Bula Upmyl

acessos
metomil
6914
UPL

Composição

Methomyl 215 g/L Metilcarbamato de oxima

Classificação

Inseticida
I - Extremamente tóxica
II - Produto muito perigoso
Não inflamável
Não corrosivo
Concentrado Solúvel (SL)
Contato, Sistêmico
Algodão Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Curuquerê
(Alabama argillacea)
0,3 a 0,4 L p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Intervalos superiores a 10 dias entre as aplicações. Realizar no máximo 5 aplicações. Não aplicar mais que 7,5 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando a infetação de lagartas atingir 4% dos ponteiros observados
Lagarta da maçã
(Heliothis virescens)
0,6 a 1,5 L p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Intervalos superiores a 10 dias entre as aplicações. Realizar no máximo 5 aplicações. Não aplicar mais que 7,5 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando a infetação de lagartas atingir 4% dos ponteiros observados
Pulgão do algodoeiro
(Aphis gossypii)
0,4 L p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Intervalos superiores a 10 dias entre as aplicações. Realizar no máximo 5 aplicações. Não aplicar mais que 7,5 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando a infetação de lagartas atingir 4% dos ponteiros observados
Tripes
(Frankliniella schultzei)
0,4 L p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Intervalos superiores a 10 dias entre as aplicações. Realizar no máximo 5 aplicações. Não aplicar mais que 7,5 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando a infetação de lagartas atingir 4% dos ponteiros observados
Tripes
(Caliothrips brasiliensis)
0,4 L p.c./ha 100 a 200 L de calda/ha - Intervalos superiores a 10 dias entre as aplicações. Realizar no máximo 5 aplicações. Não aplicar mais que 7,5 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando a infetação de lagartas atingir 4% dos ponteiros observados
Batata Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Pulgão verde
(Myzus persicae)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 3,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 9 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Traça da batatinha
(Phthorimaea operculella)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 3,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 9 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Brócolis Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Pulgão da couve
(Brevicoryne brassicae)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Traças das crucíferas
(Plutella xylostella)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Couve Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Pulgão da couve
(Brevicoryne brassicae)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Traças das crucíferas
(Plutella xylostella)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Milho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
0,4 a 0,6 L p.c./ha 200 a 300 L de calda/ha - Realizar no máximo 1 aplicação para esta modalidade de uso. Não aplicar mais que 3,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Pós-plantio: Iniciar as aplicações quando for verificada a presença dos primeiros insetos. Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 4 aplicações; Para aplicações em pré-plantio na cultura de milho, iniciar a aplicação quando for verificada a presença de larvas na área antes do plantio da cultura
Repolho Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta da couve
(Ascia monuste orseis)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Pulgão da couve
(Brevicoryne brassicae)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Traças das crucíferas
(Plutella xylostella)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar no máximo 5 aplicações; não aplicar mais que 5,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Soja Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca das axilas
(Epinotia aporema)
1 a 2 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 20 a 30 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 6,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros focos de insetos
Lagarta da soja
(Anticarsia gemmatalis)
0,3 a 0,5 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 20 a 30 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 6,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros focos de insetos
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
0,5 a 1 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 20 a 30 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 6,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros focos de insetos
Lagarta-falsa-medideira
(Pseudoplusia includens)
0,5 a 1 L p.c./ha 100 a 300 L de calda/ha 20 a 30 L de calda/ha (aéreo) Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 6,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros focos de insetos
Tomate Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Broca pequena do tomateiro
(Neoleucinodes elegantalis)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar, no máximo 8 aplicações; não aplicar mais que 8,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Pulgão verde
(Myzus persicae)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar, no máximo 8 aplicações; não aplicar mais que 8,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Tripes
(Frankliniella schultzei)
100 mL p.c./100L água 1000 L de calda/ha - Reaplicar quando houver reinfestação. Realizar, no máximo 8 aplicações; não aplicar mais que 8,0 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 3 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros insetos
Trigo Dosagem Calda Intervalo Época
Aplic
Terrestre Aérea Aplic Seg
Lagarta do cartucho
(Spodoptera frugiperda)
0,5 a 1,3 L p.c./ha 100 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 3,9 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros focos de infestação
Lagarta do trigo
(Pseudaletia adultera)
0,5 a 1,3 L p.c./ha 100 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 3,9 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros focos de infestação
Pulgão verde dos cereais
(Rhapalosiphum graminum)
0,6 L p.c./ha 200 L de calda/ha - Realizar no máximo 3 aplicações; não aplicar mais que 3,9 L/ha de UPMYL por ciclo de cultura. 14 dias. Quando for verificada a presença dos primeiros focos de infestação

