Bula Shadow 480 SL - Albaugh

Bula Shadow 480 SL

CI
Glifosato
7908
Albaugh

Composição

Equivalente ácido de Glifosato 360 g/L
Glifosato 480 g/L

Classificação

Terrestre/Aérea
Herbicida
5 - Produto Improvável de Causar Dano Agudo
III - Produto perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Não seletivo, Sistêmico

Algodão

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Amaranthus viridis (Caruru comum)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Commelina benghalensis (Trapoeraba)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Eleusine indica (Capim pé de galinha)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Ipomoea nil (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Arroz

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Banana

Dosagem Calda Terrestre
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Amaranthus hybridus (Caruru roxo)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Conyza bonariensis (Buva)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Café

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Cana-de-açúcar

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Saccharum officinarum (Cana de açúcar) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Citros

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Eucalipto

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Milho

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Amaranthus viridis (Caruru comum)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria brizantha (Braquiarão)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Chamaesyce hirta (Erva de Santa Luzia) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Commelina benghalensis (Trapoeraba) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Eleusine indica (Capim pé de galinha)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Galinsoga parviflora (Picão branco) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Portulaca oleracea (Beldroega) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Raphanus raphanistrum (Nabiça) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Richardia brasiliensis (Poaia branca) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Pinus

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Soja

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Amaranthus viridis (Caruru comum) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria brizantha (Braquiarão) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Brachiaria plantaginea (Papuã) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Chamaesyce hirta (Erva de Santa Luzia) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Commelina benghalensis (Trapoeraba) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Eleusine indica (Capim pé de galinha) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Galinsoga parviflora (Picão branco) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Glycine max (Soja)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Portulaca oleracea (Beldroega) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Raphanus raphanistrum (Nabiça) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Richardia brasiliensis (Poaia branca) ( veja aqui ) ( veja aqui )
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Trigo

Calda Terrestre Dosagem
Acanthospermum australe (Carrapicho rasteiro)
Alternanthera tenella (Apaga fogo)
Avena sativa (Aveia)
Bidens pilosa (Picão preto)
Brachiaria plantaginea (Papuã)
Cenchrus echinatus (Capim carrapicho)
Cynodon dactylon (Grama seda)
Cyperus ferax (Junquinho)
Cyperus rotundus (Tiririca)
Digitaria horizontalis (Capim colchão)
Digitaria insularis (Capim amargoso )
Echinochloa crusgalli (Capim arroz)
Euphorbia heterophylla (Amendoim bravo)
Galinsoga parviflora (Picão branco)
Ipomoea aristolochiaefolia (Corda de viola)
Malvastrum coromandelianum (Vassourinha)
Panicum maximum (Capim colonião)
Senna obtusifolia (Fedegoso branco)
Sida rhombifolia (Guanxuma)

Frascos plásticos: 0,5;1,0;1,5;2;2,5;3,0;3,5;4,0;4,5 e 5,0 Litros
Bombonas plástico: 5;10;15;20;25;30;35;40;45;50;100;150;200;250;300;350;400;450;500 e 1.000 Litros.

INSTRUÇÕES DE USO

SHADOW 480 SL é um herbicida, não seletivo, de ação sistêmica do grupo químico das glicinas substituídas, que contém o ingrediente ativo GLIFOSATO 480 g/L na formulação Concentrado Solúvel. Indicado para o controle não-seletivo de plantas infestantes nas áreas cultivadas das culturas de algodão, arroz, arroz-irrigado, banana, café, cana-de-açúcar, citros, eucalipto, milho, pinus, soja e trigo de acordo com as seguintes situações:
- Aplicação em pós-plantio da cultura e pós-emergência das plantas infestantes nas culturas de café, citros, eucalipto e pinus;
- Aplicação em plantas infestantes nas culturas de algodão, arroz, arroz-irrigado, banana, cana-de-açúcar, milho, soja e trigo;
- Aplicação em pré-emergência da cultura e pós-emergência das plantas infestantes nas culturas de algodão, arroz, cana-de-açúcar, milho, soja e trigo;
- Aplicação em pré-plantio da cultura e pós-emergência das plantas infestantes no preparo da área para posterior plantio ou semeadura para todas as culturas;
- Eliminação da soqueira de cana-de-açúcar e como maturador da cana-de-açúcar.
- Aplicação em área total, em pós-emergência do algodão geneticamente modificado resistente ao glifosato, em áreas de plantio direto ou convencional.
- Aplicação em área total, em pós-emergência do milho geneticamente modificado resistente ao glifosato, em áreas de plantio direto ou convencional, podendo ser utilizado em aplicação única ou aplicação sequencial.
- Aplicação em área total, em pós-emergência da soja geneticamente modificada resistente ao glifosato, em áreas de plantio direto e convencional, podendo ser utilizado em aplicação única ou aplicação sequencial.
- Aplicação sobre a cultura de soja (não geneticamente modificada para resistência ao glifosato) na pré-colheita para dessecação.

