopara uso exclusivamente agrícola.
- Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto.
- Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados
-Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendàdosdevem ser vestidos na seguinte ordem: macacão, botas, avental, máscara, óculos e luvas.
- Não utilize equipamentos de proteâo individual (EPI) danificados. :.
- Não Utilize equipamentos com vazamentos ou defeitos.
- Não desentupa bicos, -orifícios e válvulas- com a boca.
Não transporteo produto juntamente comaIimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
PRECAUÇÕES NO MANUSEIO:
- Caso ocorra contato acidental da pessoa como produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
- Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos. :
- Utilize, equipamentos de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidrorepelente com mangas compridas passando por cima do punho das 'luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro mecânico classe P2; óculos de segurança com proteção lateral e luvas de nitrila.
- Manuseie o produto em local aberto e ventilado.

PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO
- Evite o máximo possível o contato com a área de aplicação.
- Não aplique o produto na presença de vento forte e nas horas mais quentes do dia.
- Apliquë o produto somente nas doses recomendadas.
- Utilize equipamentos. de proteção individual - EPI: macacão de algodão hidrorepelente com mangas compridas. passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro mecânico classe P2; óculos de segurança com proteção lateral e luvas de nitrila.
PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO:
- Não reutilize a embalagem vazia.
- Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem. original, em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
- Antes de retirar, os equipamentos de proteção individual (EPIs), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
- Os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara.-
- Tome banho, imediatamente após a aplicação do produto.
- Troque e lave suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
- Faça a manutenção e lavagem dos equipamentos de proteção após cada aplicação do produto.

PRIMEIROS SOCORROS:
Procure logo um serviço medico de emergência levando a embalagem rotulo bula e receituário agronômico do produto. .
Ingestão: Se engolir o produto, não provoque vômito e procure logo um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto. .
Olhos: Em caso de contato, lave com água em abundância e procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico dá produto. .
Pele: Em caso de contato, lave com água e sabão, em abundância e se houver sinal de irritação procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula ou receituário agronômico do produto.
Inalação: Se o produto for inalado, procure lugar arejado e se houver sinal de intoxicação, procure um médico, levando a embalagem, rótulo, bula,ou receituário agronômico do produto;
Antídoto: Não há antídoto específico.

INFORMAÇÕES MÉDICAS
INTOXICAÇÕES POR IPCONAZOL

GrupO químico: Triazol
Classe toxicológica IPCONAZOL: 1 - Extremamente Tóxico
Vias de Exposição: Oral, inalatoria, ocular e dermica.
Toxicocinética: Em estudos conduzidos em animais, foi estimada uma absorção maior que 90% para machos e 71% para fêmeas sendo a principal forma de excreção as fezes. O produto apresentou uma bioacumulação geral baixa, no entanto, valores, significativos foram encontrados-no pulmão e na carcaça. A substância é mais distribuída para o fígado, rins e células sanguíneas. Os principais metabólitos são o triazol livre, as formas conjugadas glucuronidas e as formas hdroxiladas, o que propõe o metabolismo por hidroxilação (Fase I) e conjugação (Fase II).
A meia vida de eliminação plasmática foi determinada entre 11,3 - 28,2. horas e o tempo para alcançar a concentração máxima foi de 2-6 horas. Houve diferença entre os tempos obtidos para machos e fêmeas.
Mecanismos de toxicidade: Os mecanismos de toxicidade do ipconazol em humanos não são conhecidos. Baseado em estudos conduzidos com animais, pode se inferir que o ipconazol exerce efeito na inibição da síntese de colesterol, pela inibição das enzimas que dependem do citocromo P-450 (C14 lanosterol dimetila).
Sintomas e sinais clínicos: "Toxiciclade aguda: O ipconazol foi considerado levemente irritante à pele, extremamente sinais clínicos irritante aos olhos Não foi considerado sensibilizante. Mutgenicidade: Não apresenta características genotóxicas ou mutagênicas.
Toxicidade crônica: Os sintomas de toxicidade mais evidenciados na maioria dos estudos em longo prazo conduzidos em animais estão relacionados ao estômago, fígado e olhos.
Diagnóstico O diagnóstico é estabelecido pela' confirmação da. exposição e de quadro clínico compatível. Em se apresentando sinais e sintomas indicativos de intoxicação, trate o paciente imediatamente, não condicionando o início do tratamento à confirmação laboratorial. Não existem exames laboratoriais específicos.
Tratamento: O profissional de saúde deve utilizar avental e botas impermeáveis, e luvas, para o atendimento médico.
O tratamento é sintomático e deve ser instituído a critério médico. As ocorrências clínicas devem ser tratadas segundo seu surgimento e gravidade.
Em caso de ingestão, fazer lavagem gástrica, até 1 hora após a exposição e/ou o aparecimento dos sintomas de intoxicação.
Em caso de exposição por contato, higienizar as áreas do corpo do paciente atingidas, dando atenção especial às regiões que sofreram maior depósito ou que podem reter o produto (cabelo, ouvido, axilas, umbigo, unhas e genitais).
Avaliações especializadas do trato respiratório, ocular e dermal podem ser requeridas.
Não há um antídoto específico.
Contra-indições: A induçãõ do vômitõ é contra-indicada em razão do risco de aspiração e de pneumonite química
ATENÇAO!
• As intoxicações por agrotóxicos estão incluídas entre as enfermidades de notificação Compulsória. Comunique o caso e obtenha informações especializadas sobre o diagnóstico e tratamento através dos Telefones de Emergência PARA INFORMAÇÕES MEDICAS: Disque-Intoxicação: 0800-722-6001 Rede Nacional de Centros dê Informação e Assistência Toxicológica RENACIAT - ANVISA/MS
Da empresa Chemtura lnd.Quím. do Brasil Ltda.: (11)3896-1500 - Fábrica 0800-771-1506