Balde plástico: 5; 10;20 e 50 Litros.
Bombona plástica: 5; 10;20 e 50 Litros.
Bombona metálica: 5; 10;20 e 50 Litros.
Container de aço inox: 500;1.000 e 1.500 Litros.
Contentor intermediário plástico: 1.000 L
Frasco de plástico: 0,05; 0,07; 0,1; 0,25; 0,35; 0,5; 1; 1,5; 2; 4 e 5 Litros.
Galão plástico: 5 Litros.
Tambor plástico:100 e 200 Litros.
Tambor metálico: 100 e 200 Litros.

MODO DE APLICAÇÂO:
- Aplicação terrestre:
a) Equipamento costal:
- Tipo de bico: leque (modelos "XR" e "DG"), cônico (modelos "D" e "TX")
- Diâmetro da gota: 110 a 150 micra
- Densidade mínima de gota: 40 gotas/cm²
- Pressão: 30 a 60 Ib/pol2

b) Equipamento tratorizado de barra:
- A altura da barra depende do ângulo de pulverização do bico para que o produto possa cobrir toda área da planta. Normalmente para um bico de ângulo de 80°, a barra deverá estar a 50 cm acima da cultura. Observar que a barra em toda a sua extençãoesteja na mesma altura.
- Tipo de bico: leque (modelos "XR" e "DG") cônico (modelos "D" e "TX"), espaçados de 50 cm
- Diâmetro da gota: 110 a 150 micra
- Densidade mínima de gota: 40 gotas/cm²
- Pressão: 80-100 Ib/pol2

Observação: No caso de se utilizar outros equipamentos, estes devem sempre proporcionar uma boa cobertura de pulverização nas plantas.

- Aplicação aérea:
As aplicações aéreas devem ser feitas apenas nas culturas de soja.
Aplicar através de aeronaves agrícolas equipadas com bicos rotativos ou com barras dotadas dotadas de bicos, obedecendo aos seguintes parâmetros:

- Volume de aplicação: mínimo de 20-30 L/ha de calda para barra dotada de bicos, e mínimo de 10 a 20 L/ha para micronair.
- Altura de vôo: As rodas da aeronave devem estar a 3-4 m acima do topo da cultura.
- Largura da faixa de deposição efetiva: Deve ser considerada de 15 a 20 m.
- Diâmetro de gota:110 a 150 micras
- Densidade mínima de gota: 40 gotas/cm²
- Condições climáticas: Devem ser respeitadas condições de vento abaixo de 10 km/hora, temperaturas inferiores a 27°C e umidade relativa superior a 70%, visando evitar ao máximo perdar por deriva e evaporação.
- Equipamentos: Bicos rotativos tipo micronair (4-8 unidades). A pá da hélice do atomizador deverá estar regulada para 30 ou 35 graus para se ter gotas menores. Barra com bicos (20-60 bicos). Usar preferencialmente bicos cônicos D-4, D-5 ou D-6.
Para se obter gotas pequenas o ângulo dos bicos em relação à direção de vôo deve ser de 135°.
- Pressão da barra: 30 a 50 Ib/pol²

