Bula Sumithion UBV

acessos
Fenitrothion
848690
Sumitomo

Composição

Fenitrothion 950 g/L Organofosforado

Classificação

Acaricida, Inseticida
II - Altamente tóxico
II - Produto muito perigoso
Não Classificado
Não corrosivo
Ultra Baixo Volume (UL)
Contato, Ingestão
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Ácaro vermelho
(Tetranychus ludeni)
0,7 a 1 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 21 dias. -
Bicudo
(Anthonomus grandis)
0,8 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 21 dias. -
Curuquerê
(Alabama argillacea)
0,7 a 1 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 21 dias. -
Percevejo manchador
(Dysdercus spp)
0,7 a 1 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 21 dias. -
Percevejo rajado
(Horcias nobilellus)
0,7 a 1 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 21 dias. -
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
0,7 a 1 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 21 dias. -
Tripes
(Frankliniella schultzei)
0,7 a 1 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 21 dias. -
Pastagens Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê dos capinzais
(Mocis latipes)
0,3 a 0,5 L p.c./ha - - 20 dias. 14 dias. -
Gafanhoto
(Rhammatocerus spp.)
0,3 a 0,5 L p.c./ha - - 20 dias. 14 dias. -
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
0,3 a 0,5 L p.c./ha - - 20 dias. 14 dias. -
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca das axilas
(Epinotia aporema)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 7 dias. -
Curuquerê dos capinzais
(Mocis latipes)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 7 dias. -
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 7 dias. -
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 7 dias. -
Lagarta-falsa-medideira
(Pseudoplusia includens)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 7 dias. -
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê dos capinzais
(Mocis latipes)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 14 dias. -
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 14 dias. -
Lagarta do trigo
(Pseudaletia sequax)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 14 dias. -
Pulgão das folhas
(Metopolophium dirhodum)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 14 dias. -
Pulgão verde dos cereais
(Rhapalosiphum graminum)
0,5 L p.c./ha - - 7 a 10 dias. 14 dias. -

Balde metálico: 20 L. Tambor metálico: 100 e 200 L.

FORMA DE APLICAÇÃO: VIA TERRESTRE: Aplicar com atomizadores especiais, sem qualquer diluição em água, de modo a proporcionar uma cobertura uniforme na parte aérea das plantas.

VIA AÉREA (AVIÃO): Uso de atomizadores rotativos micronair. Volume de aplicação: Empregar a dose recomendada sem diluição em água. Altura do vôo: 3 - 4 metros acima da cultura. Largura da faixa de deposição efetiva: 20 metros. Tamanho e densidade de gotas: 60 micras com mínimo de 80 gotas por cm2. O diâmetro de gotas deve ser ajustado para cada volume de aplicação (l/ha) para proporcionar a adequada densidade de gotas. Equipamento: De atomizadores deve ser 4, onde, para o ajuste do regulador de vazão (VRU), pressão e ângulo da pá, seguir a tabela sugerida pela fabricante. Condições climáticas: Aplicar no horário mais fresco do dia, obedecendo a ventos de até 10 km/hora, com temperatura inferior a 27 OC, e umidade relativa do ar superior a 60% visando reduzir ao mínimo perdas por deriva e evaporação. O sistema de agitação do produto no interior do tanque deve ser mantido em funcionamento durante toda a aplicação. Obs: Seguir estas condições de aplicações, caso contrário, consultar um engenheiro agrônomo.

INÍCIO, NÚMERO, ÉPOCA E INTERVALO DE APLICAÇÕES: Iniciar os tratamentos aos primeiros sinais do aparecimento das pragas efetuando-se o número de aplicações necessárias com intervalos de 7 a 10 dias. Em pastagens, efetuar as aplicações necessárias com intervalo de 20 dias entre as aplicações.

PERÍODO DE CARÊNCIA: Observar os seguintes intervalos (dias) entre a última aplicação e a colheita: Algodão: 21 dias, Trigo: 14 dias, Soja: 7 dias, Pastagem: 14 dias entre a última aplicação e o pastoreio.

FITOTOXICIDADE: Não há.

OUTRAS RESTRIÇÕES A SEREM OBSERVADAS: Não há.

MEDIDAS GERAIS: Leia e siga as instruções do rótulo. Durante a manipulação, preparação da calda ou aplicação, use macacão com mangas compridas, avental impermeável, chapéu impermeável de aba larga, botas, máscara protetora especial, provida de filtro adequado a esse tipo de produto. Mantenha o produto afastado de alimentos ou de ração animal. Não contamine lagos, fontes, rios e demais coleções de água lavando as embalagens ou aparelhagens aplicadoras bem como lançando-lhes seus restos. Mantenha a embalagem original sempre fechada e em lugar seco e ventilado. Inutilize e enterre profundamente as embalagens do produto. Mantenha afastado das áreas de aplicações crianças, animais domésticos e pessoas desprotegidas por um período de 7 dias após a aplicação do produto. Não utilize equipamentos com vazamentos. Não desentupa bicos, orifícios, válvulas tubulações, etc. com a boca. Uso exclusivamente agrícola. Após a utilização do produto, remova as roupas protetoras e tome banho. Não dê nada por via oral à uma pessoa inconsciente. Distribua o produto da própria embalagem sem contato manual. Procure imediatamente assistência médica em qualquer caso de suspeita de intoxicação. Aplique somente as doses recomendadas. Mantenha o produto afastado de crianças e animais domésticos. Evite comer, beber ou fumar durante o manuseio ou aplicação do produto. Não distribua o produto com as mãos desprotegidas, use luvas impermeáveis. Mantenha a embalagem longe do fogo. Produto inflamável. Não aplique o produto na presença de ventos ou nas horas mais quentes. Tóxico para peixes, abelhas e fauna silvestre.