MECANISMO DE AÇÃO, ABSORÇÃO E EXCREÇÃO
• Vide itens Toxicocinética e Mecanismos de toxicidade no quadro acima.
EFEITOS AGUDOS e CRÔNICOS:
DL50 oral (ratos/machos): 5.284 mg/kg
• DL50 oral (ratos/fêmeãs): 3.666 mg/kg
• CL50 (ratos/machos e fêmeas): superior a 2,59 mg/L
• DL50 dérmica (ratos/machos e fêmeas): superior a 5.000mg/kg
Irritabilidade dérmica (coelhos): levemente irritante.
Irritabilidade ocular (coelhos): minimamente irritante.
Potencial genotoxico: Não é mutagenico baseado em estudos conduzidos com células bacterianas e de mamíferos.

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:
• Este produto é:
- Altamente Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE 1)
(X) Muito Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE II)
- Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE III)
- Pouco Perigoso ao Meio Ambiente (CLASSE IV)
• Este produto é ALTAMENTE PERSISTENTE no meio ambiente.
• Este produto é ALTAMENTE TÓXICO para organismos aquáticos.
• Este produto é de USO EXCLUSIVAMENTE INDUSTRIAL.
• Evite a contaminação ambiental - Preserve a Natureza.
'Não utilize equipamento com vazamento.
• Aplique somente as doses recomendadas
• Não lave embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite a contaminação da água.
'A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSERVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES
• Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
• O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, rações ou outros materiais.
• A construção deve ser de alvenaria ou de material não combustível,
• O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
• Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO VENENO.
• Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
• Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
• Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.
• Observe as disposições constantes da legislação estadual e municipal.
EM CASO DE ACIDENTE
'Isole e sinalize a área contaminada.
'Contate as autoridades locais competentes e a Empresa CHEMTURA INDÚSTRIA QUÍMICA DO BRASIL LTDA. - telefone de Emergência: 0800-771-1506.
'Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara com filtros).
'Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo:
- Piso pavimentado: absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com auxílio de uma pá e coloque em recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado.
Neste caso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para a sua devolução e destinação final.
- Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.
- Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.
Em caso de incêndio, use extintores DE ÁGUA EM FORMA DE NEBLINA, DE CO2. Pó QUÍMICO, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio desta embalagem.
Essa embalagem deve ser armazenada com sua tampa, em caixa coletiva, quando existente, separadamente das embalagens vazias.

- DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
No prazo de até um ano da data da compra, é obrigatória a devolução da embalagem vazia, com tampa, pelo usuário, ao estabelecimento onde foi adquirido o produto ou rio local indicado na nota fiscal, emitida rio ato da compra.
Caso o produto não tenha sido totalmente utilizado nesse prazo, e ainda esteja dentro do seu prazo de validade, será facultada a devolução da embalagem em até 6 meses após o término do prazo de validade.
O usuário deve guardar o comprovante de devolução para efeito de fiscalização, pelo prazo mínimo de um ano após a devolução da embalagem vazia.
-TRANSPORTE
As embalagens vazias no podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

- ORIENTAÇÕES PARA EMBALAGEM SECUNDÁRIA (NÃO CONTAMINADA):
- ESTA EMBALAGEM NÃO PODE SER LAVADA
- ARMAZENAMENTO DA EMBALAGEM VAZIA
O armazenamento da embalagem vazia, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, no próprio local onde guardadas as embalagens cheias.