LIMPEZA DO EQUIPAMENTO DE APLICAÇÃO:
Antes da aplicação, verifique e inicie somente com o equipamento limpo e bem conservado. Imediatamente após a aplicação, proceda uma completa limpeza de todo o equipamento para reduzir o risco da formação de depósitos sólidos que possam se tornar difíceis de serem removidos. O adiamento, mesmo por poucas horas, somente torna a limpeza mais difícil.
1. Com o equipamento de aplicação vazio, enxágue completamente o pulverizador e faça circular água limpa pelas mangueiras, barras, bicos e difusores, removendo fisicamente, se necessário, os depósitos visíveis do produto. O material resultante desta operação deverá ser pulverizado na área tratada com o respectivo produto.
2. Complete o pulverizador com água limpa. Circule esta solução pelas mangueiras, barras, filtros e bicos. Desligue a barra e encha o tamque com água limpa. Circule pelo sistema de difusores. Esvazie o tanque na área tratada com o respectivo produto.
3. Remova e limpe os bicos, filtros e difusores em um balde com a solução de limpeza.
4. Enxágue completamente o pulverizador, mangueras, barras, bicos e difusores com água limpa no mínimo 3 vezes.

Limpe tudo que for associado ao pulverizador, inclusive o material usado para o enchimento do tanque. Tome todas as medidas de segurtança necessárias durante a limpeza. Não limpe o equipamento perto de nascentes, fonte de água ou de plantas úteis. Descarte os resíduos da limpeza de acordo com a legislação Estadual ou Municipal.

> Informaçõe gerais:
- Para controle adequado dos insetos, é essencial observar a época de aplicação e assegurar boa cobertura das plantas. Os melhores resultados serão obtidos quando o programa de pulverização for feito no início de vida dos insetos. No geral, aplicar as doses menores, quando o intervalo de aplicação for curto ou houver baixa infestação da praga, e as doses maiores quando as aplicações forem mais espaçadas ou houver alta infestação.

> Preparo da calda: Encher o tanque de pulverizador com água até a metade de sua capacidade. Iniciar a agitação (sistema hidráulico ou mecânico), adicionar a quantidade adequada de Upmyl (CDX 130 FP), completar o volume do tanque. Adicionar um espalhante adesivo ou sulfactante durante o preparo da calda insetisida, na dose recomendada pelo fabricante, para aplicação nas culturas de algodão e batata.

Intervalo de segurança: Algodão 14; Batata 9; Couve 3; Brócolis 3; Repolho 3; Milho 14; Soja 14; Tomate 3; Trigo 14.

LIMITAÇÕES DE USO:
- Não aplicar ou permitir a deriva do produto sobre corpos d'água.
- Fitotoxicidade: nas doses recomendadas, Upmyl é seletivo às culturas indicadas.
- Não aplicar Upmyl através de sistemas de irrigação.
- Não aplicar ou permitir a deriva do produto sobre áreas onde haja atividade de abelhas.
- Não utilizar equipamentos do tipo nebulização (fog.)
- Upmyl é incompatível com produtos de reação alcalina, tais como calda bordalesa e calda sulfocálcica. Umas vez que as formulações podem ser alteradas e novas formulações podem ser introduzidas, recomenda-se que seja testada compatibilidade previamente.

