Bula Stam 360

acessos
Propanil
1258305
UPL

Composição

Propanil 360 g/L Amidas/Fexoxiacéticos

Classificação

Herbicida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Não Classificado
Não corrosivo
Concentrado Emulsionável (EC)
Seletivo
Arroz Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Acácia de flor vermelha
(Sesbania punicea)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Angiquinho
(Aeschynomene rudis)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Beldroega
(Portulaca oleracea)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Capim arroz
(Echinochloa cruz-pavonis)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Capim arroz
(Echinochloa colona)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Capim arroz
(Echinochloa crusgalli)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Capim carrapicho
(Cenchrus echinatus)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Capim colchão
(Digitaria sanguinalis)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Capim pé de galinha
(Eleusine indica)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Capim rabo de raposa
(Setaria geniculata)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Caruru roxo
(Amaranthus hybridus)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Cuminho
(Fimbristylis miliacea)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Grama de ponta
(Panicum dichotomiflorum)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Guanxuma
(Sida rhombifolia)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Mentrasto
(Ageratum conyzoides)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Papuã
(Brachiaria plantaginea)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Picão branco
(Galinsoga parviflora)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Picão preto
(Bidens pilosa)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Poaia branca
(Richardia brasiliensis)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz
Tiririca do brejo
(Cyperus iria)
10 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 30 a 50 L de calda/ha (aéreo) Única. 80 dias. Quando as plantas infestantes estiverem tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz

Baldes metálicos com capacidade de 20 litros e tambores metálicos com capacidade de 100, 200 e 205 litros.

INSTRUÇÕES DE USO:
Obs: 1 litro do produto comercial STAM 360 contém 360 gramas do ingrediente ativo PROPANIL.

Doses:
STAM 360 é indicado na dose de 10 litros por hectare quando as plantas infestantes estiverem
tenras, crescendo ativamente e no estágio de 2-3 folhas.

Número, Época e Intervalo de Aplicação:
ST AM 360 deve ser aplicado uma única vez quando as plantas infestantes tenham germinado e crescido normalmente, alcançando o estágio de 2 a 3 folhas. Esta fase ocorre geralmente entre 15 a 20 dias após a germinação do arroz.

Modo de Aplicação:
STAM 360 é um herbicida de contato para uso no controle de plantas infestantes em pós-
emergência na cultura do arroz. ST AM 360 é seletivo e atua somente sobre as partes verdes das plantas infestantes com as quais entra em contato.

ST AM 360 é indicado para aplicações terrestres e aéreas, podendo ser aplicado por aviões
agrícolas, helicópteros, pulverizadores tratorizados e pulverizadores costais.
Para se obter um ótimo controle, é necessário uma cobertura completa e uniforme das plantas
infestantes.
O êxito de um tratamento com herbicidas depende muito da aplicação e, desta forma, antes de serem iniciadas as pulverizações, deve-se observar:
. Verificar se o pulverizador está limpo.
. Verificar se não existem vazamentos.
. Verificar se os bicos estão na posição correta e funcionando perfeitamente-
. Verificar também o funcionamento dos demais componentes, como bomba, mangueiras,
manômetro, etc.
Verificados todos estes pontos e corrigidos os possíveis defeitos, deve-se fazer a calibração do equipamento de pulverização para aplicar corretamente o herbicida na área a ser tratada.

Observacão:
Embora STAM 360 não seja corrosivo, os equipamentos de aplicação devem ser lavados após o uso e guardados limpos.
Aplicação terrestre:
Pulverizadores tratorizados e/ou costais equipados com bicos cônicos da série D (D3, D4), com
core (espiral) 23, 25 ou 45, ou leques da série 8002, 8003, 8004, 11002' 11003 ou 11004. Devem ser usados volumes de 100-300 litros de calda por hec,tare e pressão de 30-40 libras por polegada quadrada. A velocidade do trator deve ser de 6 a 8 km/hora. Não aplicar o produto na presença de ventos superiores a 6 km/hora.

Aplicação aérea:
Aviões agrícolas equipados com barra ou helicópteros poderão ser usados na aplicação de ST AM 360. A altura de vôo não deve ser maior de 2 metros e a largura da faixa deve ser pré-
determinada para cada tipo de avião, podendo variar de 12 a 16 metros. Para assegurar uma
aplicação uniforme é importante colocar bandeirinha para demarcar a largura da faixa e orientar o vôo. O equipamento de aplicação aérea deverá estar calibrado para um volume de aplicação de 30-50 litros de calda por hectare. Utilizar 46 a 56 bicos na barra, do tipo D8, D10 ou D12. O tamanho das gotas está compreendido entre 200 e 400 micras.

Observacões:
Para aplicações terrestres e aéreas deve-se observar um mínimo de umidade relativa de 55% e temperatura máxima de 27°C.

Preparo do solo:
Para se eliminar o maior número de plantas infestantes com uma só aplicação de ST AM 360, é
necessário que ocorra uma germinação uniforme do arroz e das plantas infestantes. Isto é
conseguido com um bom preparo do solo.