DEVOLUÇÃO DA EMBALAGEM VAZIA
É obrigatória a devolução da embalagem vazia, pelo usuário, onde foi adquirido o produto ou no local indicado na nota fiscal, emitida pelo estabelecimento comercial
-TRANSPORTE
As embalagens vazias não podem ser transportadas junto com alimentos, bebidas, medicamentos, rações, animais e pessoas.

ORIENTAÇÃO PARA EMBALAGEM SACARIAS:
AS EMBALAGENS - SACARIAS - NÃO PODEM SER REUTILIZADAS PARA OUTROS FINS.
AS EMBALAGENS - SACARIAS - NAO PODEM SER LAVADAS. ARMAZENAMENTO DAS EMBALAGENS VAZIAS:
O armazenamento das embalagens - SACARIAS- vazias, até sua devolução pelo usuário, deve ser efetuado em local coberto, ventilado, ao abrigo de chuva e com piso impermeável, rio próprio local onde são guardadas as embalagens cheias.
Use luvas no manuseio das SACARIAS.
As embalagens - SACARIAS - vazias devem ser armazenada separadamente, em saco plástico transparente (Embalagens Padronizadas - modelo ABNT), devidamente identificado e com lacre, o qual deverá ser adquirido nos Canais de Distribuição.
DEVOLUÇÃO DAS EMBALAGENS - SACARIAS - VAZIAS
Devem ser devolvidas em conjunto com a embalagem do agrotóxico RANCONA 450 FS ou no local onde foram adquiridas as sementes tratadas,
Terceiros que efetuarem o manuseio do agrotóxico, devem descrever nas sacarias que as sementes foram tratadas com o agrotóxico RANCONA 450 FS e informar que as mesmas devem ser devolvidas no local em que foram tratadas ou adquiridas.
ORIENTAÇÕES PARA TODOS OS TIPOS DE EMBALAGENS:
- DESTINAÇÃO FINAL DAS EMBALAGENS VAZIAS
A destinação final das embalagens vazias, após a devolução pelos usuários, somente poderá ser realizada pela Empresa Rcgistrante ou por empresas legalmente autorizadas polos órgãoc competentes.
- É PROIBIDO AO USUÁRIO A REUTILIZAÇÃO E RECICLAGEM DESTA EMBALAGEM VAZIA OU FRACIONAMENTO E REEMBALAGEM DESTE PRODUTO.
- EFEITOS SOBRE O MEIO AMBIENTE DECORRENTES DA DESTINAÇÃO INADEQUADA DA
EMBALAGEM VAZIA E RESTOS DE PRODUTOS.
A destinação inadequada das embalagens vazias, sacarias e restos de produtos no meio ambiente causa contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, a flora e a saúde das pessoas.
- PRODUTOS IMPRÓPRIOS PARA UTILIZAÇÃO OU EM DESUSO
Caso este produto venha a se tornar impróprio para utilização ou em desuso, consulte o registrante através do telefone indicado no rótulo para sua devolução e destinação final.
A desativação do produto é feita através de incineração em fornos destinados para este tipo de operação, equipados com câmaras de lavagem de gases efluentes e aprovados por órgão ambiental competente.
- TRANSPORTE DE AGROTÕXICOS, COMPONENTES E AFINS
O transporte está sujeito às regras e aos procedimentos estabelecidos na legislação específica, que inclui o acompanhamento da ficha de emergência do produto, bem como determina que os agrotóxicos não podem ser transportados junto de pessoas, animais, rações, medicamentos ou outros materiais.
RESTRIÇÕES ESTABELECIDAS POR ÓRGÃO COMPETENTE DO ESTADO, DISTRITO FEDERAL OU MUNICIPAL.
De acordo com as aprovações dos órgãos responsáveis.

Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.

Seguir as recomendações atualizadas de manejo de resistência do FRAC-BR (Comitê de Ação a Resistência à Fungicidas - Brasil). Qualquer agente de controle de doenças pode ficar menos efetivo ao longo do tempo devido ao desenvolvimento de resistência. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Fungicidas (FRAC-BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil dos fungicidas:
• Qualquer produto para controle de doenças da mesma classe ou de mesmo modo de ação não deve ser utilizado em aplicações consecutivas do mesmo patógeno, no ciclo da cultura.
• Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula.
• Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.
Incluir outros métodos de controle de doenças (ex. controle cultural, biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Doenças (MID) quando disponíveis e apropriados.