PRECAUÇÕES GERAIS:
Produto para uso exclusivamente agrícola.
Não coma, não beba e não fume durante o manuseio e aplicação do produto. Não manuseie ou aplique o produto sem os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados.
Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser vestidos na seguinte ordem: macacão,botas, avental, máscara, óculos, touca árabe e luvas.
Não utilize equipamentos de proteção individual (EPI) danificados.
Não utilize equipamentos com vvzamentos ou defeitos.
- Não desentupa bicos, orifícios e válvulas com a boca.
- Não transporte o produto juntamente com alimentos, medicamentos, rações, animais e pessoas.
PRECAUÇÕES NA PREPARAÇÃO DA CALDA:
- Produto extremamente irritante para os olhos.
Caso ocorra contato acidental da pessoa com °produto, siga as orientações descritas em primeiros socorros e procure rapidamente um serviço médico de emergência.
Ao abrir a embalagem, faça-o de modo a evitar respingos.
Utilize equipamento de proteção individual — EPI: macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; avental impermeável; máscara com filtro combinado (filtro químico contra vapores orgânicos e filtro mecânico classe P2 ou P3); óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.
Manuseie o produto em local aberto e ventilado.
PRECAUÇÕES DURANTE A APLICAÇÃO:
É proibida a aplicação com equipamentos manuais ou costais.
Evite o máximo possível o contato com a área tratada.
- Não aplique o produto na presença de ventos fortes e nas horas mais quentes do dia.
Verifique a direção do vento e aplique de modo a não entrar na névoa do produto.
Aplique o produto somente nas doses recomendadas.
Utilize equipamento de proteção individual — EPI: macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas passando por cima do punho das luvas e as pernas das calças por cima das botas; botas de borracha; máscara com filtro combinado (filtro químico Contra vapores orgânicos e filtro mecânico classe P2 ou P3); óculos de segurança com proteção lateral; touca árabe e luvas de nitrila.
PRECAUÇÕES APÓS A APLICAÇÃO
Sinalizar a área tratada com os dizeres: "PROIBIDA A ENTRADA. ÁREA TRATADA" e manter os avisos até o final do período de reentrada.
Caso necessite entrar na área tratada com o produto antes do término do inter lo de reentrada, utilize os equipamentos de proteção irdividual (EPI) recomendados para o uso durante a aplicação.
Mantenha o restante do produto adequadamente fechado em sua embalagem original em local trancado, longe do alcance de crianças e animais.
Antes de retirar os equipamentos de proteção individual (EPI), lave as luvas ainda vestidas para evitar contaminação.
- Os equipamentos de proteção individual (EPI) recomendados devem ser retirados na seguinte ordem: touca árabe, óculos, avental, botas, macacão, luvas e máscara.
Tome banho imediatamente após a aplicação do produto.
Troque e lave as suas roupas de proteção separado das demais roupas da família. Ao lavar as roupas utilizar luvas e avental impermeável.
Faça a manutecção e lavagem dos equipamentos de próteção após cada aplicação do produto.
Fique atento ao tempo de uso dos filtros, seguindo corretamente as especificações do fabricante.
- Não reutilizar a embalagem vazia.
No descarte de embalagens utilize equipamento de proteção individual — EPI : macacão com tratamento hidrorrepelente com mangas compridas, luvas de nitrla e botas de borracha.
PRIMEIROS SOCORROS: procure logo um serviço médico de emergência levando a embalagem, rótulo, bula e/ou receituário agronômico do produto.
Ingestão:Se engolir o produto, não provoque vômito. Caso o vômito ocorra naturalmente, deite a pessoa de lado. Não dê nada para comer ou beber.
Olhos: Em caso de contato, lave com muita água corrente durante 15 minutos. Evite que a água de lavagem entre no outro olho.
Pele: Em caso de contato,tire a roupa contaminada e lave a pele com muita água corrente e sabão neutro. Inalação: Se o produto for inalado ("respirado"), leve a pessoa para um local aberto e ventilado.
A pessoa que ajudar deve proteger-se da contaminação usardo luvas e avental impermeáveis, por exemplo

PRECAUÇÕES DE USO E ADVERTÊNCIAS QUANTO AOS CUIDADOS DE PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE:
- Este produto é MUITO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE (CLASSE II).
- Este produto é altamente móvel, apresentando alto potencial de deslocamento no solo, podendo atingir principalmente águas subterrâneas.
- Este produto á altamente tóxico para microcrustáceos
- Este produto á altamente tóxico para abelhas, podendo atingir outros insetos benéficos.
Não aplique o produto no período de maior visitação das abelhas.
. Evite contaminação ambiental - Preserve a natureza
. Não utilize equipamento com vazamento.
. Não aplique o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes .
. Aplique somente as doses recomendadas.
. Não lave as embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d'água. Evite contaminação da água.
. A destinação inadequada de embalagens ou restos de produtos ocasiona contaminação contaminação do solo, da água e do ar, prejudicando a fauna, flora e a saúde das pessoas.
. Não execute aplicações aéreas de agrotóxicos em áreas situadas a uma distância inferior a 500 (quinhentos) metros de povoação e de mananciais de captação de água para abastecimento público e de 250 (duzentos e cinquenta) metros de mananciais de água, moradias isoladas, agrupamentos de animais e vegetação suscetível a danos.
. Observe as disposições constantes na legislação estadual e municipal consernentes às atividades agrícolas.