Arroz irrigado:
Retirar totalmente a água da lavoura antes das aplicações de STAM 360. Para evitar a
germinação de uma segunda camada de plantas infestantes, efetuar a inundação dos campos de arroz 2 a 3 dias após a aplicação e manejar a água de acordo com a necessidade da cultura.

Arroz de sequeiro:
STAM 360 controla somente as plantas infestantes que tenham emergido até o momento da
aplicação. Assim, um bom preparo do solo para permitir uma germinação uniforme das plantas
infestantes favorecerá o controle. Para melhores resultados, utilizar espaçamentos mais estreitos (18-25 cm), onde o arroz fechará mais rapidamente, reduzindo o desenvolvimento das plantas infestantes.

Intervalo de Segurança:
Arroz: 80 dias

Intervalo de Reentrada de Pessoas nas Culturas e Áreas Tratadas:
(De acordo com as recomendações aprovadas pelo órgão responsável pela Saúde Humana -
ANVISA/ MS)

Limitações de Uso:
.Fitotoxicidade:
Ausente, quando usado conforme as recomendações. Sob certas condições, ligeiro
amarelecimento pode ocorrer nas folhas do arroz, mas um completq restabelecimento pode ser esperado dentro de 7 a 10 dias.
Para evitar possíveis danos de fitotoxicidade ao arroz, recomenda-se não aplicar inseticidas
organo-fosforados, carbamatos e fertilizantes foliares logo antes ou depois da aplicação de
STAM 360. Para os inseticidas organo-fosforados observar um intervalo de 15 dias entre as
aplicações. Para os carbamatos e Dysiston observar um intervalo de 40 dias.

. Culturas sensíveis:
Culturas de soja, algodão, milho, hortaliças, frutíferas e plantas ornamentais são altamente
sensíveis ao STAM 360.

. Outras restrições:
Não aplicar STAM 360 quando a velocidade do vento for tão alta que possa causar falhas na
cobertura das plantas infestantes ou deriva para outras culturas.
Chuvas no período de 3-6 horas após a aplicação podem reduzir a efetividade do STAM 360.

MEDIDAS GERAIS E PRIMEIROS SOCORROS:Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas, avental impermeável, chapéu impermeável de abas largas, botas e máscaras protetoras especiais providas de filtros adequados ao produto.Leia e siga as instruções do rótulo.Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos.Evite comer , beber ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto.Mantenha o produto afastado de alimentos ou de ração animal. Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água, lavando as embalagens ou aparelhagem aplicadora bem como lançando-lhes seus restos. Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugar seco e ventilado. Inutilize e enterre profundamente as embalagens do produto.

Mantenha afastados das áreas de aplicação crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas por um período de 7 dias após a aplicação do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas, tubulações, etc. com a boca. Uso exclusivamente agrícola. Após a utilização do produto remova as roupas protetoras e tome banho. Não dê nada por via oral a uma pessoa inconsciente. Distribua o produto da própria embalagem, sem contato manual. Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação. Aplique somente as doses recomendadas. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas; use luvas impermeáveis.

Mantenha a embalagem longe do fogo. Produto irritante para os olhos. Não aplique o produto na presença de ventos ou nas horas mais quentes. Tóxico para peixes. Produto inflamável. Em caso de ingestão acidental não provoque vômito, beba água e procure imediatamente o médico, levando a embalagem ou o rótulo do produto. Evite a inalação ou aspiração do produto. Caso isso aconteça, procure local arejado e se houver sinais de intoxicação, chame o médico. Evite o contato com a pele. Caso isso aconteça, lave as partes atingidas com água e sabão em abundância e se persistir a irritação procure o médico, levando a embalagem ou o rótulo do produto. Evite o contato com os olhos. Caso isso aconteça, lave-os imediatamente com água corrente durante 15 minutos e procure o médico, levando a embalagem ou o rótulo do produto.

SINTOMAS DE ALARME: Inalação de vapores causa tontura, dor de cabeça, narcose em altas concentrações e irritação das vias aéreas superiores. Contato prolongado ou repetido com a pele pode causar descamação.

ANTÍDOTO E TRATAMENTO (INFORMAÇÕES PARA USO MÉDICO): Tratamento geral sintomático. Se ingerido, faça cuidadosa lavagem gástrica. Se houver cianose, azul de metileno solução a 2% endovenoso lento.

Não avaliado pelo IBAMA - Registro Decreto nº 24.114/34.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre programas de Manejo Integrado, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes sejam implementados.

O uso continuado de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação pode contribuir para o
aumento de população de plantas daninhas resistentes a esse mecanismo de ação.
Como prática de manejo de resistência de plantas daninhas, deverão ser aplicados,
alternadamente, herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Os herbicidas deverão estar
registrados para a cultura. Não havendo produtos alternativos, recomenda-se a rotação de
culturas que possibilite o uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação. Para maiores
esclarecimentos, consulte um engenheiro agrônomo.