Recomendações Gerais

Shadow 480 SL deve ser aplicado sobre as plantas infestantes a serem controladas, já germinadas, em boas condições de desenvolvimento e sem efeito de “stress hídrico” (falta ou excesso de água). A eficiência do produto começa a ser visualizada entre o 4º e o 10º dia após a aplicação. Quando aplicado de acordo com as recomendações no período adequado, controlará as plantas infestantes com uma única aplicação ou aplicação sequencial. As indicações de aplicações única ou sequencial devem seguir os estágios de crescimento e época conforme os quadros específicos de recomendação para cada cultura. Em áreas de alta infestação de plantas infestantes, recomenda-se realizar a aplicação sequencial, observando-se sempre os menores intervalos recomendados. Shadow 480 SL não tem ação sobre sementes existentes no solo.

MODO DE APLICAÇÃO

Shadow 480 SL deve ser aplicado nas dosagens recomendadas, diluído em água. Aplicar o produto de maneira uniforme dando uma boa cobertura da parte aérea das plantas infestantes que se deseja o controle. A aplicação pode ser feita por equipamentos aéreos ou terrestres. Nas culturas perenes (café, citros, eucalipto e pinus) aplicar Shadow 480 SL em jato dirigido ou protegido, tomando-se o necessário cuidado para não atingir as partes verdes da cultura (folhas, ramos ou caule jovem).

Aplicação Terrestre

Deve-se utilizar pulverizador costal ou de barra, com deslocamento montado, de arrasto ou autopropelido. Utilizar bicos ou pontas que produzam jato leque ou cônico vazio, visando a produção de gotas para boa cobertura do alvo. Seguir a pressão de trabalho adequada para a produção do tamanho de gota ideal e o volume de aplicação desejado, conforme recomendações do fabricante da ponta ou do bico. Usar velocidade de aplicação que possibilite boa uniformidade de deposição das gotas com rendimento operacional. A altura da barra e o espaçamento entre bicos deve permitir uma boa sobreposição dos jatos e cobertura uniforme na planta, conforme recomendação do fabricante e recomendações da cultura. Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo.

Aplicação Aérea

A aplicação deve ser realizada somente por prestador de serviço especializado em aviação agrícola, sob orientação de um Engenheiro Agrônomo, atendendo as determinações que regulamentam a atividade. As mesmas recomendações gerais para aplicação “Via Terrestre”, como tamanho de gotas, boa cobertura e uniformidade de deposição se aplicam nesta modalidade. Deve-se respeitar condições meteorológicas no momento da aplicação para que as perdas por deriva sejam minimizadas. Recomendações gerais sobre deriva: O potencial de deriva é determinado pela interação de muitos fatores relativos ao equipamento de pulverização (independente dos equipamentos utilizados para pulverização, o tamanho das gotas é um dos fatores mais importantes para evitar deriva) e ao clima (velocidade do vento, umidade e temperatura). Estes fatores devem ser avaliados e considerados quando da decisão de aplicação. Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo.

Condições Climáticas

Temperatura máxima: 28°C;
Umidade relativa (mínimo): 55%;
Velocidade do vento (máximo): 10 km/h (3 m/s).

PREPARAÇÃO DA CALDA

Encher metade do tanque do pulverizador com água e adicionar Shadow 480 SL, mantendo o misturador mecânico ou o retorno em funcionamento e completar o volume do tanque com água. A agitação da calda deve ser contínua durante o preparo da calda e durante a operação de aplicação da calda.