INSTRUÇÕES DE ARMAZENAMENTO DO PRODUTO, VISANDO SUA CONSEVAÇÃO E PREVENÇÃO CONTRA ACIDENTES:
. Mantenha o produto em sua embalagem original, sempre fechada.
. O local deve ser exclusivo para produtos tóxicos, devendo ser isolado de alimentos, bebidas, ração ou outros materiais.
. A construção deve ser alvenaria ou de material não combustível.
. O local deve ser ventilado, coberto e ter piso impermeável.
. Coloque placa de advertência com os dizeres: CUIDADO, VENENO.
. Tranque o local, evitando o acesso de pessoas não autorizadas, principalmente crianças.
. Deve haver sempre embalagens adequadas disponíveis, para envolver embalagens rompidas ou para o recolhimento de produtos vazados.
. Em caso de armazéns, deverão ser seguidas as instruções constantes da NBR 9843 da Associação Brasileira de Nortmas Técnicas - ABNT.
. Observe as disposições contantes da legislação estadual e municipal.

INSTRUÇÕES EM CASO DE ACIDENTES:
. Isole a área contaminada
. Contate as autoridades locais e a empresa UPL do Brasil Industria e Comércio de Insumos Agropecuários S.A., pelo telefona de emergência (0800) 7010 450 - (019) 3794-5600.
. Utilize equipamento de proteção individual - EPI (macacão impermeável, luvas e botas de borracha, óculos protetores e máscara com filtros).
. Em caso de derrame, estanque o escoamento, não permitindo que o produto entre em bueiros, drenos ou corpos d'água. Siga as instruções abaixo.

> Piso pavimentado: absorva o produto com serragem ou areia, recolha o material com o auxílio de uma pá e coloque em um recipiente lacrado e identificado devidamente. O produto derramado não deverá mais ser utilizado. Neste caso, contate a empresa registrante, para que a mesma faça o recolhimento. Lave o local com grande quantidade de água.
> Solo: retire as camadas de terra contaminada até atingir o solo não contaminado, recolha esse material e coloque em um recipiente lacrado e devidamente identificado. Contate a empresa registrante conforme indicado acima.
> Corpos d'água: interrompa imediatamente a captação para o consumo humano ou animal, contate o órgão ambiental mais próximo e o centro de emergência da empresa, visto que as medidas a serem adotadas dependem das proporções do acidente, das características do corpo hídrico em questão e da quantidade do produto envolvido.

. Em caso de incêndio use extintores de água em forma de neblina, CO2 ou pó químico, ficando a favor do vento para evitar intoxicação.

Além do métodos recomendados para o manejo de resistência à inseticida, incluir outros métodos de controle de insetos (ex.: controle cultural, biológico etc...) dentro do programa de Manejo Integrado de Pragas (MIP), quando disponível e apropriado.

A resistência de pragas a agrotóxicos ou qualquer outro agente de controle pode tornar-se um problema econômico, ou seja, fracassos no controle da praga podem ser observados devido à resistência:
- Rotação de produtos com mecanismos de ação distintos, quando apropriado;
- Utilizar as recomendações de dose e modo de aplicação de acordo com a bula do produto;
- Sempre consultar um Engenheiro Agrônomo para o direcionamento das principais estratégias regionais para o manejo de resistência e para a orientação técnica na aplicação de inseticidas;
- Informações sobre os possíveis casos de resistência em insetos e ácaros devem ser encaminhadas para o IRAC-BR (www.irac-br.org.br), ou para o Ministério da Agricultura, pecuária e abastecimento (www.agricultura.gov.br)