PRIMEIROS SOCORROS: Em caso de ingestão acidental provoque o vômito e procure imediatamente um médico levando a embalagem ou o rótulo do produto. Evite o contato com os olhos. Caso isso aconteça, lave-os imediatamente com água corrente durante 15 minutos e se persistir a irritação, procure um médico levando a embalagem ou o rótulo do produto. Evite o contato com a pele. Caso isso aconteça, lave as partes atingidas com água e sabão em abundância e se persistir a irritação procure um médico levando a embalagem ou o rótulo do produto. Evite a inalação ou aspiração do produto. Caso isto aconteça, remova o paciente para local arejado e chame o médico.

SINTOMAS, INDICAÇÕES PARA USO MÉDICO, PRECAUÇÕES, ANTÍDOTOS: Composto fosforado orgânico: Sulfato de atropina é o antídoto de emergência em caso de intoxicação. Nunca administre sulfato de atropina antes do aparecimento dos sintomas de intoxicação: Se o acidentado parar de respirar, aplique imediatamente respiração artificial. Transporte-o imediatamente para assistência médica mais próxima.

SINTOMAS DE ALARME: Fraqueza, dor de cabeça, opressão no peito, visão turva, pupilas não reativas, salivação abundante, suores, náuseas, vômitos, diarréias e cólicas abdominais.

ANTÍDOTOS E TRATAMENTO (informações para uso médico): SULFATO DE ATROPINA, pelas vias intramuscular ou intravenosa (eventualmente também por via oral): 1 a 6 mg cada 5 a 30 minutos, até a atropinização leve. Oximas (Contrathion): 1 a 2 g/dia, nos três primeiros dias. Contra indicações: Morfina, Aminofilina, Tranqüilizantes.

PERSISTÊNCIA E DEGRADAÇÃO NO AMBIENTE: O princípio ativo possui uma persistência CURTA no ambiente.

DESLOCAMENTO NO AMBIENTE: O produto apresenta um deslocamento pequeno para as regiões vizinhas.

Recomenda-se, de maneira geral, o manejo integrado de pragas (MIP), envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle, como o controle cultural, controle biológico (predadores e parasitoides), controle microbiano, controle por comportamento, variedades resistentes e controle químico, sempre alternando produtos de diferentes grupos químicos, com mecanismos de ação distintos.
Recomenda-se, de modo geral, o manejo integrado de doenças, envolvendo todos os princípios e medidas disponíveis e viáveis de controle. O uso de sementes sadias, variedades resistentes, rotação de culturas, época adequada de semeadura, adubação equilibrada, controle biológico, manejo da irrigação e outros, visam o melhor equilíbrio do sistema.

Qualquer agente de controle de insetos pode ficar menos efetivo ao longo do tempo se a praga-alvo desenvolver algum mecanismo de resistência. Implementando-se as seguintes estratégias de manejo de resistência a inseticidas (MRI) pode-se prolongar a vida útil dos inseticidas:
- Qualquer produto para controle de inseto da mesma classe ou modo de ação não deve ser utilizado em gerações consecutivas da mesma praga;
- Utilizar somente as doses recomendadas no rótulo/bula;
- Em caso de dúvidas, consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para direcionamento sobre as recomendações locais para o Manejo de Resistência a Inseticidas (MRI);
- Incluir outros métodos de controle de insetos (Ex.: Controle Cultural, Biológico, etc.) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP) quando disponível e apropriado;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para a orientação sobre as recomendações locais para o manejo de resistência.

Sempre que houver disponibilidade de informações sobre MIP, provenientes da pesquisa pública ou privada, recomenda-se que estes programas sejam implementados. Qualquer agente de controle de insetos pode se tornar menos efetivo ao longo do tempo, se a praga alvo desenvolver algum mecanismo de resistência a ele. O Comitê Brasileiro de Ação a Resistência a Inseticidas (IRAC – BR) recomenda as seguintes estratégias de manejo de resistência visando prolongar a vida útil do inseticida:
- Qualquer produto para controle de pragas, da mesma classe ou modo de ação, não deve ser usado em gerações consecutivas da praga;
- Usar somente as doses recomendadas na bula/rótulo;
- Consultar sempre um Engenheiro Agrônomo para orientação sobre o Manejo de Resistência a Inseticidas;
- Incluir outros métodos de controle de pragas (Ex.: controle cultural, biológico, químico, etc) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas, quando disponível e apropriado.

Compatibilidade

Incompatível com água.