INTERVALO DE SEGURANÇA

Algodão, algodão geneticamente modificado: O intervalo de segurança para a cultura do algodão é não determinado quando o agrotóxico for aplicado em pós-emergência das plantas infestantes e pré-emergência da cultura. O intervalo e segurança para a cultura do algodão geneticamente modicado, que expressa resistência ao glifosato é de 130 dias quando o agrotóxico for aplicado em pós-emergência das plantas infestantes e da cultura.
Arroz, trigo: Intervalo de segurança não determinado devido a modalidade de emprego.
Banana, citros, cana-de-açúcar (maturador): 30 dias
Café: 15 dias
Cana-de-açúcar (pré-plantio): Intervalo de segurança não determinado devido a modalidade de emprego.
Eucalipto, pinus: Uso não alimentar.
Milho, milho OGM: O intervalo de segurança para a cultura do milho é não determinado quando o agrotóxico for aplicado em pós-emergência das plantas infestantes e pré-emergência da cultura. O intervalo de segurança para a cultura do milho geneticamente modificado, que expressa resistência ao glifosato, é de 90 dias, quando o agrotóxico for aplicado em pós-emergência das plantas infestantes e da cultura.
Soja (Pós-emergência), soja OGM: O intervalo de segurança para a cultura da soja é não determinado quando o agrotóxico for aplicado em pós-emergência das plantas infestantes e pré-emergência da cultura. O intervalo de segurança para a cultura da soja geneticamente modificada, que expressa resistência ao glifosato, é de 56 dias, quando o agrotóxico for aplicado em pós-emergência das plantas infestantes e da cultura.
Soja (Dessecação): 7 dias

INTERVALO DE REENTRADA DE PESSOAS NAS CULTURAS E ÁREAS TRATADAS

Não entre na área em que o produto foi aplicado antes da secagem completa da calda (no mínimo 24 horas após a aplicação). Caso necessite de entrar antes deste período, utilize os equipamentos de proteção individual (EPIs) recomendados para o uso durante a aplicação.

LIMITAÇÕES DE USO

O produto deve ser utilizado somente para as culturas que estão registradas, seguindo as instruções de uso aprovadas constantes da bula.

Fitotoxicidade

Quando este produto for utilizado nas doses e modalidades de aplicação recomendadas, não ocasionará danos às culturas indicadas.

Outras restrições

- Sob ameaça de chuva, a aplicação deve ser suspensa, sob risco de comprometimento da eficiência do produto.
- Para garantia da eficiência é essencial que se utilize água limpa (sem argilas em suspensão).
- Não aplicar Shadow 480 SL quando as folhas das plantas infestantes estiverem cobertas de poeira, porque nestas condições pode diminuir a ação do produto (adsorção).
- Não capinar ou roçar o mato antes ou logo após aplicação de Shadow 480 SL.
- Evitar aplicação sobre plantas daninhas sob “stress” provocado por seca ou geada.
- Aplicar sobre plantas sem orvalho e dentro das condições climáticas adequadas, devendo evitar as horas mais quentes do dia.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana – ANVISA/MS.

De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pelo Meio Ambiente – IBAMA/MMA.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados.

O uso sucessivo de herbicidas do mesmo mecanismo de ação para o controle do mesmo alvo pode contribuir para o aumento da população da planta daninha alvo resistente a esse mecanismo de ação, levando a perda de eficiência do produto e um consequente prejuízo. O herbicida SHADOW 480 SL é composto por glifosato, que apresenta mecanismo de ação – Inibidores da EPSPs (Enoil Piruvil Shiquimato Fosfato Sintase), pertencente ao Grupo G, segundo classificação internacional do HRAC (Comitê de Ação à Resistência de Herbicidas). Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas e para evitar os problemas com a resistência, seguem algumas recomendações:
- Rotação de herbicidas com mecanismos de ação distintos do Grupo G para o controle do mesmo alvo, quando apropriado;
- Adotar outras práticas de controle de plantas daninhas seguindo as boas práticas agrícolas;
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um engenheiro agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e a orientação técnica da aplicação de herbicidas;
- Informações sobre possíveis casos de resistência em plantas daninhas devem ser consultados e, ou, informados à: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas (SBCPD: www.sbcpd.org), Associação Brasileira de Ação à Resistência de Plantas Daninhas aos Herbicidas (HRAC-BR: www.hrac-br.org), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA: www.agricultura.gov.br).

PT - Glyphosate Technical registro nº 11211;
PT - Glifosate Técnico Monsanto registro nº 1998.